Constelação e RelacionamentosConstelação Familiar

Amoris Laetitia: significado da expressão e do sentimento

amoris laetitia

A expressão Amoris laetitia ganhou mais destaque após a publicação da exortação apostólica do Papa Francisco, que aconteceu em 2016. De modo geral, esse termo significa “a alegria do amor”. Para saber mais sobre o que ele significa, te convidamos a ler o nosso post!

O que é Amoris Laetitia?

A tradução de Amoris Laetitia em latim, ao pé da letra para a nossa língua é, como dissemos acima, “a alegria do amor”. Como já dito, a expressão ficou mais conhecida após a publicação da exortação apostólica do Papa Francisco, em 2016. A obra tem como base os resultados de dois Sínodos dos Bispos sobre a Família que ocorreram em 2014 e 2015.

Só para contextualizar, a exortação apostólica é um documento pontifício que tem recomendações para um determinado grupo de pessoas. No caso do Amoris Laetitia, ele é destinado para todos os membros da Igreja, incluindo as famílias e as pastorais.

Sobre a exortação apostólica “Amoris Laetitia” do Papa Francisco

O documento Amoris Laetitia possui nove capítulos:

  • 1º – À luz da Palavra;
  • 2º – A realidade e os desafios das famílias;
  • 3º – O olhar fixo em Jesus: a vocação da família;
  • 4º – O amor no matrimônio;
  • 5º – O amor que se torna fecundo;
  • 6º – Algumas perspectivas pastorais;
  • 7º – Reforçar a educação dos filhos;
  • 8º – Acompanhar, discernir e integrar a fragilidade;
  • 9º – Espiritualidade conjugal e familiar.

Essa exortação apostólica destacou a possibilidade de que os divorciados que vivem em uma segunda união possam ser padrinhos e receber a comunhão. Aliás, eles têm a chance de serem catequistas na Igreja Católica.

Essas concessões são algo inédito, visto que a Igreja Católica proíbe determinadas atividades aos divorciados. Contudo, essa não é uma regra geral que todas as igrejas do mundo tem que aderir, mas trata-se de uma possibilidade de permissão que ficará a critério dos confessores.

Compreendendo o documento “Amoris Laetitia”

O principal objetivo da exortação apostólica Amoris Laetitia é reafirmar as diversas realidades e complexidades envolvidas na formação de uma família. Com um olhar aberto, Papa Francisco aponta uma necessidade de uma atenção pastoral à realidade das novas dinâmicas familiares.

O documento é fruto de várias experiências concretas de pessoas que sabem o que é viver juntos durante bastante tempo. Por fim, o Chefe da Igreja Católica apresenta uma linguagem que demonstra que ele compreende o que está falando e que traz tempos de esperança, além de práticas que podem ser adotadas pelas pessoas.

Primeiro capítulo

No capítulo de abertura, o Papa articula a sua reflexão por meio das Sagradas Escrituras. Traçando um paralelo entre o Salmo 128, uma liturgia muito característica nas nupciais hebraica e cristã, e a família atual, ele conclui que a família não é um ideal abstrato. Mas, sim, uma “atividade artesanal” que precisa de muita ternura.

Contudo, essa relação também pode ser marcada pelo pecado, caso essa relação seja transformada em domínio. Por isso, o Papa Francisco aponta que a Palavra de Deus deve ser uma companheira para as famílias, mostrando-lhes o caminho.

Segundo capítulo

No segundo capítulo, o documento aborda o contexto atual que as famílias estão passando. Alguns conflitos que elas enfrentam são, por exemplo, o abuso de menores e a violência contra as mulheres.

O Papa afirma que é importante prestar atenção a essa realidade, pois é por meio desses acontecimentos que o Espírito faz os seus pedidos. Por conta disso, a Igreja pode desenvolver uma compreensão mais profunda sobre a família.

Terceiro capítulo

O terceiro capítulo aborda os elementos fundamentais que a Igreja tem sobre a família. Por causa do olhar amplo sobre o mundo como ele é, o Papa também inclui as “situações imperfeitas”. Segundo ele, há aspectos positivos, que devem ser levados em consideração, nas estruturas familiares de outras tradições religiosas.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

Quarto capítulo

Focado no amor presente no matrimônio, o quarto capítulo de “Amoris Laetitia” gira em torno de descrever como é o amor humano na sua forma mais concreta.

Leia também:  O que é Timidez, como enfrentá-la?

De modo surpreendente, há presença de um aprofundamento psicológico que aborda o mundo das emoções dos cônjuges, sejam elas positivas ou negativas. Além disso, discute-se sobre a dimensão erótica do amor. Vale ressaltar que este é um tema nunca discutido em outros documentos papais anteriores.

Ao seu modo, o Papa Francisco traz um pequeno tratado sobre o dia a dia do amor. Por outro lado, o Chefe da Igreja Católica afirma que no amor conjugal, há uma abertura ao definitivo. Ou seja, há combinação de alegria e tristeza, sofrimento e libertação, características que constituem o matrimônio.

Quinto capítulo

Já nesta parte do documento, o foco é a fecundidade, a possibilidade de que o amor dê frutos. De modo espiritual e psicológico, o Papa fala sobre como os pais esperam uma nova vida florescer (gravidez). Contudo, também cita a fecundidade alargada, como a adoção e vida na família em sentido mais amplo, com a presença de outros parentes como os avós.

Partindo para um âmbito social, há uma reflexão sobre os papéis que os jovens e os idosos possuem no processo de relação com os demais. Por exemplo, como os irmãos mais velhos influenciam os mais novos – algo que a constelação familiar também observa.

Sexto capítulo

Aqui, o Papa aborda como as pastorais precisam orientar para que haja famílias direcionadas para o plano de Deus. A exortação salienta que as famílias são agentes de evangelização.

Além disso, o documento trata de um tema muito delicado para a Igreja Católica: o
divórcio
. Segundo, o Santo Padre este é um mal, pois há um aumento no número de separações entre casais. Logo, a pastoral deve ajudar as famílias que estejam passando por este processo.

Sétimo capítulo

Com o foco na educação das crianças, o sétimo capítulo reforça o papel que os pais têm na formação ética, na transmissão da fé e na educação sexual. Sobre este último tema, o Papa explica que é necessário abordar este assunto para que não haja uma banalização e o empobrecimento da sexualidade.

Além disso, faz uma advertência sobre a expressão “sexo seguro”, pois passa uma ideia de que um possível filho é um “inimigo” de que o casal precisa se proteger. Essa ideia, segundo ele, promove um narcisismo – não um acolhimento.

Oitavo capítulo

No penúltimo capítulo, há um convite ao discernimento pastoral diante de contextos que não são algo que o Senhor deseja. Para o Papa, é preciso acompanhar, discernir e integrar esses fundamentos para que as pessoas possam responder essas situações de fragilidade.

Nono capítulo

Por fim, o Papa dedica o último capítulo à espiritualidade conjugal e familiar. Ele explica que a família é como um percurso que o Senhor usa para ajudar na união mística. Ou seja, tudo que é vivenciado em família é reflexo de como é uma participação na vida eterna.

Para concluir, o Santo Padre escreve:

“É uma experiência espiritual profunda contemplar cada ente querido com os olhos de Deus e reconhecer Cristo nele» (AL 323).

Considerações finais sobre Amoris Laetitia

A exortação trata de um dos assuntos que todos nós temos um certo apreço: a família. Para muitos membros da Igreja Católica, “Amoris Laetitia” é uma carta de amor que vai direto ao ponto trazendo ações práticas para toda a família.

Embora seja um documento cristão, o assunto tratado serve para todas as pessoas, mesmo que não seja adepto a essa religião. Afinal, você pode encontrar ali uma bonita reflexão sobre como enfrentar as dificuldades do cotidiano familiar e desfrutar das alegrias presente na família.

Para te ajudar a refletir sobre esse tema tratado no Amoris Laetitia do Papa Francisco, temos um convite para você: conheça o nosso curso completo de Formação em Constelação Familiar e Sistêmica. Assim, por meio da constelação familiar, será possível encontrar um equilíbrio na vida familiar. Então, não perca essa grande oportunidade!

Leia também:  Luciana Duarte: ideias sobre constelação familiar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − 3 =