Constelação e vida diáriaConstelação Familiar

Família Nuclear: significado e composição

significado de família nuclear

Uma das primeiras experiências humanas que nós temos é a família. Contudo, dentre esse termo tão simples, há uma infinidade de dinâmicas. Por isso, vamos conhecer mais sobre o assunto, focando em um tipo: a família nuclear.

O que é família?

De modo geral, a família serve para designar um grupo de pessoas que tenham um grau de parentesco ou laços afetivos. Ou se não um conjunto de indivíduos que convivem num mesmo lar.

Na Constituição Federal de 1988 no artigo 226, a família é um termo abrangente. Já que há várias maneiras de organização que são baseadas na convivência e na relação afetiva. Além disso, a família é uma instituição que deve promover a educação e cuidado dos seus descendentes.

Agora que a gente entendeu o que é família pela luz da lei, vamos compreender melhor o significado de família nuclear.

O que é família nuclear?

A expressão é um dos dez tipos de família que existem, que iremos abordar nos próximos tópicos do nosso post. Sem mais delongas, o conceito de família nuclear tem ligação com aqueles integrantes de uma mesma família que vivem no mesmo lar.

De modo geral, esses membros são pais, mães e filhos (família de origem). Mas em alguns casos outros componentes podem ser adicionados, por exemplo, aquelas famílias que compartilham a casa com os avós.

Os tipos de família nuclear

Dentro deste segmento de ambiente familiar, existem diferentes tipos de família nuclear. Por exemplo:

  • simples: se refere a uma só união entre dois adultos e com apenas um só nível de descendência pais e seus filhos;
  • monoparental: é uma família que é constituída por um progenitor, ou seja, em que co-habita com os seus filhos.

Saiba mais…

Muitas pessoas para poderem compreender melhor a sua família nuclear, fazem um genograma. Que é um esquema onde estão todas as informações sobre os componentes desta família, pelo menos três gerações anteriores e suas relações.

Assim, com esse genograma, a pessoa circula aqueles membros desse ambiente familiar, que moram dentro de uma mesma casa.

Quais são os outros tipos de família?

Família de origem

A primeira que iremos abordar é a família de origem que se refere somente a uma união entre dois adultos. Além disso, nesse ambiente tem apenas uma única linha de descendência, ou seja, pais e filhos compõem esse tipo de família.

Portanto, é composta por um casal que juntos eles geram novas pessoas, criando e os educando em um lar.

Família extensa

Diferente da família de origem e família nuclear, esse tipo de família se refere a todos os membros de consanguinidade, que vão além do núcleo. Então, as relações familiares vão além entre pais e filhos, incluindo, por exemplo, avós, primos, tios.

Família reconstituída

Já esse tipo de família está cada vez mais presente na nossa sociedade atual, pois se caracteriza pela introdução nova dinâmica familiar. Nos dias de hoje é comum ter casais que não desejam ter filhos, por exemplo. Ou ainda, a existências de filhos de relações conjugais anteriores.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

Por conta disso, a família reconstituída é formada por pessoas que são alheias àquele ambiente, vindo de outros núcleos familiares.

Para compreender melhor, imagine uma família que tenha pais divorciados. Logo, um deles inicia um novo relacionamento com uma outra pessoa. Diante disso, os filhos deverão se adaptar à chegada dessa nova companhia, especialmente se vier morar na mesma casa.

Família monoparental

O quarto tipo de família é a monoparental. Como o próprio nome já diz, as famílias monoparentais são compostas apenas por um dos pais e seus filhos. O motivo dessa dinâmica familiar podem dos mais diversos como:

  • divórcio dos pais;
  • mãe solo (adoção, inseminação artificial, gravidez não planejada/desejada);
  • morte de um dos pais;
  • abandono de um dos progenitores.
Leia também:  Adoção de Cachorro: 6 dicas boas para fazer certo

Vale ressaltar que esse tipo de família pode trazer consequências de carência emocional , dependendo do contexto daquele grupo. Não apenas isso, mas a monoparentalidade pode provocar uma sobrecarga ao progenitor que está encarregado dos filhos.

Família numerosa

As famílias numerosas são aquelas que os pais têm mais de três filhos, o que pode ser limitado de acordo com cada país. Vale ressaltar que há dois graus desse tipo de família numerosa.

A diferença está na quantidade de filhos que elas têm e outros contextos como a monoparentalidade e a condição especial de determinados filhos. Além disso, o que define se aquela família é do tipo numerosa é o lugar e o tempo.

Família homoparental

As famílias em que os progenitores são homossexuais (dois homens ou duas mulheres) são do tipo homoparental. Esse tipo de dinâmica familiar está cada vez mais presente na nossa sociedade devido algumas conquistas que esse grupo lutou para ter, como casamento homoafetivo.

No que se refere aos descendentes, elas ocorrem devido às adoções permitidas para casais homossexuais e inseminação artificial. Embora anteriormente este tipo de família era menos vista, hoje em dia é comum e são aceitas na nossa sociedade.

Família adotiva

Falando de adoção, a família adotiva tem como base, pois se refere aos pais que decidem adotar uma criança. Embora não sejam pais no sentido biológico, eles exercem a função de pais, como educar e dar afeto a esses filhos, assim como qualquer outro pai faria.

A adoção de crianças é ter um filho sem o processo de concepção natural. Os tipos de adoção são:

  • nacional;
  • internacional.

Saiba mais…

Vale trazer um ponto muito importante! O ato de adotar uma criança órfã é um gesto que traz benefícios tanto para ela quanto para os pais. Afinal, esse pequeno recebe a chance de uma família, já que foi abandonado pelos seus pais biológicos (família de origem).

Já para os pais irão poder realizar o seus grandes sonhos. Seja por terem sido impedidos anteriormente por diferentes causas.

Família anfitriã

Há muita confusão entre família anfitriã e família adotiva. Claro que nos dois tipos, há pessoas que cuidam de crianças que não são seus filhos biológicos. Contudo, a principal diferença é a quantidade de tempo que esses pequenos passarão nesse ambiente familiar.

Na adoção, a situação é permanente, a criança se torna filho, em vários aspectos, de seus pais adotivos. Por outro lado, no caso da família anfitriã, é apenas um acolhimento de modo temporário que essa criança viverá nesse ambiente, sem ter um vínculo de sangue.

Os motivos para isso ocorrer podem ser diversos. Por exemplo, quando o serviço social determina que o pequeno precisa viver separado de seus pais biológicos, por conta de um problema com a lei. Contudo, ela passa a viver novamente na família de origem quando esses problemas são solucionados.

Família sem filhos

Por fim, esse tipo de família se refere aqueles casais que decidem não ter filhos. Esse casal pode ser tanto homossexual quanto heterossexual.

Considerações finais sobre família nuclear

Com o nosso post, você pode compreender melhor a definição de família nuclear. Para se aprofundar ainda mais no assunto, temos um convite: conheça o nosso curso completo de Formação em Constelação Familiar e Sistêmica. Então, não perca essa oportunidade e inscreva-se já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 4 =