Constelação Familiar

Um lugar para os excluídos (Bert Hellinger)

um lugar para os excluídos de Bert Hellinger

Baseado em uma entrevista de Bert Hellinger, o livro “Um lugar para os excluídos” demonstra todo o propósito da Constelação Familiar. Ele explica, com as próprias palavras, o conceito e como utilizá-lo.

A autora Gabriele Ten Hovel é a entrevistadora e com base nisso, faz todas as abordagens sobre assuntos sociais, familiares e assuntos específicos sobre a Constelação. Além disso, Bert Hellinger relata sua história na África do Sul e o significado que teve.

Como funciona uma Constelação?

Uma vez nomeado o objetivo do cliente e esclarecidos os fatos, o cliente é convidado a escolher entre os participantes um certo número de pessoas de seu clã (conforme sugerido pelo facilitador). E também, colocá-las no espaço de trabalho (representantes).

Os representantes não recebem nenhum script que descreva quem eles são, seu personagem ou seu passado. A partir daí, os representantes “a serviço” do cliente, sem saber quase nada sobre as pessoas que representam, se deixam levar pelos seus sentimentos. Ou seja, parecido um pouco como se ressoassem com essa pessoa ou fossem habitados por ela.

É simples, mesmo que pareça obscuro, mas aqui está o enigma maravilhoso das Constelações Familiares.

Sentimentos

Os sentimentos variam entre sensações físicas, emoções, imagens, pensamentos ou movimentos particulares e são as das pessoas que representam. Mesmo que não trabalhem em prol de um objetivo pessoal, os representantes se beneficiam muito com sua participação. Pois, muitas vezes são escolhidos, não por acaso, para representar alguém em uma história que os toca.

Mesmo quando for esse o caso, eles devem se lembrar constantemente de quem representam (pai, mãe) e deixar de lado sua própria história, o tempo da constelação. Depois, eles podem lucrar com sua participação e se libertar dos encargos pessoais, graças ao que foi tocado neles.

Assim sendo, todos, constantes e representantes, enriquecem sua experiência de vida. Ainda que, a princípio, não pudéssemos explicá-lo, Bert Hellinger fala da “grande alma” como sendo um campo poderoso.

E isso permite que cada representante sentir a bagagem familiar carregada por quem faz sua constelação e está, pelo simples ser escolhido e colocado para representar um membro do clã.

EXPERIMENTE!

Por isso, você tem que experimentar para acreditar! Podemos nos referir à epigenética, ao “inconsciente coletivo” de Jung, para espelhar neurônios. Ou ainda, aos campos morfogenéticos de Rupert Sheldrake para encontrar caminhos de compreensão, para não mencionar as descobertas da física quântica.

Durante as oficinas de Constelação Familiar, o papel dos representantes é fundamental. Graças a eles surge o que o cliente usava sem saber e este pode ver, compreender, integrar e iniciar um processo de mudança. Com uma dinâmica limitante para finalmente realizar-se plenamente na sua vida, tudo isso adicionando uma abordagem psicoterapêutica.

Sistemas

As constelações familiares são uma forma de constelação sistêmica. Nesta encenação, um problema da história familiar de uma pessoa é encenado pelos outros participantes. Constelações sistêmicas se aplicam ao mundo dos negócios, à família, a qualquer grupo humano.

Eles oferecem um modelo de intervenção concreto, de tipo visual graças à representação de pessoas. Nas constelações familiares, essas pessoas são os membros da família envolvidos no nó da situação.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

A representação da família estava presente entre os sistêmicos de Palo Alto. Tendo se tornado uma constelação familiar (muitas vezes no plural neste sentido), essa atualização mostra a dinâmica do sistema familiar. E ela foi importada para a Europa por Bert Hellinger que a desenvolveu.

Mas como funciona, por que funciona?

Todos estamos conectados por comunicação não verbal e animados, em vários graus, com o que a tradição budista chama de compaixão. Constelações familiares usam isso.

Leia também:  Quem pode fazer o curso de constelação familiar?

Uma pessoa encena seu problema atual. O universo familiar é descrito. Ele escolhe, entre os participantes, aqueles que representarão os membros de sua família, o grupo familiar.

Colocados no espaço, eles começam a vivenciar a história e as questões, as emoções e sensações do sujeito central.

Posição do terapeuta

Cada participante chamado, guiado por sua intuição, deixa entrar palavras, emoções, movimentos e os expressa. Assim sendo, o terapeuta adota a posição de observador.

Os movimentos sucessivos, ou os posicionamentos orientados pelo facilitador (ou terapeuta), levam os participantes a buscar um novo lugar, um novo estado mental, onde se sentir melhor.

Certa vez, um participante me deu uma bela imagem desse trabalho: “é como o relaxamento de um cristal ao mudar as tensões internas”.

O trabalho ajuda a descobrir informações não triviais por meio de sensações, cinesias e percepções. E às vezes são chamadas de inconscientes para inconscientes (essa é a compaixão descrita pela tradição budista).

Árvore genealógica

A teatralização da árvore genealógica que resulta da prática das constelações familiares torna possível viver os nós emocionais. Isso tudo sem a necessidade de passar pelo intelecto e nem pela modelagem estrita dos laços familiares de sangue.

As constelações familiares abrem uma janela para a memória transgeracional, lançando um lampejo que provoca questionamentos. A atitude de espanto conduz à abertura de uma barreira. É por isso que as práticas de descondicionamento (massagens, sofrologia, mímica) geralmente amplificam a já grande relevância desta técnica.

Esse fenômeno pode ser comparado à clarividência. No entanto, a compaixão e a dinâmica da comunicação não verbal desempenham um papel importante aqui.

Técnica

A técnica da constelação familiar introduz a terapia familiar, trabalhando por meio da ação. Essa dinâmica é o catalisador que revela conflitos ocultos ou visíveis na família, repetições, luto não satisfeito, questões de lealdade, choques emocionais inconscientes.

A constelação familiar é todo o parentesco sem os laços imutáveis da árvore genealógica. Esta é uma partição do grupo familiar criada pela história da família.

Considerações finais

A constelação familiar traz, portanto, os vínculos obrigatórios, os vínculos inconscientes, os clãs, exclusões e mudanças de lugar. Não tem o mesmo formato dependendo de quem o vive. Podemos dizer que as constelações familiares encenam a constelação familiar de cada uma, sob o ângulo de um fato bloqueador da história familiar.

Similaridade e valor operacional vêm do fato de que a base humana de uma empresa é semelhante à de uma família. Baseia-se na realização de necessidades básicas, em posições relativas e em lealdades visíveis e invisíveis.

Quer saber mais sobre o livro “Um lugar para os excluídos”? deseja entender mais sobre as sessões de Constelações Familiares e Sistêmicas? Conheça nosso curso sobre Constelação Familiar e prepare-se para uma nova aventura valiosa na sua vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × cinco =