Constelação e RelacionamentosConstelação Familiar

Fobia social: conceito e exemplos

A fobia social é um assunto sério, e que merece ser trabalhado e discutido. Se você chegou até aqui, é porque já ouviu falar sobre o tema, ou leu sobre isso em algum lugar. Por outro lado, é possível que você também sofra com a fobia social.

Este artigo pretende te ajudar a conhecer mais sobre o tema, além de suas possíveis causas, sintomas, e diagnósticos. Você poderá ainda entender os termos que compõem o tema e, claro, o tratamento.

Para começo de conversa, achamos interessante começar pelo significado das palavras que compõe o termo. Isso para que a partir do conhecimento do que é fobia, você entenda o que é ter fobia social.

Fobia segundo o dicionário

Quando procuramos no dicionário pela palavra fobia, nós encontramos que é um substantivo feminino. A etimologia dessa palavra provem do grego phóbos e pelo francês phobie. E em relação a definição vemos:

  • Sentimento exagerado de medo ou aversão;
  • É uma psicopatologia;
  • Sensação patológica de angústia intensa e persistente;
  • Aversão a certos objetos, circunstâncias ou sentimentos.

Os sinônimos de fobia são: terror, medo, repugnância, aversão. Já entre os antônimos, vemos: valor, valentia, coragem.

Social segundo o dicionário

Etimologicamente, a palavra social vem do latim socialis. Em nossa língua, ela pode ter a função de adjetivo ou de substantivo (masculino). Dentre suas definições lemos:

Enquanto adjetivo:

  1. Sociável, ou seja, que prefere estar na companhia de outras pessoas;
  2. O que se refere à sociedade e aos cidadãos;
  3. Algo formal, ou seja, algo em que há solenidade;
  4. Relacionado com uma empresa ou instituição que é de duas ou mais pessoas;
  5. Refere-se ao lugar que as pessoas ocupam na sociedade;
  6. Que caracteriza uma ação de caridade ou entretenimento.

Quando substantivo masculino:

  1. Algo coletivo.

Dentre os sinônimos de social, vemos civil. Dentre os antônimos, vemos antissocial.

Conceito de fobia social

Agora que já vimos as definições dos termos que constituem fobia social, então vamos falar dela.

Você também pode encontrar pessoas que chamam a fobia social de sociofobia. Ela é, basicamente, uma doença mental crônica em que as interações sociais causam uma ansiedade irracional. É quando uma pessoa está exposta à avaliação social e fica alarmada, muito tensa, com medo e desconforto por isso. É algo tão intenso que interfere na maneira da pessoa de viver.

E a pessoa que passa por isso tem consciência que seus medos são irracionais, mas não consegue controlar. Isso as leva a evitar situações sociais. Além disso, elas sentem que são julgadas como fracas e estupidas por todos e a todo o tempo.

Saiba mais

Por isso, como dissemos, elas se isolam. Elas também buscam ser perfeccionistas e são determinadas. No entanto, com isso desejam evitar o julgamento dos outros. Essa preocupação com a opinião também desperta grande ansiedade antecipatória e timidez excessiva.

A timidez torna-se algo patológica quando por causa dela a pessoa sofre algum prejuízo pessoal. Ou seja, deixa de concluir algo na vida por medo de ir a lugares, enfrentar pessoas.

A fobia social é uma doença comum e que tem mais de mil casos por ano no Brasil.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Sintomas

    Nesta parte do artigo vamos falar sobre alguns sintomas da fobia social. Porém, antes disso precisamos dizer que essa é doença requer um diagnóstico médico. Ou seja, você pode identificar alguns sintomas em você, mas só quem pode te dar um diagnóstico é um médico.

    Dentre os sintomas vemos o medo excessivo de situações em que a pessoa possa ser julgada. Uma preocupação com constrangimento ou humilhação. E ainda receio de estar ofendendo alguém. Podem desenvolver depressão. Apresentam muito medo, ansiedade, isolamento social, vergonha excessiva.

    Dentre as alterações fisiológicas, quem tem fobia social apresenta:

    • tensão muscular;
    • palpitação;
    • sudorese;
    • rubor facial;
    • dificuldade para falar;
    • mal-estar abdominal;
    • mãos e corpo trêmulos;
    • falta de ar;
    • sensação de frio no peito;
    •  a pessoa também pode ficar com a boca seca, palpitações e vontade frequente de urinar.

    Quem tem fobia social também tem pensamentos negativos em relação a alguma situação e à própria conduta. Isso além de fugir de situações sociais, como já falamos. Além disso, a pessoa pode chorar muito por nervosismo.

    Todos esses sintomas podem ocorrer de modo mais suave até o mais agudo. Além disso, eles podem mudar no decorrer do tempo e se agravarem.

    Diagnóstico

    Os especialistas que podem diagnosticar fobia social são o clínico geral e o psiquiatra. Não há nenhum exame que pode detectar o transtorno; ele é feito com base em avaliação de questionários pelos médicos.

    O diagnóstico é relativamente simples e, normalmente, quem busca ajuda profissional é porque percebeu que possui os sintomas. É preciso sim ficar atento aos sinais em situações sociais e procure um médico. Assim, faça uma lista com os sintomas que você percebeu. Responda as perguntas com sinceridade.

    Causas

    O responsável pela formação e pelo controle das emoções em nosso cérebro é a amígdala cerebelosa. Quem possui essa estrutura funcionando em maior atividade podem apresentar quadros maiores de ansiedade. Isso pode provocar também insegurança em momentos de sociabilidade. Pode também estar relacionada com causas genéticas e de hereditariedade.

    A fobia social também pode ser associada a maneira como a pessoa foi criada pelos pais. Também está ligada a traumas de infância, rejeição, bullying, ridicularização, conflitos familiares e outros eventos traumáticos.

    Outra causa possível é o temperamento. Crianças mais tímidas e contidas estão mais propensas a desenvolver fobia social.

    Tratamento

    Em relação ao tratamento, o aconselhado a quem tem fobia social é fazer terapia. Além disso, o médico pode receitar antidepressivos para ajudarem a aumentar a confiança e interação.

    Como a gente disse, os especialistas que podem diagnosticar a doenças são o psiquiatra e o clínico geral. Mas o tratamento pode ser ministrado por três profissionais:

    • Psicólogo clínico: ele trata transtornos mentais principalmente com psicoterapia.
    • Psiquiatra: ele trata transtornos mentais, principalmente, com medicamentos e terapia comportamental.
    • Clínico geral: ele previne, diagnostica e trata doenças.

    A terapia cognitivo-comportamental foca a modificação de comportamentos, respostas emocionais e pensamentos negativos ligados a doença. Tem como principal objetivo o “enfraquecimento dos esquemas disfuncionais”.

    Dentre os medicamentos que podem ser prescritos estão:

    • Inibidor seletivo de recaptação de serotonina (ISRS): ele alivia sintomas de depressão e ansiedade.
    • Antidepressivo: ele previne e/ou alivia a depressão e regula o humor.
    • Sedativo: ele provoca sonolência, calma e sentidos entorpecidos. Contudo, é preciso ter cuidado, pois alguns podem viciar.

    Conclusão

    A gente espera que esse artigo tenha te ajudado. E lembre-se, se você se identificar com alguns dos sintomas da fobia social, procure ajuda. Os profissionais estão preparados para te ajudar.

    Falando nisso, se você quiser ajudar pessoas com fobia social ou tratar um problema seu, conheça nosso curso de Constelação Familiar 100% EAD. Nele, discutimos como a família pode interferir em problemas como traumas, transtornos, e doenças. Por isso, não deixe de conferir!

    One thought on “Fobia social: conceito e exemplos

    1. Tenho 37 anos e fobia social desde sempre
      Não consegui sequer completar o ensino médio e não quero mais viver sendo um fardo pra família carregar
      Já fiz mais de 10 anos de terapias e medicamentos diversos e nada disso ajudou
      Eu travo em situações sociais e não consigo falar e mal lembro meu próprio nome quando estou em crise de ansiedade,inclusive já desmaiei diversas vezes ao tentar enfrentar situações sociais
      Hoje eu queria poder recorrer a eutanásia já que nada dá resultado comigo

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    oito + 5 =