Constelação e vida diáriaTranstornos e Doenças

O que é “Drogadição”? Como a Constelação ajuda nesse problema?

drogadição

Você sabe o que é drogadição e quais os impactos disso na vida das pessoas? Além disso, sabe como a Constelação Familiar e Sistêmica ajuda a compreender esse problema? Não? Então continue a leitura!

O que é drogadição?

Você sabia que a  drogadição faz parte da doença da compulsão? Ou seja, uma pessoa compulsiva pode apresentar sinais desse tipo de transtorno.

“Adictus”, em latim, significa escravo. Assim, “drogadicto” ou simplesmente “adicto” é o termo usado para se referir aos dependentes químicos. Ou seja, deixando claro que são escravos da sua droga de preferência.

A doença da compulsão se manifesta das mais diversas formas. Assim, uma pessoa compulsiva pode ser um alcoólico, cleptomaníaco, voyeur. Ou então um comedor compulsivo, chocólatra, piromaníaco, exibicionista, compulsivo sexual, adorador do perigo. Além disso, o compulsivo também pode ser um drogadicto, compulsivo por internet, televisão, jogos eletrônicos, computador e o mais recente “celular”,etc.

Como funciona a compulsão por drogadição?

No início, essa é uma atividade que dá prazer, atua nos circuitos de recompensa do cérebro, liberando endorfinas como a adrenalina e a serotonina. Como aquilo dá prazer, a tendência é repetir mais e mais vezes.

Por isso, o organismo adquire tolerância e as doses e a frequência são aumentadas, buscando o mesmo prazer inicial, num círculo vicioso aparentemente incontrolável. Por fim, a droga não é mais prazerosa, mas a pessoa não sabe como viver sem ela.

No caso abusivo do uso de drogas os danos são notórios, tanto para o próprio usuário, como para aqueles que o cercam.

Os primeiros problemas são relacionais. Ou seja, trazem para o drogadicto dificuldade de se relacionar com as pessoas no pequeno círculo familiar, depois, num círculo maior da escola ou trabalho. Isso seguido de um círculo maior ainda, com a sociedade em geral.

Nessa fase, a pessoa compulsiva por drogas já não frequenta mais as festas de família, não vai mais ao clube ou à igreja, não tem vida social. Assim, só consegue se relacionar com outros usuários e, eventualmente, chega aos problemas legais.

Discute-se muito sobre as causas de tal comportamento, e as opiniões são diversas. Mas, a mais aceita é de que a pessoa busca preencher um vazio existencial. 

A drogadição tem cura?

Sabemos que as bibliotecas estão cheias de livros e publicações de auto ajuda para essa área específica, além disso, há os programas de auto e mútua ajuda, como AA – Alcoólicos Anônimos, NA – Narcóticos Anônimos, N\A – Neuróticos Anônimos, AE – Amor Exigente. Esses grupos e muitos outros têm prestado relevantes serviços à sociedade. 

Todos eles têm literatura e reuniões para os dependentes, bem como seus familiares. Assim, eles encorajam as pessoas a olharem para si mesmas, buscar mudanças principalmente de hábitos, dando apoio e mostrando uma linha geral de conduta.

Além disso, existem as Comunidades Terapêuticas, que são sítios ou fazendas, que seguem um dos programas acima citados, e levam a pessoa a uma reprogramação da sua vida diária. Esses trabalhos são sempre acompanhados por psicólogos, como determina a lei.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Também existem as clínicas e hospitais que tratam do assunto de forma medicamentosa. Porém, o índice de recaída em todos esses tratamentos é alarmante. Isso, pois eles tratam os sintomas e não as causas.

    O que gera a compulsão e a drogadição?

    Dentro do computador humano, tudo o que acontece é registrado em forma de memórias. Assim, 90% delas são o que seria classificado como inconsciente ou subconsciente, e apenas 10% representam memórias conscientes. Assim, essas memórias ficam armazenadas nas células, literalmente em todo o corpo.

    Conscientemente, você pode escolher ter pensamentos bons, felizes e saudáveis (como sugerem os programas de auto ajuda). Mas, inconscientemente, não pode escolher o que vai pensar, porque o inconsciente tem uma mente própria. 

    Então, aquilo que se vê externamente ou pensa que se vê, é em grande parte determinado pela maneira como já está programado internamente com suas memórias e crenças, como um disco rígido de um computador.

    Assim, a substância das memórias são as imagens que são frequência de energia, as imagens são a linguagem do coração. Então, todos os problemas que afetam a saúde do ser humano são relacionados com o desequilíbrio de energia do corpo.

    As questões do coração causam frequência de energia destrutiva, criando o estresse, que é a fonte dos problemas físicos e emocionais. Se  você resolver os problemas de energia, resolverá praticamente todos os problemas da vida. Ou seja, a cura da imagem destrutiva cria um efeito saudável no corpo.

    Como a Constelação Familiar consegue auxiliar esses problemas?

    A Física Quântica muda os padrões de energia do corpo, porque ele está intrinsicamente associada à energia atômica e atua diretamente na estrutura celular, nas moléculas, átomos, espaços e células, curando as memórias celulares destrutivas.

    Sendo assim, a Constelação Familiar pode encontrar as causas da drogadição e lograr mais sucesso no seu tratamento e recuperação, porque ela atua em nível quântico, resolvendo a questão na sua fonte. Isso não acontece nas clínicas de reabilitação, o que deixa a desejar nos tratamentos convencionais.

    Conclusão

    A Constelação Familiar cura as memórias celulares (que criam as crenças e sentimentos destrutivos), ao invés de disfarçá-las com um perfume toda vez que cheirarem mal.

    Portanto, a cura mais profunda que os drogadictos e sua famílias precisam é espiritual, e a Constelação Familiar pode fazer isso reorganizando toda a família.

    Gostou do artigo? Então compartilhe com seus amigos, garanto que ele irá ajudar muito aqueles que precisam. Quer aprofundar seus conhecimentos sobre a terapia da Constelação Familiar? Então conheça nosso curso, 100% online, de Constelação Clínica! Com ele, você expandirá seu autoconhecimento e estará apto a clinicar. Não perca essa oportunidade!

    O artigo foi escrito por Eneida Krul Guasque, exclusivamente para o nosso Blog.

     

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    dezoito − treze =