Constelação e RelacionamentosConstelação Familiar

Constelação em presídios: é possível aplicar a técnica?

Quem conhece a técnica de constelação familiar é muito eficiente para trabalhar problemas. Porém, muitas vezes nos achamos que a técnica é apenas em situações empresariais ou familiares. Mas essa técnica pode ajudar em muitas outras questões. Um exemplo é a constelação em presídios. Mas antes de falar sobre isso, vamos entender o que é constelação familiar.

 

O que é Constelação Familiar

O estudo que norteia a constelação familiar é o que busca entender como os sistemas familiares nos influenciam. Afinal, todos temos cargas emocionais e características que não entendemos. Inclusive, não conseguimos determinar a origem de tudo isso, ou o que motiva esses sentimentos. Para a constelação familiar, a origem está nos sistemas familiares.

De modo geral, a constelação familiar analisa padrões de comportamentos de gerações de grupos familiares. Com essa análise, esse método psicoterapêutico busca relacionar doenças e problemas entre membros de um mesmo sistema. Ou seja, tanto o constelado como seus familiares, mesmo os desconhecidos, podem ter passado pelas mesmas coisas.

A partir dessa análise, há um rastreio de comportamentos nocivos que se arrastam por gerações. Nesse contexto, vale destacar que, mesmo que de forma inconsciente, tudo isso nos influencia.

 

Tratamento

Munido do conhecimento sobre o sistema familiar, há a possibilidade de tratamento. Inclusive, a constelação em presídios é uma ótima ferramenta para trabalhar conflitos. Mas antes de mencioná-la em mais detalhe, vamos falar rapidamente sobre as aplicações das constelações.

 

Tipos de aplicação da Constelação Familiar

Constelação Sistêmica Empresarial

Nessa aplicação são abordadas questões que dizem respeito ao ambiente empresarial. O objetivo é promover a melhoria nas relações entre colaboradores e gestores.

Constelação Sistêmica Profissional

Aqui as questões abordadas são estritamente as profissionais. Essas podem ser questões referentes a traumas, medos e limitações. Com essa aplicação, será possível identificar quais são as habilidades profissionais dos colaboradores de maneira clara e autêntica.

Constelação Sistêmica Pessoal

Essa é uma aplicação semelhante à feita na constelação familiar. Ao ser apresentada a uma determinada situação, outras pessoas são convidadas para dramatizá-la. Aqui tratam-se casos mais pessoais, o que ajudará cada pessoa envolvida na terapia a crescer como pessoa e profissional. Por consequência, isso acaba ajudando na evolução da empresa.

 

Origem da constelação familiar e os três princípios norteadores

A origem da constelação familiar se dá com os estudos e aplicações do alemão Bert Hellinger, que foi um padre missionário na África durante 16 anos. Em seguida, após algum tempo, ele se desligou do clero e se dedicou ao estudo de terapias diversificadas.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Bert teve influência em várias técnicas terapêuticas, principalmente na análise de esculturas familiares. Com esse conhecimento, Bert começou a pensar na constelação familiar e a importância da dramatização. Consequentemente, a dramatização de um caso trazido pelo constelado hoje em dia possibilita o conhecimento da origem do problema em seu sistema familiar. Afinal, com a interpretação se reproduzirá a origem da questão dentro do sistema.

     

    Princípios norteadores da constelação sistêmica

    Como já dissemos, nossos problemas estão ligados aos nossos sistemas familiares. Para explicar isso, Hellinger propõe que há três princípios que norteiam nossas vidas:

    • A necessidade de pertencer ao grupo ou clã;
    • A necessidade de equilíbrio entre o dar e o receber dentro dos relacionamentos;
    • A necessidade de hierarquia dentro do grupo.

    Esses princípios são como ordens que  influenciam em todos os nossos relacionamentos, sejam amorosos, profissionais ou familiares. Assim, quando estamos em harmonia com essas leis, vivemos em paz.

    Por essa razão, Bert nomeou as ordens que originam desses princípios como “ordens (ou leis) do amor”. Nesse contexto, vale lembrar que as leis não influenciam apenas na vida de uma pessoa, mas de todo o grupo. Isso faz sentido quando entendemos que temos influência dos nossos antepassados no nosso hoje. Dessa forma, devemos pensar que a nossa negligência as leis do amor, ou ordens, influenciará no futuro de outras pessoas.

    Agora que entendemos os princípios da técnica, vamos conversar sobre a aplicação em presídios.

     

    A constelação em presídios

    Inicialmente, precisamos dizer que a técnica alemã é cada vez mais utilizada para resolver conflitos pelo Judiciário brasileiro. Unidades de Justiça de pelo menos 16 Estados e do Distrito Federal já utilizam a técnica.

    Antes de falarmos como a técnica é aplicada, é preciso pensar no porquê ela é aplicada. Todos nós temos questões a resolver. Todos nós, como já dito, somos influenciados por nosso núcleo familiar. Isso reflete em nossos comportamentos. Ou seja, não somos seres radicalmente independentes do mundo.

    Não podemos achar que apenas nós temos o direito de tratar essas questões. Dessa forma, não podemos olhar para uma pessoa que está presa como alguém que não merece tratar suas questões. É claro que não podemos dispensar nossas culpas em relação aos nossos atos. Porém, não podemos nos declarar imunes.

     

    Razões para cometer delitos

    Considerando isso, podemos pensar em como feridas e experiências traumáticas contribuíram para uma pessoa chegar onde chegou. Consequentemente, dependências, inclinações, provavelmente, estão relacionadas a nossa matriz. Seja em relação a experiências que vivemos ou que viveram nossos antepassados.

    Por isso, é importante que todos tenham acesso ao tratamento. Entendendo esse ponto, é preciso ressaltar que fazer constelação em presídios é uma técnica mais rápida do que outras aplicações de terapias. Há situações que podem ser trabalhadas em um dia. Com isso, o tratamento é muito mais acessível e acaba por custar mais barato do que terapias permanentes.

     

    Procedimento

    Durante a terapia, a estrutura familiar é reproduzida com auxílio de outras pessoas. Através disso os conflitos de gerações podem ser debatidos. Logo, a pessoa passa a ter um olhar mais amplo sobre o problema.

    Atualmente há muitos estados que já aplicam a técnica. Presídios femininos e masculinos têm sido atendidos. Vários problemas tem sido trabalhados e em SC há uma grande avanços no tratamento a drogas.

    Ademais, é preciso dizer que a pessoas que conduzirá a constelações em presídios deve estar preparada. Precisa ser um profissional qualificado e capaz. Só assim as pessoas se sentiram confiantes no processo e realmente desejarão a mudança.

     

    Comentários finais sobre constelação em presídios

    As constelaçao em presídios é importante e tem trazido muitos benefícios para quem participa. Afinal, a cadeia deve ser um ambiente que promova o restabelecimento social da pessoa. Só assim quem hoje cumpre pena poderá ser restabelecido socialmente. Se você ficou interessado em saber mais sobre constelação familiar, conheça nosso curso 100% online de Constelação Clínica! Confira quais são os nossos conteúdos e faça a sua matrícula.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    quatro + oito =