Constelação FamiliarFormação em Constelação

Seis princípios e oito ordens da Constelação

Sendo um tema abrangente, a Constelação Familiar fica melhor explicada quando dividida em partes. Por isso que o trabalho visto por sessões se torna mais compreensível, aplicável e replicável com o público. Iremos te mostrar 6 princípios e 8 ordens da Constelação para mostrar o alcance da terapia.

Campo familiar

Um dos seis princípios da Constelação familiar é a existência do campo familiar. Trata-se de um registro energético que preserva todas as impressões de nossa família através do tempo. É por meio desse campo que as ações de nossos antepassados chegam até nós.

Acontece que esse campo familiar acaba por influenciar a nova geração a repetir os passos de seus ancestrais. Como se trata de um caminho imposto, isso tende a gerar conflitos nesses indivíduos jovens. Sem uma guia adequada, entram em uma espiral de angústias e problemas.

Influência

Imagine o grilo falante que serviu de consciência ao pequeno Pinóquio em sua jornada. Ao longo do seu caminho, a voz do inseto ajudou o garoto de madeira na tomada de decisões. A comparação acima serve para ilustrar o que acontece conosco dentro do campo familiar, já que também somos influenciados.

O processo acontece de modo inconsciente, nos envolvendo a uma lealdade à família. Com isso, não percebemos que fazemos parte de um ciclo repetitivo e talvez prejudicial ao nosso desenvolvimento. O comportamento que temos é fruto e espelhamento daqueles que vieram antes de nós.

Fluxo

O campo familiar mencionado linhas acima é definido por um fluxo, este regido por nós. É como se uma gigantesca corrente atravessasse o tempo e o espaço, conectando um grande número de pessoas. Desse modo, cada uma delas contribuiria pessoalmente para a forma dessa energia familiar.

As ações de quem veio antes se conecta diretamente com a geração que está no presente. Nisso, acaba surgindo uma esquema de perpetuação, fazendo com que tudo se repita em diferentes cenários. A Constelação visa justamente a libertação dessas ações destrutivas.

Nós como parte de um todo

Um dos princípios mais sensíveis na Constelação familiar é a ideia de grupo. Por mais individualistas que possamos ser, nós fazemos parte de um imenso todo. Cada um de nós é dotado de sinais específicos que contribuem diretamente à manutenção desse círculo na vida.

Tudo começa de forma sequenciada, começando por nós mesmos e projetando isso ao mundo externo. Com isso, temos a nossa consciência pessoal oriunda da educação que tivemos. Em seguida vem a parte grupal e a universal, sendo esta última a harmonização com o amor.

Somos aquilo que carregamos no interior

Os frutos que colhemos internamente são atraídos por toda a nossa bagagem familiar. Ou seja, uma carreira mal construída, por exemplo, deriva de uma má organização na construção do seu campo. Até que isso seja visto e esclarecido, ficará marcado por um estigma emocional comprometedor e destrutivo.

Causa e efeito

A composição natural do universo é pautada no equilíbrio máximo entre as interações. Desse modo se estabelece a ideia de causa e efeito, onde tudo o que fazemos gera consequências equivalentes. Observando essa premissa, precisamos entender algo sobre:

Saber doar

Ao fazermos a entrega de algo para alguém precisamos ser o mais genuíno possível nesta ação. Nesse caminho, temos de aprender a torcer pelo outro e desejar que fique bem. Consequentemente, isso colabora com o nosso desenvolvimento e nos torna melhores do que ontem.

Egoísmo

Em hipótese alguma minta sobre suas reais intenções sobre alguma coisa. O universo é sensível a isso e reconhecerá que você está simulando a sua vontade para conseguir algo. Como forma de lição, as portas que estavam abertas a você começam a se fechar.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Pertencimento

    Certamente já ouviu alguém falar que possui direito de família sobre alguma coisa. Nas ordens da Constelação existe um princípio de que temos o direito nato de pertencer à nossa família. É um direito de nascença, de modo que não pode ser mudado ou revogado.

    Acontece que, por causa de alguma tragédia provocada por alguém, o impulso natural é expulsar esse indivíduo do campo. Isso acaba por causar desequilíbrio, de modo que a ausência deste manche todo o campo da família. Não lhe negar o direito evita que toda a família sofra ainda mais com o que pode vir depois.

    Equilíbrio

    Outra das ordens da Constelação nos ensina que existe uma balança existencial nas relações que precisa ser respeitada. Ou seja, tudo o que você dá precisa ser retribuído de modo equivalente. Caso o contrário, o relacionamento será palco de disputas e discussões.

    Por mais que haja um impulso, evite entregar mais do que deseja. Da mesma forma não seja passivo e receba com mais frequência do que concede ao outro. Essas trocas equivalentes são o que ajudará a sustentar qualquer relacionamento em que esteja.

    Ordem

    Mais uma das ordens da Constelação familiar é o pilar da ordem. Basicamente existe uma hierarquia natural em que cada indivíduo possui um posto definido por suas ordem de nascimento. Não é algo escolhido e simplesmente isso é, obedecendo o ritmo da própria natureza.

    Assim, os mais velhos acabam tendo prioridade em relação à geração mais nova enquanto estes os respeitam. Contudo, cabe à geração mais antiga proteger e educar seus descendentes. Além do respeito e obediência, existe também uma troca e preparação entre as partes.

    Entregue apenas o que possui e somente pegue o que precisa

    Involuntariamente, muitos de nós procuram ser os mais úteis possíveis para aqueles que amamos. O problema acontece quando perdemos o controle sobre essa medida e entregamos mais do que deveríamos. Assim, evite ser um doador compulsivo e que entrega o que não tem ou pode.

    Além disso, evite pegar muito além daquilo que você realmente precisa. Muitos possuem algo parecido com a gula, fazendo com que prezem pelo tamanho e quantidade. Dentre as ordens da Constelação, você é instruído a ser minimalista e conciso.

    Seja um adulto ajudando outro adulto

    Estudando as ordens da Constelação, aprendemos que devemos ter autossuficiência física e emocional. Eventualmente encontramos com os que precisam de ajuda e vamos até o seu encontro. Contudo, não se pode agir como pai ou mãe de outra pessoa e fazer tudo por ela.

    Toda a ajuda é bem-vinda quando enfrentamos problemas, mas estes são os nossos problemas. Compele apenas a nós mesmos lidarmos primariamente com cada situação. É preciso que aprendemos a ser responsáveis a fim de alcançar a maturidade.

    Jamais force ajuda a alguém

    Quem nunca encontrou uma pessoa tão orgulhosa que fez de tudo para convencê-la a aceitar seu apoio? Entenda que este tipo de ajuda forçada serve apenas para criar um abismo entre as partes, separando vocês. Jamais se imponha sobre alguém e empurre sua ajuda sobre este indivíduo.

    As ordens da Constelação nos ensinam a darmos exemplos de que alguma pessoa saiba que pode contar conosco. Claro, isso sendo possível quando as circunstâncias permitem a você,pois lembre que não deve fazer mais do que pode.

    Evite julgamentos

    Infelizmente, algumas pessoas ainda julgam antecipadamente um objeto ou alguém sem conhecimento sobre. Essa idealização sem fundamento pode levar a enganos que, dependendo de sua natureza, podem ser irremediáveis. Com isso, se livre dos julgamentos e:

    Ame a todos como eles são

    Por mais diferente que seja, a natureza de uma pessoa simplesmente é e cada um carrega sua individualidade. Desse modo, faça um esforço para compreender a todos como eles são e amá-los dessa forma. Poderá notar que conseguirá viver em paz com eles e consigo.

    Coloque todos em seu coração

    O amor que emitimos precisa ser o mais genuíno e honesto possível. Procure colocar as pessoas em seu coração, fazendo um entendimento da alma delas.

    Seja empático com o sistema, não com apenas um membro

    Para encerrar as ordens da Constelação, trazemos um ensinamento para ampliar a sua perspectiva social. Muitos de nós carregam uma visão unilateral das pessoas e da posição que estas ocupam. Consequentemente, isso acaba por limitar o acesso emocional que temos a elas e vice-versa.

    Ao invés de ser empático de forma individual, tente olhar mais atentamente para um sistema. Este é resultado da união de um todo e quando ele é trabalhado, todos podem se sentir melhores.

    Considerações finais sobre ordens da Constelação

    As ordens da Constelação nos ajudam a moldar uma perspectiva mais construtiva sobre os relacionamentos e a própria vida. Após compreendê-las, assumimos uma postura mais transformadora e benéfica a todos os envolvidos. São diretrizes de como podemos conduzir o amor e fazê-lo frutificar.

    Após a leitura desse material, esperamos que a sua perspectiva sobre relacionamentos tenha crescido. Nunca é tarde para implementar mudanças que possam fazer a real diferença em nossas vidas. Você pode ser melhor do que foi ontem e manter essa constante quando o amanhã chegar.

    Mas se quiser um aprendizado contínuo, que tal se inscrever em nosso curso completo de Constelação familiar online? É uma excelente ferramenta para que possa olhar a um sistema por completo e entender a si mesmo como parte integrante e agregadora dele. As ordens da Constelação te ajudarão a ser uma fonte inspiradora de amor, educação e humanidade.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    11 + 13 =