Constelação FamiliarTranstornos e Doenças

Sintomas de depressão: como tratar com Constelação?

A depressão acaba encurralando o indivíduo que a carrega como um peso nas costas. Gradativamente, seus sinais sufocam e impedem que ele e os demais enxerguem uma solução para amenizar a força do problema. Veja como trabalhar melhor os sintomas de depressão com a ajuda da Constelação familiar.

Atenção devida à depressão

Os depressivos carregam uma grande carga própria e muito sensível. Às vezes, nem eles mesmos conseguem entender o período de queda ao qual enfrentam. Os sintomas de depressão atuam de forma profunda e incapacitante sobre esse grupo. O que pode ser uma simples atividade para um se torna um desafio massacrante para quem tem a doença.

Assim,  os depressivos lutam diariamente para se levantarem da cama e executar as tarefas sob sua responsabilidade, agora transformadas em fardo. Sem resposta, olham para trás e tentam encontrar o ponto em que se perderam no caminho. À medida em que tentam descobrir onde deixaram de sentir prazer, acabam por mergulhar ainda mais no problema.

Para quem está de fora, tudo isso se mostra apenas como um chamariz à atenção e à preguiça. Infelizmente, é justamente esse olhar ignorante que inviabiliza qualquer ajuda que o depressivo pode obter. Ele não se encontra nessa situação porque quer, mas, sim, porque foi empurrado. Mesmo que não fale, por dentro, está pedindo socorro.

Fatores de risco

Muitos ingredientes podem contribuir para o surgimento dos sintomas de depressão em um indivíduo. Sem uma proteção adequada, o mesmo se entrega aos machucados provocados por impulsos externos e internos. Mesmo poucas diretrizes podem desencadear uma vasta carta de sintomas de depressão, oriundos de:

Química

O desequilíbrio químico no cérebro de alguém pode induzir essa pessoa a um quadro depressivo. Em suma, seus receptores cerebrais processam com dificuldade as transmissões de alguns hormônios, como serotonina. Isso contribui diretamente para a falta de prazer envolvendo o cotidiano.

Personalidade

Aqueles que cultivam uma baixa autoestima são mais suscetíveis aos estímulos negativos. O estresse pode oprimir de forma contínua a psique dessa pessoa. Dessa forma, entregam um comportamento mais pessimista que perdura por tempo indefinido.

Personalidade e ambiente

Um ambiente onde a violência, abuso e negligência são constantes afetam o mais oprimidos. Pessoas com baixa autoestima sofrem mais facilmente com as adversidades, ainda que não sejam vítimas delas. Caso continuem integrados nessa roda, sofrerão e abrirão as portas à depressão mais facilmente.

Sintomas de depressão

Os sintomas de depressão variam de caso para caso, entregando uma intensidade diferente também. Cabe ressaltar que os mesmos devem perdurar, fazendo parte da figura do indivíduo socialmente e marcando na sua postura. Este se sente vazio, sem propósito e sem forças para reagir, mostrando:

Falta de interesse em atividades antes prazerosas

É bastante comum um depressivo abrir mão de tudo o que lhe apetecia antigamente. A doença provoca uma apatia pelos prazeres da sua vida, impedindo que a pessoa se movimente em direção a eles. Por conta disso, passa a se isolar cada vez mais, evitando socializar com amigos e colegas.

Falta de autoestima persistente

A depressão acaba por impedir que o indivíduo enxergue os próprios valores, acreditando que é incapaz. Sua autoestima é quase que inexistente, dando espaço à insegurança, medo e instabilidade. Graças a isso, seus projetos e qualquer outra atividade, como relacionamentos, acabam defasados e sem tanta estrutura.

Fadiga excessiva

É como se literalmente um peso caísse em cima de suas costas. Assim, o depressivo demonstra um cansaço contínuo em relação a qualquer atividade que faça. Isso acaba por dar margem à indisposição, já que este evitará fazer qualquer atividade que o deixe ainda mais cansado.

Depressão e Constelação familiar

A Constelação familiar procura agir diretamente na origem dos sintomas de depressão. A psicoterapia provoca o resgate de situações vividas anteriormente e que estão empurrando o indivíduo a isso. Com isso, procura olhar o todo e encontrar quais os pontos desencadearam o problema atual. A Constelação faz isso olhando:

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Além do horizonte

    A Constelação familiar não se restringe apenas no agora e no ponto direto ao passado. Ela procura olhar além do problema, averiguando os pontos em conjunto que conduziram ao momento. Por vezes, acaba se deparando com eventos aos quais o constelado depressivo não se lembrava com clareza.

    Trabalhando o vazio

    O vazio ao qual o indivíduo sente, em geral, se fixa em não poder aceitar ou doar amor aos pais. Por causa de um trauma do passado, se ergueu uma barreira que impediu a conexão entre genitores, filhos e o amor. Além disso, um emaranhado com algum antepassado que também não nutriu boas relações também contribui a isso.

    Força destrutiva

    A Constelação mostra que há uma relação entre a depressão e uma energia assassina. Isso porque é comum aos depressivos pensarem em morte para aliviar o problema. Assim sendo, o suicídio serviria para conter o sentimento de raiva e o impulso à energia assassina que este carrega.

    Apoio ao tratamento

    Quando a Constelação familiar entra em ação contra os sintemas de depressão, a ideia é partir à origem. Com isso, o constelador visará libertar o indivíduo do emaranhado que o prende ao passado e alimenta sua angústia. Como visto acima, isso pode causar a dificuldade em dar e receber amor daqueles mais próximos ao paciente.

    A seguir, o terapeuta tentará olhar a relação mantida com a mãe e o pai. A ideia é entender de vez se o fluxo de amor entre essas pessoas foi interrompido de alguma forma. A mãe, por exemplo, é a responsável por nutrir a energia que este precisará para ter uma vida plena. Se esta não é bem recebida, isso afeta diretamente o seu sucesso no futuro.

    Assim que este aceitar e dizer “sim” às dificuldades do passado, ele pode se reabilitar. Infelizmente, a depressão não tem cura, mas a felicidade pode ser resgatada. Assim que este fortalece a conexão com o passado e consigo, fortalece seu ligamento com a própria vida.

    Considerações finais sobre os sintomas da depressão

    A depressão é sorrateira em seu modo de agir, começando de forma vagarosa até atingir grandes proporções. Enquanto esta cresce, seu portador diminui em vontade de fazer e viver, se mostrando fechando às possibilidades. Ainda que este não verbalize, precisamos nos atentar aos sintomas de depressão.

    Isso porque, dificilmente, este indivíduo irá expor o que sente, até por medo de ser ignorado. Ao propor um trabalho com a Constelação familiar, é dada uma chance de que este resgate a própria história. Aliando a psicoterapia ao tratamento convencional, é construído uma dupla oportunidade de reabilitar de forma eficaz esse indivíduo.

    A fim de ajudar nessa reabilitação, se inscreva em nosso curso online de Constelação familiar. A psicoterapia, quando anexada em nossas habilidades comuns, proporciona clareza em relação à depressão e aos eventos envolvidos. Além de ajudar quem precisa encontrar o próprio valor, você adquire um autoconhecimento construtivo.

    O curso é feito via internet, permitindo mais comodidade na hora de aprender. Isso porque você pode estudar quando e onde achar mais conveniente, impedindo que altere a sua rotina comum. Um excelente adendo é a disposição dos professores, já que, independente do horário, você sempre terá o auxílio constante deles.

    À medida em que estuda, tem o seu potencial lapidado com o rico material das apostilas e atividades propostas. Sendo assim, garanta a sua vaga no caminho que pode mudar vidas quando os sintomas de depressão são identificados e a doença é devidamente diagnosticada. Faça nosso curso de Constelação familiar!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    15 − sete =