Constelação e Relacionamentos

O papel do pai para Bert Hellinger (entenda)

A visão central da família se concentra na mãe, no pai e nos filhos, independente de quantos sejam. Enquanto o papel materno é bem estabelecido, o do pai permanece em alvo de apontamos e até má interpretação. Com a ajuda da Constelação, entenda melhor o papel do pai para Bert Hellinger e como isso afeta nossa vida.

Passagem para o mundo

O pai para Bert Hellinger significa uma passagem de liberdade para o mundo. Por meio dele, temos um convite em que novas possibilidades nos são mostradas e tocadas por nossa vontade. Enquanto a mãe nos alimenta e protege, o mesmo se encarrega de treinar para a convivência com a realidade externa.

Diariamente passamos por lições em que a coragem é ensinada e motivada a ser uma constante em nossas vidas. O papel do pai portanto, também se concentra em nos amadurecer para que tenhamos liberdade de fazer escolhas pessoais. Com isso, mesmo que sem perceber, nos tornamos pessoas melhores quando somos guiados pela existência dele.

Mesmo quando não nos damos bem a figura paterna se mostra presente e influente em nossas vidas. Se não há nada aparente a agradecer, agradeça por ele ter ajudado a lhe passar a vida. Esse é o melhor legado que poderá ter para construir sua trajetória pessoal.

Pai e mãe são equivalentes

O pai para Bert Hellinger se complementa perfeitamente com a mãe para gerar algo novo e belo. Ainda que os seus papéis possam se inverter e variar, um não existe sem o outro na concepção. Enquanto a mãe dá o alimento, o pai cuida da criança, embora precise mais da mãe no começo.

Quando a sua sobrevivência fica garantida, a criança será guiada pelo pai em direção ao mundo. A importância dele aos filhos acaba se condensando em um modelo de referência ao ser masculino. Enquanto o filho se espelha, a filha quando encontra um parceiro busca aquele que lembre o seu pai.

E assim buscamos pessoas que relembrem e se encaixem em alguns aspectos desse modelo. Isso porque é um modo de permanecer em contato com uma criação eficaz, confortável e inspiradora. Por outro lado, é uma oportunidade de rever as falhas de sua criação e tentar perdoar o pai.

Ensinamentos sobre o papel do Pai

O pai na constelação familiar, assim como a mãe, assume um papel de professor, nos moldando para a vida. Mesmo que isso não seja conversado, dia após dia ele nos dá exemplos das obrigações e vontades que possui com os filhos. Nisso, aprendemos com ele:

1. Autoridade

A figura do pai se torna um centro de autoridade, regendo a ordem e nos ensinando a nos impor na vida. Entretanto, isso pode colocá-los em posição de incompreensão e julgamento por partes de algumas pessoas. Porém, a criação saudável nos ajuda a termos disciplina e segurança.

2. Amadurecimento

Como aberto linhas acima, eles nos ajudam a crescer e nos construirmos socialmente, amadurecendo nossa postura. Para alguns, significa abandonar o papel lúdico do herói criado no coração dos filhos.

3. Ajuda

De um modo mais generalizado, os pais ajudam a cuidar e prover aos filhos nos mais variados aspectos. Com a ajuda deles aprendemos a encontrar um limite, fazendo isso por nós até quando necessário. Quando aceitamos isso, a lição é mais acessível, ao contrário do que a vida faz conosco.

Visão do pai para Bert Hellinger

A importância do pai para Hellinger era tão fundamental quanto da mãe de maneira equivalente. Embora possuam tarefas específicas, os dois são os pilares do desenvolvimento das crianças. O pai nos ajuda no mundo e a nossa mãe se mostra como o centro da nossa vida.

Porém, a mãe não pode sair do posto natural dela e assumir o lugar do pai porque não consegue. Em suma, o pai representa o espírito, a vontade de fazer e se arriscar e é um amor diferente do materno. Com isso, acaba expandindo o que a mãe trouxe antes, ampliando os limites da função dela.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Mesmo que assuste, a liberdade dada por ele é importante aos filhos para que percebam o mundo e sejam mais completos. Nisso, quando a mãe afasta os filhos do pai, impede também que eles possam progredir. Assim, o movimento passa pela mãe, chega no pai e se direciona aos filhos e depois o mundo.

    A recusa pelo pai

    Quando fazemos a recusa do pai acabamos deixando de lado também a autoridade aprendida com ele. Dessa forma perdemos a aula de como nos impor no mundo, ficando a mercê das escolhas de terceiros. Sem contar que a idealização da figura dele se torna palco de conflitos quando o assunto vem à tona.

    Para retornar ao poder dado pelo pai é preciso entender o que o move pessoalmente, onde está o amor escondido. Em vez de apenas imaginar, é entregar o tamanho que lhe cabe. O pai para Bert Hellinger merece um crédito, pois tem os seus próprios emaranhados e é preciso vê-lo como alguém comum.

    Nisso, olhe também a si mesmo, qual caminho seguiu e como se reconectar com a família. Por vezes, nossos próprios pais foram colocados em determinadas posições porque foram influenciados de um modo que não poderiam fugir. Quando nos alinhamos com nossos pais, independente de quem foram, conseguimos dar vários passos adiante.

    Sequelas

    Quando negamos os nossos pais acabamos por colocá-los como seres insuficientes, sem saber sobre qual o papel do pai. A mágoa e qualquer sentimento envolvido acaba nos levando a um declínio, criando um peso que impede de caminhar.

    Nisso, a criança quando se torna adolescente ou adulta poder vai poder sentir a lacuna do papel do pai, sentimentos como:

    1. Vazio

    A figura do pai não entregou algumas das mais lições que precisávamos enquanto crescíamos na família. Como dito linhas acima, a autoridade e a segurança para vivermos nossas vidas serão aprendidas de maneira dura. Retirar o pai do posto dele nos deixa presos e atados em determinado ponto do passado.

    2. Julgamento

    De maneira frequente as pessoas julgam os pais, condenando as suas ações dentro do seio familiar. Por conta disso que o fluxo familiar se mostra cada vez mais sensível quando afastamos o outro. Em vez de se esforçar para amar a si mesmo, investe parte do tempo revivendo uma dor antiga.

    3. Ingratidão

    Lembre-se que foi com a ajuda do pai que a vida que possui foi aceita e concretizada. Sim, cada contexto e situação é diferente, sabemos disso e não queremos que se una ao seu genitor de forma forçada. Porém, guardar a si mesmo a sensação de gratidão já ajuda a lidar melhor com outras questões.

    A carta de Bert Hellinger

    A importância do pai na Constelação familiar ficou muito bem estabelecida quando o próprio Hellinger escreveu ao pai dele. O mesmo compreendeu o valor do pai nas seguintes palavras:

    Querido papai,

    Por muito tempo eu não soube o que me faltava mais intimamente.

    Por muito tempo, querido papai, você foi expulso de meu coração.

    Durante muito tempo você foi um companheiro de caminho para quem eu não olhava, porque fixava meu olhar em algo maior, como me imaginava.

    De repente, você voltou a mim, como de muito longe, porque minha mulher Sophie o invocou.

    Ela viu você, e você me falou por meio dela.

    A exploração do conflito

    Quando penso o quanto me coloquei muitas vezes acima de você, quanto medo também eu tinha de você, porque muitas vezes você me batia e me causava dores, e quão longe eu o expulsei de meu coração e tive de expulsá-lo, porque minha mãe se colocava entre nós; somente agora percebo como fiquei vazio e solitário, e como que separado da vida plena.

    Porém, agora você voltou, como que de muito longe, para minha vida, de modo amoroso e com distanciamento, sem interferir em minha vida.

    Agora começo a entender que foi por você que, dia a dia, nossa sobrevivência era assegurada sem que percebêssemos em nosso íntimo quanto amor você derramava sobre nós, sempre igual, sempre visando o nosso bem-estar e, não obstante, como que excluído de nossos corações.

    Algumas vezes lhe dissemos como você foi um pai fantástico para nós?

    Você foi cercado de solidão e, não obstante, permaneceu solícito e amoroso a serviço de nossa vida e de nosso futuro.

    Nós tomávamos isso como algo natural, sem jamais honrar o que isso exigia de você.

    O perdão

    Agora me vêm lágrimas, querido papai.

    Eu me inclino diante de sua grandeza e tomo você em meu coração.

    Tanto tempo você esteve como que excluído do meu coração.

    Tão vazio ele estava sem você.

    Também agora você permanece amigavelmente a uma certa distância de mim, sem esperar de mim algo que tire algo de sua grandeza e dignidade.

    Você permanece o grande como meu pai, e tomo você e tudo que recebi de você, como seu filho querido.

    Querido papai, Seu Toni (assim eu era chamado em casa).” Bert Hellinger

    Considerações finais sobre o pai para Bert hellinger

    O papel do pai para Bert Hellinger se concentra na educação e preparação para lidar com o mundo externo. Enquanto a mãe nos dá sustento e acolhimento, o pai acaba por lapidar a nossa postura diante do mundo.

    Sobre os pais que faleceram quando os filhos eram novos, tenha em mente que ele cumpriu o seu papel. Ajudou os pequenos a terem o seu primeiro sucesso na vida, sendo ela mesma extremamente importante. Nisso, eles ganham duas variantes do amor, o materno e paterno, para se completarem e crescerem internamente.

    A fim de aprimorar a sua vista sobre o amor e relações familiares, se inscreva em nosso curso 100% online de Constelação familiar. Com as aulas você vai conseguir aprimorar suas habilidades e percepção natas, de modo a encontrar a si mesmo e o seu próprio potencial. Assim como o pai para Bert Hellinger, a Constelação vai te ajudar a se colocar no mundo com segurança.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    4 × dois =