Constelação e RelacionamentosConstelação Familiar

Manipulação: 5 séries para maratonar na Netflix

Sofá, pipoca e Netflix: um dos melhores programas para fazer nos fins de semana! E se for para maratonar séries, melhor ainda. Hoje vamos indicar cinco séries para assistir na Netflix sobre manipulação. É uma estratégia que aparece em diversos contextos. Confira!

Bandersnatch (Black Mirror): manipulação de enredo

Bandersnatch tem formato de um filme, mas faz parte da série Black Mirror. Essta, por sua vez, possui 4 temporadas com episódios independentes entre si. Todos os episódios de Black Mirror falam de um futuro em que a relação dos seres humanos com a tecnologia toma proporções absurdas e muitas vezes catastróficas.

Em uma inovação da Netflix, Bandersnatch foi lançado como um filme interativo, onde o espectador pode fazer as escolhas sobre o personagem. Assim, é você quem está no controle da manipulação e a história fala sobre isso. Em algumas das linhas do tempo, o protagonista tem consciência de que está sendo manipulado e tenta descobrir as causas.

Nesse contexto, a história conta a saga de um jovem rapaz que deseja desenvolver um jogo de videogame chamado Bandersnatch. Jogo esse que é baseado em um livro, que por sua vez também é interativo. Assim sendo, o leitor faz as escolhas das ações também. Segundo a Netflix, são 5h de filme editado, com 6 finais alternativos e milhares de combinações da linha do tempo. Ou seja, a experiência pode ser muito diferente entre um espectador e outro.

Nesse contexto, todos os episódios de Black Mirror são importantes de assistir, pois mostram um futuro não tão distante. Nele, nos deixamos ser afetados pela tecnologia. Assim sendo, vale acrescentar a série toda na lista!

The Sinner: manipulação religiosa

Essa série possui duas temporadas, com histórias diferentes entre si. A primeira temporada fala sobre uma mulher que assassinou um homem enquanto estava num momento de lazer em família. Ela não faz ideia do que a fez cometer tal ato, não lembra de ter conhecido o homem e não lembra de nada na sua vida que possa ter sido um gatilho. Ao longo dos episódios, vão sendo desvendadas algumas pistas sobre o que levou a protagonista Cora a cometer assassinato, mesmo sem querer.

A segunda temporada não foi tão bem aceita quanto a primeira, mas aborda um tema muito importante: a manipulação que seitas religiosas têm na vida das pessoas. No caso da história, uma criança chamada Ambrose envenena seus próprios pais por conta de sua ligação com uma seita religiosa. Assim, a temporada segue explorando o tema tão complexo e perigoso que é a influência dessas seitas na vida de pessoas. Nesse contexto, trata-se de fiéis que buscam por resoluções rápidas para problemas.

The Sinner significa “pecador”. Nesse contexto, observa-se que nas duas temporadas há um cunho religioso envolvendo os protagonistas. Contudo, apesar da religião, são pessoas que cometem pecados. Ademais, a série também mostra o processo de investigação. Assim sendo,  para quem gosta de suspenses investigativos essa série é uma excelente opção para a maratona!

House of Cards: manipulação na política

Nessa série, o tema manipulação acontece dentro da política. Frank Underwood e sua esposa, Claire Underwood, não medem esforços para seu crescimento pessoal. Eles são extremamente sagazes e trabalham em sintonia e manipulam as pessoas ao seu redor para conseguirem o que desejam. Nesse contexto, muitas pessoas chegam a comparar a trama com o cenário político do Brasil, já que, de fato, ela explicita muitos jogos de interesse político que encontramos por aqui.

Assim, a história começa com Claire coordenando um negócio de arte, enquanto Frank é congressista na Casa Branca. No entanto, eles querem cada vez mais. Dessa forma, juntos elaboram planos para subir na escala do poder. Contudo, acabam deixando um rastro de confusão atrás deles, mas que sempre conseguem resolver.

Na última temporada, o personagem Frank Underwood não participa mais. Isso porque o ator Kevin Space foi demitido após acusações de assédio. Assim sendo, a história se passa em torno de Claire. Sabendo disso, vale começar a assistir House of Cards prestando atenção em Claire, e como ela também vai subir na escala do poder.

Scandal: manipulação da opinião pública

Você já parou para pensar quem são as pessoas que apagam o fogo de empresas que passam por uma crise de imagem? Como por exemplo, uma companhia aérea que, por erro, perde um avião cheio de tripulantes? Ou então, uma construtora que diminuiu a qualidade dos materiais para economizar, comprometeu a estrutura da construção e deixou seus compradores no prejuízo? Ou até mesmo políticos que são flagrados em casos graves de corrupção, que depois de um tempo as pessoas esquecem?

Olivia Pope, a protagonista de Scandal, é a pessoa que apaga esses incêndios. Ela é uma mulher reconhecida em seu meio profissional por resolver qualquer tipo de problema, até mesmo negociação com sequestradores. Assim, Olivia é uma advogada ilustre que abriu um escritório de relações públicas, para lidar com os casos mais graves de crise de imagem. Nesse contexto, ela é muito perspicaz na arte de manipular a opinião pública, fazendo com que seus clientes saiam de situações extremamente delicadas.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Ademais, Scandal também se passa muito no cenário político, já que Olivia possui relação forte com o presidente dos Estados Unidos. Assim sendo, na série, vemos também como se conduz campanhas políticas e jogos de interesse dentro do governo.

    Na série, no contexto dos Estados Unidos, também é mostrada uma organização ultrassecreta. Nesse contexto, aborda-se como ela manipula até mesmo o alto escalão do governo com o objetivo de manter a democracia em ordem.

    Scandal já tem 7 temporadas lançadas na Netflix. Assim, pode preparar um balde gigante de pipoca que tem muito episódio para maratonar!

    Mindhunter (O Caçador de Mentes): manipulação e crime

    Essa série é baseada em fatos reais, que conta a história de dois pesquisadores do FBI que estudam as motivações e o funcionamento da mente de assassinos em série. Na época, o termo “serial killer” ainda não havia sido designado para essas pessoas. Trata-se de assassinos que não possuem uma motivação como situação de briga, defesa ou vingança para cometer o assassinato.

    Os episódios se passam com os dois agentes entrevistando grandes assassinos em série da história, como Edmund Kemper e Charles Manson. Para eles, ficava explícito como os sujeitos da pesquisa não tinham nenhuma aparência de assassinos ou davam quaisquer pistas que indicassem que eram perigosos. Eram pessoas normais, cidadãos ativos na sociedade, com família e vizinhos.

    A maioria deles também eram extremamente sociáveis, ficavam amigos de todos e ganhavam a confiança. Assim, eles sabiam manipular a outra pessoa para que elas atendessem aos seus próprios interesses. Trata-se de atitudes simples, como abrir uma porta ou pedir uma carona.

    Diferente de outras séries e filmes do tema serial killer, Mindhunter mostra a perspectiva dos investigadores, o dia-a-dia numa agência policial e o processo de pesquisa. Assim, ela não mostra assassinatos nem métodos, como a série Dexter. No entanto, visa ao esclarecimento do que está por trás desses assassinos e dos investigadores.

    Assistir e aprender

    Podemos tirar um proveito também dos nossos momentos de lazer para estudar o comportamento humano. Assim sendo, as séries citadas acima mostram como a manipulação funciona em diferentes contextos. Indique também para seus amigos e boa maratona!

    Contudo, caso tenha interesse em explorar ainda mais como estratégias podem afetar relacionamentos, confira nosso curso EAD. Além da manipulação, exploramos outros temas que podem te ajudar em seus relacionamentos. Além disso, você será capacitado a auxiliar outras pessoas.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    um × 4 =