Constelação e Profissões

Terapia Ocupacional e Constelação Familiar: como uma auxilia a outra?

terapia ocupacional

Você sabia que muitas terapias são utilizadas em conjunto? Por exemplo, a Constelação Familiar e a Terapia Ocupacional. Estas duas técnicas terapêuticas, quando aliadas,  auxiliam muito a vida do paciente. Quer saber mais? Então continue a leitura!

Depoimento: como conheci a Constelação Familiar?

Em meados de 2009, eu  estava cursando uma pós-graduação em Atenção Integral à Família quando ouvi pela primeira vez o termo Constelação Familiar. A professora relatou um estudo de caso e considerei muito interessante o processo.

Devido às demandas específicas do curso e a tantas informações, na época, não me aprofundei no assunto. Contudo, o termo ficou internalizado na minha memória. Dez anos se passaram e, agora em 2019, o tema retornou em minha vida com muita força. 

Isso aconteceu de tal forma que hoje estou na busca da formação em Constelação Familiar. O fato se deu quando minha irmã, através de uma amiga, tomou conhecimento dessa terapia e resolveu se submeter aos processos de Constelação em grupo e Constelação Individual com Bonecos. 

As influências da Constelação Familiar na minha vida

Apesar de eu nunca ter sido constelada, tinha um pouco de conhecimento sobre o processo presencial em grupo. Porém, não sabia do atendimento com bonecos. Assim, me encantei com as possibilidades, e minha irmã me contou sua vivência. 

Comecei a refletir sobre nossa família através dos olhos dela e de suas impressões. Assim, pude ver que vários fatos e situações de nossa infância foram percebidas e sentidas de forma diferente. Ademais, uma sensação de necessidade invadiu minha alma. E isso desencadeou em mim uma grande vontade de enveredar por esse caminho.

Minha formação acadêmica é em Terapia Ocupacional. Portanto, atuo como Terapeuta Ocupacional na área de Saúde Mental, atendendo pacientes com transtornos mentais leves e graves, e também os casos de uso e abuso de substâncias psicoativas lícitas e ilícitas e dependência química.

Como a Constelação auxilia a terapia ocupacional? 

A Terapia Ocupacional é uma profissão abrangente que atende desde recém-nascidos até idosos. Ademais, o terapeuta avalia diversas situações e condições em que a funcionalidade e independência do cliente fica comprometida e o impede de realizar suas atividades cotidianas. Por exemplo, de estudo, lazer, trabalho, convivência social e familiar.

Assim, os quadros clínicos a serem avaliados são muitos, como os neurológicos, os déficits cognitivos e psicomotores, transtornos mentais e outros relacionados ao uso de drogas e dependência química. Por isso, o profissional em questão tem como foco analisar o histórico de vida pregressa e atual da pessoa, qual sua função e papel na família e sociedade e como está inserida nesse contexto.

Além disso, diversas atividades e procedimentos são usados como recurso terapêutico ocupacional para promover tratamento. Além da reabilitação, capacitação, autonomia e qualidade de vida para o cliente. Dentre esses recursos, o atendimento em grupo é  muito utilizado pela Terapia Ocupacional.

A Terapia Ocupacional e a Constelação Familiar

A Constelação Familiar na Terapia Ocupacional oferta uma dinâmica maravilhosa. Isso porque a Constelação amplia o olhar do profissional. Este passa a compreender o cliente além de sua integralidade (corpo e mente) e passa a enxergá-lo também de forma sistêmica. 

Assim, o profissional passa a perceber o indivíduo, em toda sua complexidade e especificidade, em ação no seu sistema familiar e social, e com esses sistemas exercendo forças sobre ele. Todo o processo não se restringe apenas ao diagnóstico, mas também na relação e interação que esta pessoa tem com a história de sua família. 

Por isso, passamos a compreender não apenas a doença ou o problema que o cliente enfrenta, mas o nascedouro de seu sofrimento. A pessoa constelada compreende todo seu histórico de vida e de seus antepassados. O que realmente pertence a ele e o que ele absorveu ou assimilou como sua realidade, mas que de fato não é.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Conclusão

    Em resumo, a Constelação Familiar é um processo libertador. Pois tira a pessoa das amarras que ela desconhece. Assim, considero um processo belíssimo e de pleno respeito e ética às pessoas envolvidas. 

    Por fim, quero me capacitar, agregar e articular os saberes teóricos e práticos para contribuir na superação das dificuldades que a pessoa enfrenta, nos emaranhados que as impede de viver de forma leve e suave, sem o peso das questões mal resolvidas que  as atormentam e aprisionam.

    Enquanto profissional da área de saúde e futura Consteladora, quero ampliar meu olhar e me tornar um profissional que contribui da melhor maneira possível na qualidade de vida e no desenvolvimento humano.

    Gostou do artigo? O que você acha de alavancar a sua carreira? Você sabia que a Constelação Familiar auxilia em diversas áreas? Saiba mais e conheça nosso curso, 100% online, de Constelação Clínica!

    O artigo acima foi escrito por Fernanda Beatriz Andrade Lopes, aluna do nosso curso de Constelação Clínica.

     

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    um × um =