Constelação e vida diária

Inteligência Emocional: definição, importância, como desenvolver?

inteligencia emocional

Você é uma pessoa que tem inteligência emocional? Ou melhor, você sabe o que é a inteligência emociona? Não? Então continue a leitura e descubra o que é e qual a importância de desenvolvermos essa parte de nossa mente!

A Inteligência Emocional

A Inteligência emocional é a capacidade de um indivíduo entender as reações fisiológicas desencadeadas após um processo ou várias sinapses neurais. 

Por exemplo, você sabia que o medo que gera frio na barriga, na verdade, cria uma parada de movimentos peristálticos do intestino? E que os pensamentos relacionados ao medo de algo ou de alguma coisa pode gerar desequilíbrio emocional?

Então, nós precisamos entender que o que acontece em nossa mente tem reflexos em nosso físico, e a mesma coisa acontece ao contrário: o que acontece em nosso físico tem reflexos em nossa mente.

Ser dotado de inteligência emocional envolve saber exatamente discernir os sentimentos e reações que ocorrem na minha mente e no meu corpo.

Ter a capacidade de entender o porquê estou sentindo e ou pensando desta forma.

Por que é importante desenvolver a Inteligência Emocional?

A vida é cheia de desafios diários: metas, prazos, reuniões, família, filhos, relacionamentos, saúde e inúmeras decisões a serem tomadas.

Assim, em qualquer âmbito da vida, as pessoas estão sendo observadas, avaliadas e cobradas o tempo todo. Isso faz com que todos vivam em uma pressão constante, o que é um contexto que pode ser muito estressante e desgastante. Especialmente para quem não possui equilíbrio emocional.

Isso acontece porque as emoções estão em toda parte, e todas as pessoas vivem direta ou indiretamente sob o impacto delas.

Depressão, estresse, ansiedade, insegurança e compulsão são alguns sintomas gerados por desequilíbrios emocionais muito maiores. Justamente por isso, a Inteligência Emocional é tão necessária nos dias de hoje.

Como ela nos auxilia?

São inúmeros os benefícios de saber e ter controle das emoções. Isso porque, racionalmente, ninguém escolheria ser ansioso, depressivo, explosivo ou machucar alguém que ama. Mas a maioria das pessoas faz isso constantemente.

Então, se essas reações não são escolhidas, por que as pessoas não têm controle sobre elas? De modo geral, isso acontece porque o cérebro emocional é muito mais rápido que o cérebro racional.

Portanto, precisamos entender que, para a neurociência, nossa constituição fisiológica cerebral está em três níveis: o Neocórtex (córtex ou cérebro da razão), o cérebro límbico (o cérebro das emoções logo ao tronco encefálico) e o cérebro reptiliano (cérebro dos ancestrais). 

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

Assim, essa última parte do cérebro está intimamente relacionada às ações de curto prazo. Além da raiva, fuga e preservação, este em particular está ligado ao sistema adrenal, o qual se mostra em total relação com as emoções fortes. 

Enquanto as emoções levam o ser humano à ação, sua razão continua pensando e analisando. Nesse sentido, entender que somos movidos principalmente pela emoção é o primeiro passo para começar a desenvolver a Inteligência Emocional.

Benefícios da I.E para a nossa vida

Segundo o Instituto Carolina Maino, os principais benefícios da Inteligência Emocional são:

  •       Aumento da autoestima e autoconfiança;
  •       Redução de conflitos em relacionamentos interpessoais;
  •       Direcionamento competente das emoções;
  •       Aumento do nível de comprometimento com metas de vida;
  •       Senso de responsabilidade e melhor visão de futuro;
  •       Compreensão da visão de mundo e dos sentimentos das outras pessoas;
  •       Enriquecimento dos relacionamentos interpessoais;
  •       Equilíbrio Emocional;
  •       Desenvolvimento da comunicação e poder de influência;
  •       Aumento do nível de felicidade;
  •       Superação de barreiras;
  •       Clareza nos objetivos e ações;
  •       Melhora na comunicação e em seu poder de influência;
  •       Melhora na capacidade de tomada de decisão;
  •       Melhor administração do tempo e melhora significativa da produtividade;
  •       Diminuição dos níveis de estresse;
  •       Maior realização pessoal, familiar e profissional;
  •       Aumento da qualidade de vida, mais disposição, vitalidade e bem-estar.

Além disso, a  base de inteligência emocional é a clareza das emoções sentidas, e isto é algo que ganhamos capacidade com o tempo. Pois, às vezes, podemos confundir as emoções sentidas.

Ademais, é importante ter a capacidade ou treinar até se capacitar para saber lidar com as emoções que irão surgir. Por exemplo, ao ser pressionado pelo seu supervisor ou chefe, você deve conseguir pensar em como irá reagir a isso e manter a calma.Ou em um acidente de trânsito poder ter uma reação calma e controlada.

Quando temos automotivação, ou seja, a capacidade de gerar motivo para agir a todo instante, sem precisar de ninguém, nós já podemos dizer que temos certa inteligência emocional.

Como a Constelação Familiar  nos ajuda a ter Inteligência Emocional?

Um dos feitos mais difíceis é a motivação. Sim, se automotivar envolve mais que animação: envolve um propósito futuro. Ou seja, um feito, um alvo a ser alcançado, e isso pode ser a grande chance de você alcançar grandes feitos.

Uma pessoa motivada vai até o fim, não desiste de nada e termina o que começa. Sem dúvida que se uma pessoa sofre de falta de motivação nós temos um quadro de alguém que sofre de falta de controle emocional, uma pessoa que não sabe lidar com as emoções.

Portanto, ao investigar o quadro, com a ajuda da Constelação Familiar, podemos ver algo relacionado aos ancestrais. Ou a um amor interrompido, emaranhado ou culpa em honra a alguém.

Ao constelar alguém com algumas destas situações, podemos mostrar para a pessoa a real fonte originadora dos sentimentos. E explicando os sentimentos e seus significados, podemos ajudar o indivíduo a saber não apenas saber o que sente, mas o porquê de sentir.

Casos como morte de um irmão ou abortos, ou mesmo assassinatos dentro do âmbito familiar podem gerar sentimentos de falta extrema e de ausência de sentimentos. Estes que precisam, de alguma forma, ser esclarecidos e ressignificados para que a pessoa tenha consciência e inteligência emocional, sendo capaz de mudar a forma como se vê e sente as coisas ao seu redor.

Conclusão

A nossa Inteligência Emocional não nasce pronta, por isso, devemos treiná-la todos os dias. Além disso, é ela quem nos ajuda a entender nossos sentimentos e agir com mais responsabilidade diante de anormalidades.

Por fim, a técnica terapêutica da Constelação Familiar pode ser utilizada para desvendar quais são os emaranhados familiares que levam a pessoa a não ter uma boa inteligência emocional.

Gostou do artigo? Deixe um comentário sobre quais técnicas você utiliza para exercitar sua inteligência emocional! Quer aprofundar seus conhecimentos na área da Constelação Familiar? Então se inscreva no nosso curso, 100% on-line, de Constelação Clínica. Com ele, você estará apto a clinicar e a ser um constelador de sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =