Constelação e RelacionamentosConstelação Familiar

Família Tóxica: 10 características e dicas para evitar

O termo “família tóxica“designa um grupo familiar que traz angústia e sofrimento emocionais por causa do comportamento que alimentam. Acontece que muitas pessoas não sabem identificar de forma adequada esses indivíduos, pois, para isso, é necessário mergulhar na dor que eles causam. Por isso que no texto de hoje nós vamos te ajudar a identificar 10 características de uma família tóxica e como trabalhar os efeitos dessa relação.

Família não se escolhe

Uma coisa é você se aproximar dos amigos e colegas de trabalho, já que isto é opcional. Por outro lado, ninguém escolhe a família, de modo que o laço que os une seja eterno. É preciso que você entenda isso e evite se apegar ao confronto com essa natureza e os problemas inerentes.

Danos

Conviver com uma família tóxica acarreta uma série de consequências danosas aos indivíduos. A permissão da carga negativa desse vínculo em sua vida se torna a porta de entrada para o declínio existencial. Os mais sensíveis, acabam dando sinais mais vigorosos e sofrendo ainda mais pela convivência acumulativa de padrões ruins.

Alguns dos principais danos causados são:

  • estresse;
  • ansiedade;
  • depressão;
  • pouca autoestima;
  • dependência emotiva;
  • transtorno de personalidade;
  • sensação de inferioridade;
  • e a incapacidade de lidar com conflitos.

10 sinais

Infelizmente, é muito fácil caracterizar uma família tóxica. Há sinais muito claros de sua conduta destrutiva e como isso afeta todos os envolvidos. Dentre os diversos sintomas, podemos citar:

Falta de individualismo

Famílias com problema de relacionamento não se importam muito em respeitar o espaço dos membros. A união se dá por meio da obrigação, já que isso somente acontece pela presença física dos membros. Em alguns casos, há relatos da necessidade de aprovação dos demais graças aos relacionamentos tóxicos.

Problemas de comunicação

É bastante comum a falta de comunicação entre os membros, já que isso se torna algo incômodo de fazer. Nisso, existe uma independência de cada indivíduo, mesmo partilhando espaço em comum. Ainda que sejam autossuficientes, não conseguem desenvolver facilmente um vínculo afetivo.

Superproteção X desleixo completo

A superproteção acontece quando se tira completamente a autonomia do outro, o privando de situações que impeçam seu desenvolvimento natural. Do outro lado está o desinteresse completo nas emoções ou criação dos filhos. De um jeito ou de outro, os extremos são muito prejudiciais à criação.

Manipulação emotiva

Alguns membros se valem da natureza emocional dos outros para obterem algum tipo de vantagem. Por exemplo, a chantagem emocional feita por muitos pais ou crianças em desenvolvimento. Eles utilizam disso para obterem carinho e atenção de forma egoísta.

Evitar falar sobre problemas

Aqui podemos observar que a comunicação está desequilibrada em nível extremo. Uma família que não consegue falar sobre problemas acaba gerando uma tensão contínua e incômoda. Com o tempo, isso chega a um ponto crítico onde o bem-estar geral, se houver, é arruinado por completo.

Distância emocional

Neste ponto, os pais não suprem a carência emotiva fundamental que os filhos têm. Embora não faltem o básico à sobrevivência, como alimentação e cuidados higiênicos, as emoções são pouco trabalhadas.

Numa relação com frieza, sem abraços e compreensão, as crianças crescem sem referência afetiva e comprometem sua perspectiva pessoal.

Falta de limites

Você já deve ter encontrado uma criança que recebeu criação solta, sem qualquer tipo de limite. Acontece que isso acaba fixando a ideia de que ela pode fazer e ser quem ela quiser. De todo modo, isso acarreta em desequilíbrio emocional que a seguirá ao longo da vida.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

Brigas constantes

Devido à falta de respeito nos lares, as brigas fazem parte do cotidiano da família. Em casos mais graves, a violência física, mental e emocional se tornam ingredientes aos conflitos.

Leia também:  Como funciona um Curso de Constelação?

Inflexibilidade

Basicamente, é como se os membros tivessem uma postura definida no círculo que não pode ser mudada. Assim que isso é alterado, o drama familiar se inicia e cada um vai tentar diminuir a força de vontade de alguém.

Assim, fica claro que um indivíduo não pode ter autonomia e começar a gostar de si mesmo.

Inversão de papéis

A inversão de papéis acontece quando os pais tomam uma postura imatura se comparados aos filhos. Com isso, os filhos acabam obrigados a tomarem o lugar dos pais, assumindo suas funções.

Em situações mais sensíveis, os filhos assumem o lugar dos pais com o consentimento destes, fazendo abandono do seu lugar natural.

A repetição

Um dos principais problemas da família tóxica é a perpetuação desse padrão de convivência na linhagem. Especialmente as crianças que desenvolvem o mesmo comportamento e consequências quando chegam na fase adulta. Por isso que a resolução dos conflitos, especialmente com ajuda externa, é vital para acabar com o problema.

Admita que vive em uma família tóxica

Por incrível que pareça, muitas pessoas acabam negando, inclusive a si mesmas, que vivem em uma família tóxica. Isso acontece para evitar interferência externa e também fugir da zona de conforto destrutiva que se instalou ali.

Portanto, é interessente propor-se a uma mudança, pois isso evita que dores ainda maiores tomem forma e impeçam que você viva de uma vez por todas.

Dicas

Não é fácil em qualquer aspecto viver dentro de uma família tóxica. Antes de qualquer coisa, você precisa se mostrar resistente com o círculo familiar que vive. Para se blindar, tente cultivar:

Paciência

O erro mais comum das pessoas é acreditarem que vão viver nesse círculo para sempre. Se não consegue mudá-lo por hora, se afaste e tente se reconstruir sozinho. Lembre-se que nada dura para sempre, principalmente situações ruins.

Empatia

Se dê ao menos o trabalho de avaliar a situação e compreender o ponto de vista do outro. Somos responsáveis apenas por aquilo que fazemos e todos precisam entender isso. Por meio da empatia, você vai compreender a postura do outro, julgando melhor a situação e como você se encaixa nela.

Evitar impulsos

Se a sua primeira reação é lutar ou fugir quando os conflitos se iniciam, repense isso. Os impulsos acabam te acompanhando ao longo da vida e se repetindo em situações distantes do círculo familiar. Contudo, sem uma reavaliação disto, terá problemas para lidar com outros conflitos e situações importantes em sua vida.

Respeito a intimidade

Assim como você, todos os outros membros da família precisam de um espaço próprio. É o momento que possuem para praticarem a sua individualidade e serem quem são de forma confortável. Da mesma forma que deseja isso, respeite a individualidade dos demais.

Pensar duas vezes antes de falar

Pense 2, 3, 4 ou quantas vezes forem precisas antes de falar. Isso vai evitar que comente algo que acabe por gerar algum tipo de conflito. Dessa forma, você se exercita contra situações que poderá se arrepender.

Ajuda profissional

Se for possível, tente sugerir o acompanhamento de um terapeuta para trabalhar a essência da sua família tóxica. É preciso que todos entendam que há problemas ali que não podem resolver sozinhos. Por isso que um psicólogo, por exemplo, pode obter um olhar imparcial e trazer possibilidades positivas de relacionamento.

Considerações finais sobre família tóxica

Como já dito, a família tóxica se trata do declínio total da relação afetiva onde todos são prejudicados. Nesse contexto, o contato familiar se torna uma obrigação incômoda e ausente de qualquer prazer.

No momento em que ganham consciência do veneno que circula nos laços familiares, podem trabalhar juntos em um antídoto. Assim, entre muitas coisas, a consciência é um passo importante para que se resgate a autonomia e individualidade.

Leia também:  Pais Consteladores: quais os benefícios? [vídeo]

Portanto, para que consigam trabalhar esse empecilho, se inscrevam em nosso curso de Constelação familiar 100% online. O curso estimula que os alunos aprendam a lidar com isso a longo prazo em suas vidas. No fim dessa formação, passarão de família tóxica a família que sabe viver em harmonia, dedicação, amor e apoio mútuo.

7 thoughts on “Família Tóxica: 10 características e dicas para evitar

  1. Eu só quero compartilhar minha experiência e testemunho aqui .. Eu fui casado por 6 anos com meu marido e, de repente, outra mulher entrou em cena .. ele começou a me saudar e era abusivo .. mas eu ainda o amava com todo o meu coração e o queria a todo custo … então ele pediu o divórcio … minha vida toda foi se desfazendo e eu não sabia o que fazer .. ele saiu de casa e abandonou as crianças ..

    1. Realmente isso e muito triste… imagino como deve ser difícil sabe chega essas horas em nossas vidas mais o que realmente importa e que nada de pior aconteceu como acontecem em casos de jornais como o marido matar a esposa e coisas horríveis.Algumas pessoas as vezes devem ficarem sozinhas já que a convivência e meio difícil para algumas pessoas mais se você ainda o amava muito isso quer dizer que você e uma pessoa de coração de pureza que não sentiu ódio você e uma pessoa boa e se ele saiu e por que não viu isso no dia de que Deus voltar tudo se resolvera e se Deus quiser iremos todos para o céu ? tenha uma boa tarde uma boa noite minha amiga

  2. Eu realmente vivo em uma família Toxica…eu me sinto culpada por tudo eu odeio tudo minha autoestima e baixa e tudo que eu quero e morrer minha família não liga pra mim ? eles me deixam de lado dizem pra eu fazer isso aquilo que não pode me ajudar quando eu falo sobre meu psicólogico eles não ligam dizem que eu sou louca que eu fasso coisas por maldade que eh sou ma terrível desde dos meus 6 anos e assim…além de eu ter distúrbios de personalidade ansiedade eu me sinto as vezes insana querendo machucar os outros…as vezes eu choro e rio do nada eu sinto que estou ficando louca a cada dia que passa eu já tive depressão e tive que me trata SOZINHA POR QUE MINHA FAMÍLIA NAO SE IMPORTAVA COMIGO ME DEIXARAM NA MÃO 2 ANOS ME TRATANDO SEM PSICÓLOGOS SEM REMÉDIO SEM NADA com isso veio minha mente poluída perturbada…e sabe quantos anos eu tenho?(11) eu não cresi normalmente eles me batiam e tudo… infelizmente só tive 2 amigos e pra piorar eu sou lésbica e minha família preconceituosa eu não disse pra eles e NUNCA vou dizer com medo deles me expulsarem de casa eu já namorei em segredo já tive amigos pela internet que me ajudaram pelo menos mais não podia confiar em qualquer um então os deixei e tô passando por esses problemas ? todos os dias (se tive algum sinal de interrogação são erros do teclado) estou compartilhando minha história além disso já sofri bullying pela minha aparência e foi horrível só por que eu sofri um acidente no fogo eu fiquei meio deformada…e bom desabafar isso obg se vc leu…eu ainda amo minha família apesar de sentir um ódio por todos os seres humanos e eu mesma eu ainda amo a todos e não vou desisti da minha vida.obg por ler ^-^ que Deus te abençoe meu irmão ou minha irmã

    1. Olá! Eu sinto muito que você sofra tanto sendo tão jovem, tanto que me sensibilizou muito por ser ainda uma criança e posso entender a sua dor e gostaria de contar a você (e quem precisar pra não se sentir só) meu relato.
      Também vivo numa família tóxica, tenho 18 anos e hoje me fui agredida fisicamente com um puxão de cabelo e empurrão pelo meu pai, minha mãe e meu irmão só ficaram olhando e quando eu estava no chão foi a pior sensação, parecia que a pessoa errada era eu! Me levantei e falei pra ele me bater mais, então tentei bater nele, mas ele é mais forte e cai no chão novamente, me senti tão fraca, a verdade era que queria me machucar!
      Em relacionamento abusivos essas situações são normalizadas mesmo.
      É difícil superar um trauma (apanhei muito na infância) quando ele se repete (mesmo que de formas mais leves) e vc não tem a quem recorrer. É tóxico se sentir culpada mesmo depois de ter sido agredida. É tóxico ter brigas infantis frequentes. É tóxico alguém reclamar do comportamento de alguém pra você, mas quando for conveniente fingir sempre uma nova posição e usar você.
      Entenda os abusadores (físicos e psicológicos) querem dizer que somos louca(o)s. Talvez seja para justificar suas ações ou porque eles se acostumaram com essas situações de abuso. Mesmo que você exponha seus sentimentos, esses abusadores, pessoas imaturas e sem responsabilidade (ou de fato ruins), vão talvez ouvir, mas logo e caçoar, jogar na sua cara. Mesmo que o papel de maturidade deles é o certo e, o que você espera, isso não vai acontecer.
      Portanto, parem de esperar tanto do outro! Tenham responsabilidade pelas suas vidas.
      Mesmo com isso que lhe contei, minha história não é triste, e sim de superação dia a dia.
      Consegui vencer a depressão que tive por 3 anos desesperançosos (agora trata a ansiedade que restou) e quem quiser um conselho, entenda: quem vai te ajudar de verdade é a medicina e uma terapia. Reconheça o tipo de tratamento que você recebe e pare de procurar essas pessoas. Não desista porquê se sentiu humilhado, de um abraço em si mesmo e diga que vai melhorar porque nunca vai se abandonar<3
      Não deixe seus erros e/ou atitudes de terceiros te levarem pra um mundo sem amor. Ninguém pode tirar isso de nós! Se você se machucou não significa que tudo seja mal, acredite que existe superação!
      Eu já tive vontade de morrer algumas vezes, mas eu prometo que vocês também conseguem superar. E o mundo não precisa ser perfeito pra isso (como podem ler minha história de hoje). O que muda de verdade é a sua mente! As vezes você tem tanto amor pra dar(e vai conhecer pessoas pra receber), então permita amar a si mesmo pra conseguir amar o mundo imperfeito que vivemos<3
      Esqueça o passado doloroso, erros seus e dos outros e busque a sua cura, vou orar muito por você, por favor não deixe de acreditar no mundo, eu estou aqui desejando todo amor, cura e felicidade a você, sinto muito pelo mundo que nasceu criança, você merece mais

  3. Sobre remédio tomem cuidado, eu tratei a depressão, no entanto, devido ao ambiente familiar, alguns sintomas permaneceram mas o problema era ansiedade, consegui perceber mais que a tristeza profunda se foi.. não sofria nenhuma agressão física há anos, teria denunciado se tivesse me machucado mais ou marcado. O maior problema atual é agressão psicológica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + quatro =