Constelação e vida diária

Meu filho não me obedece: 13 recomendações

“Meu filho não me obedece!” Se você diz essa frase ou pensa nela com muito frequência, reunimos 13 recomendações para te ajudar a lidar com os seus filhos.

“Meu filho não me obedece!” Se você diz essa frase ou pensa nela com muito frequência, você está no post certo. Nós reunimos 13 recomendações para te ajudar a lidar com os seus filhos. Então, venha conferir.

Meu filho não me obedece: 13 recomendações

1. Conecte-se e depois direcione

Muitas vezes achamos que a criança está fazendo apenas birra ou que o adolescente está querendo fazer drama. Contudo, em alguns momentos pode ser que o seu filho não tenha te escutado e entendido o que você deseja dele.

Por isso, é importante que você certifique-se que a sua comunicação está clara. Uma dica é conversar com ele no mesmo nível de olhar, então, se necessário, agacha-se. Além disso, transmita a sua mensagem e questione se ele compreendeu a sua solicitação.

2. “Meu filho não me obedece”, por isso vá direto ao assunto

Outra forma de ser claro com o seu filho, é ser explicativo do que você quer dele, aliás dê instruções precisas. Então, em vez de dizer “apronta-se para ir à escola” diga “desligue tv/video-game, pegue seus materiais escolares e vista a sua roupa”.

3. Faça desafios divertidos

Todas as crianças gostam de brincar e se divertir. Sendo assim, uma boa estratégia para fazer seu filho obedecer às suas ordens é transformar a sua solicitação em um jogo divertido.

Assim, se deseja que ele vista o uniforme da escola, diga “Eu aposto que você não consegue vestir a sua roupa em 30 segundos!”. Além disso, se possível, faça pequenas apostas e quem ganhar pode fazer um pedido simples.

4. Faça elogios

Quando o seu filho fizer algo que você pediu, não poupe elogios para ele. Aliás, essas palavras de enaltecimento são ótimas maneiras de incentivo. Com isso, a criança irá saber que o que ela fez é algo correto, além de ajudá-la a desenvolver a personalidade dela.

5. Demonstra por meio de suas ações

Já ouviu aquele ditado “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”? Então, ela não faz nenhum sentido aqui. Afinal, se você quer que seu filho tenha um tipo de comportamento, não basta apenas falar, tem que fazer.

Então, se você quer que ele não jogue lixo no lugar errado, você tem que colocar o seu lixo no local correto. Aliás, dar o exemplo, será mais fácil para o seu filho entender o que deve ser feito, já que você demonstrou isso.

6. Fale sobre causa e consequência e evite “meu filho não me obedece”

Quando você for pedir alguma coisa para o seu filho, seja claro o porquê de estar solicitando isso. Além disso, explique o que pode ocorrer se ele não fizer o que você está pedindo.

Então, se a criança não quer ir dormir na hora certa, por exemplo, fale que é importante ele ir dormir no momento certo. Aliás, diga que se não ir na cama no horário adequado, no outro dia ele irá se sentir muito cansado ao se levantar.

7. Dê opções de escolha

Parece mais fácil tomar todas as decisões e dizer para o seu filho o que ele vai fazer. Veja bem, não é deixar que ele decida as coisas, mas sim passar uma ideia de que a criança está tomando as decisões.

Por exemplo, se você quer que seu filho guarde os sapatos, dê uma outra obrigação “disfarçada” de opção. Assim, diga: “você quer guardar os seus tênis ou suas roupas?”. Afinal, com essas opções, ele se sentirá mais motivado para realizar as suas tarefas.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

8. Mude o tom

É comum usar as palavras como “pare” ou “não” para educar uma criança. Contudo, elas não conseguem perceber essas expressões. Por isso, a melhor forma de contornar isso, é trocá-las por palavras positivas e dizê-las em tom encorajador.

Leia também:  Frases sobre felicidade: Inspire-se com cada uma delas

Um exemplo é se a criança for menor e tiver brincando com um gato e está o machucando, diga “faça um carinho” ao invés de “não o machuque”. Contudo, caso seja difícil chamar a atenção dela, sussurre para ela, pois assim será despertado a curiosidade do pequeno.

9. Saiba ouvir

Temos a sensação de que apenas os pais têm a autoridade de falar e decidir o que é melhor para o filho. Entretanto, para tomar as decisões, é importante saber ouvir o que o filho deseja.

Afinal, eles também têm dúvidas e costumam questionar as medidas tomadas pelos seus responsáveis. Essa atitude dos filhos não deve ser reprimida pelos pais, já que esses questionamentos são bons sinais de que eles têm mentes autônomas e criativas.

Então, responda com calma as dúvidas de seus filhos sobre as suas decisões. E, se possível, estimule essas perguntas. Além disso, faça desse momento delicado um debate saudável, pois assim ele se sentirá respeitado.

10. Tenha calma

Quando for ter uma conversa mais difícil com seu filho, lembre-se: tenha calma! Já que nada pode ser resolvido com gritos ou pior com xingamentos. Além disso, ter esse tipo de reação, não importa qual seja o teor do diálogo, só irá piorar a situação.

As brigas nunca são respostas para qualquer tipo de questionamento ou atitude que o seu filho fez. Aliás, isso pode resultar em um ambiente ruim de convívio entre pais e filhos.

Desse modo, se perceber que está perdendo a cabeça ou que a criança está deixando de lado a educação, dê uma pausa. Só volte para a conversa quando estiver com a cabeça mais fresca e no lugar. Assim, você verá que irá resolver a situação da melhor maneira possível.

11. Coloque limites para evitar “meu filho não me obedece”

Colocar limites para o seu filho é muito importante para qualquer relacionamento entre pais e filhos, além de ajudá-lo a conviver em sociedade. Por isso, imponha limites, mas seja maleável. Ou seja, saiba entender que as punições nem sempre são a melhor maneira de fazer a criança entender que deve cumprir as suas recomendações.

12. Não deposite as suas expectativas no seus filhos

Parece difícil seguir essa recomendação, mas é importante não colocar em seus filhos as suas expectativas. Desejar o melhor para eles é uma coisa muito diferente do que esperar exatamente aquilo que você quer. Aliás, esse tipo de atitude pode ser prejudicial para as crianças.

Afinal, impor certas coisas para o seu filho fazer de forma muito incisiva pode gerar pressão e ansiedade neles. Além disso, os pequenos que passam por essa situação tendem a serem arredios e desobedientes.

Por isso, deixe que os seus filhos escolham o que desejam fazer o seu papel é apoiar as decisões. Ter esse tipo de parceria faz com que seu pequeno te obedeça, além de confiar e respeitar você.

13. Participe do dia a dia de seu filho

Para terminar a nossa lista de dicas para quem fala e pensa em “minha filha não me obedece”, vamos falar sobre a participação dos pais. É uma dica muito importante que os pais estejam presentes no cotidiano do filho. Mesmo que a rotina do dia a dia possa atrapalhar um pouco a seguir essa recomendação.

Vale destacar que é muito difícil ter o respeito dos filhos sem fazer parte do cotidiano deles. Então, participe da vida escolar dele. Ajude-o a realizar as atividades e sempre pergunte o que ele fez no dia ou que pretende fazer no dia seguinte.

Considerações finais sobre meu filho não me obedece

Nós esperamos que você tenha gostado do nosso post sobre meu filho não me obedece. Por isso, te convidamos a conhecer o nosso curso de Constelação Familiar. Com as aulas 100% online, você estará apto para resolver e prevenir conflitos familiares, assim como lidar com crianças desobedientes. Então, não perca essa chance e inscreva-se já!

Leia também:  Instituto Ipê Roxo Constelação Familiar: história, cursos e local

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + nove =