Constelação e vida diária

O que é liderança e como ser um bom líder?

Liderança

A liderança é a força que põe o mundo em movimento. Positiva ou negativa, ela tem (e sempre teve) um papel importantíssimo no desenvolvimento da História da Humanidade.  Você já se sentiu desmotivado no trabalho? Sentia que faltava algo por parte de seu chefe? Você sabe como ser um bom líder?

Aliás, você, enquanto chefe, sente que motiva seus funcionários para que eles alcancem, cada vez mais, bons resultados? Ficou curioso? Acompanhe nosso artigo sobre como ser um bom líder e melhore sua relação nos seus ambientes de trabalho, familiar e de amizades!

Você já pensou sobre o significado de “Liderança”?

A liderança influencia diretamente na eficiência, nos resultados e no perfil das relações entre as pessoas das organizações, tanto de natureza empresarial, quanto familiar, religiosa, esportiva ou qualquer outra. É possível encontrar uma infinidade de definições sobre o tema, conforme ele ganha características específicas.

Junto disso, há uma composição mais geral, que coloca a liderança como a habilidade de influenciar pessoas. Ela pode ser aprendida e desenvolvida  por intermédio de propostas, direção e motivação. Assim, elas trabalharão com muito mais vigor, ao mesmo tempo em que trabalham para dar conta da sua missão. Assim, visando atingir os objetivos no compromisso de melhoria e crescimento da organização.

A definição sobre ser líder comporta diferentes abordagens, mas elencá-las aqui não é o objetivo. Então, serão apresentadas, inicialmente, duas visões sobre liderança que se opõem e, posteriormente, uma novíssima visão.

Duas visões sobre o conceito de liderança

Na visão mais tradicional (e considerada bastante antiquada), é adotada, pelo líder, uma postura centralizadora e autoritária diante da equipe. Sendo ele a definir estratégias e tomar decisões. Isso ocorre porque ele entende que seu conhecimento, julgamento e experiência, são fatores suficientes para legitimá-lo. Por isso, podendo prescindir de  qualquer contribuição dos liderados .  

Já uma visão mais moderna traz a ideia principal de que a liderança de sucesso é aquela que conhece os seus colaboradores. Esse líder confia na capacidade de seus funcionários, delega e dá feedbacks úteis ao aperfeiçoamento, evolução e crescimento do grupo. Assim, exercendo sua natural autoridade, com respeito e sensibilidade.

Daí que são destacados três princípios básicos de uma boa liderança:

  1. Respeito ao trabalho próprio e da equipe, levando em conta contribuições; 
  2. Conhecimento da organização e de cada membro da equipe, seus talentos e a colaboração específica que podem dar através deles. Entendendo que isso  leva a buscar proximidade e alavancar as habilidades, e
  3. Confiança mútua, dando espaço para o erro e o crescimento, de modo que os colaboradores se sintam engajados. Além disso, não temam errar, e que vejam o erro como um desafio estimulante.

Fundamentação filosófica sobre a liderança

Na verdade, são os fundamentos filosóficos que definem os princípios. Que lançam a base para o estilo de liderança e para o estilo de vida de um líder. E, além deles, são os valores que norteiam as escolhas, a visão que se tem do mundo, de si mesmo e dos outros. 

Esses fundamentos podem ser sintetizados na figura do líder confiante e que inspira confiança. Motivado, crível,  que tem clareza de seus valores, não receia errar e está disposto a começar de novo com entusiasmo. Um líder que sabe trabalhar com pessoas e desenvolve empatia com elas, que não apenas as leva a fazer, mas que é um exemplo bastante positivo e, finalmente, que ama o que faz. 

Desse modo, liderando com e pelo amor, trazendo esses fundamentos para a sua prática efetiva, a figura de liderança tenderá a ser bem sucedida e se tornará referência e inspiração na criação de novos líderes.

Reflexões acerca da sociedade

“O desafio da liderança é ser forte, mas não rude; ser gentil, mas não fraco; ser ousado, mas não um valentão; ser humilde, mas não tímido; ser orgulhoso, mas não arrogante; tenha humor, mas sem loucura” — Jim Rohn.

Eu gostaria de trazer para nossa reflexão, e para avançar nas nossas considerações, um posicionamento que leva em conta uma verdade com a qual me identifico totalmente.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Ao longo da História, o homem vem se desenvolvendo e provocando transformações, boas e más, para a sociedade. No entanto, agora, nós somos postos diante de grandes e irreversíveis mudanças, as quais trazem exigências  em todas as áreas do saber. Sendo, a principal delas, a premente busca de um modo de ser e viver que seja mais profundo. 

    Esse é o grande desafio que temos pela frente. Sob pena de perdermos o que nos caracteriza qual seja a busca, seja  resgatar, seja reencontrar a nossa humanidade, num mundo que massifica, molda, mecaniza.

    O mundo dos negócios em relação à liderança

    Particularmente, o mundo corporativo tem se mostrado como um faz-de-conta, de tirania e das aparências, em que impera o sucesso expresso pelo que se tem, não pelo que se é. Não importando a sua competência, mas, sim,  sua  imagem , marketing, e  jogo do poder, sem preocupação com o que é e o que não é ético.

    Os supostos líderes desse mundo corporativo não se importam em motivar seus coladoradores. Apenas visam o resultado final, sem se importar com o processo e o caminho.

    Com isso, a população, contaminada por esse esquema padrão massificante que distorce a percepção, hipnotiza, escraviza e submete ao materialismo, deve sempre aparentar estar feliz, comprar tudo o que puder, se “dar bem” a qualquer custo. Ou seja, vender uma imagem e não revelar um Ser pensante.

    Essa sociedade, que gerou tantos avanços, negligencia dimensões que levam o homem a perder sua identidade, sua individuação e sua essencial razão de ser, e, portanto, sofre.

    Felizmente, apesar desse sistema perverso que exerce uma ação predatória no ambiente e no homem, produzindo a fome, a miséria, a falta de escolarização e de moradia, o crescente distanciamento econômico entre pessoas e povos,  perpetuando a injustiça social, podemos ver alguns significativos sinais de vida e esperança.

    Como se comportam os bons líderes?

    Mesmo que ainda modesto, é possível observar o surgimento de líderes mobilizados em transformar os modelos de gestão em países, cidades, empresas e outras organizações, com políticas corporativas de valorização do homem e do meio ambiente. Dispostos a assumir, apesar das dificuldades, a responsabilidade pela adoção de uma conduta que afete positivamente a vida do outro e a vida da/na Terra.

    É certo que só uma profunda transformação da consciência tornará possível a transformação exterior. Urge, portanto,  avaliar os modelos de liderança que temos seguido e  fazer a dificílima e perigosíssima viagem para o interior de si mesmo, na busca do autoconhecimento. 

    Como podemos ser boas lideranças?

    A vida provoca, enquanto indaga o que pode esperar do homem que está sendo chamado a resgatar sua condição plenamente humana. 

    É esse homem, conhecedor de si, que será capaz de reconhecer que a substância primordial do Universo é a energia. Além disso, o próprio homem é constituído dessa energia que, uma vez direcionada e focada, mobiliza, atrai, realiza e transforma. Esse novíssimo paradigma se relaciona às  acima citadas dimensões mais profundas do ser humano, em oposição ao modelo vigente que é linear e mental.

    O líder que o mundo espera, exige e anseia, é aquele que, tendo feito a sua jornada individual para a verdadeira consciência de si, transformar-se-á. Capacitando-se a perceber que tudo está conectado e se entrelaça. A partir daí, provocará mudanças coletivas, sociais, organizacionais e ambientais. Caminhando para um novo e possível mundo, mais justo e fraterno.

    Um líder capaz de liderar a si mesmo, dominar-se, transcender-se. E a isso se chama AUTOLIDERANÇA, a única liderança que ganha sentido nesse mundo que clama por se transformar. Em nova oportunidade, a autoliderança poderá ser melhor trabalhada. Agora opto por concluir citando Willis Harman que  observou, em 1968:

    “Fazemos parte de um imenso e único sistema no qual ninguém pode vencer, a menos que todos vençam.”

    Conclusão

    Com a Constelação Clínica e a liderança, num conjunto, podemos agregar valor aos nossos pares e seguir melhorando e atingindo nossas metas. Tudo isso de uma maneira muito mais eficaz. E você, gostaria de saber mais sobre a Constelação e se tornar uma liderança de sucesso? Confira nosso curso de Constelação Clínica e torne-se um Constelador de Sucesso!

     

    Este artigo foi produzido pela aluna do curso de Constelação Clínica Sandra Paulo Francisco.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    2 × um =