Constelação e RelacionamentosConstelação Familiar

Conflitos entre sócios: 9 dicas da Constelação Sistêmica

Gerir uma empresa está bem longe do glamour de poder estabelecido por Hollywood. Isso porque, em determinado ponto, os sócios podem entrar em conflito e colocar o negócio por água abaixo. A fim de evitar isso, confira nove dicas de como solucionar conflitos entre sócios com a Constelação familiar.

Formalização

Toda empresa deve possuir um contrato onde todas as informações pertencentes a cada cargo devem estar registradas. Esse é o documento responsável por formalizar ações, cada função e responsabilidades inerentes. Além disso, serve de consulta para pesar de forma equivalente as atividades e ganhos em relação aos investimentos.

Ademais, cada um deve lembrar das funções que exerce dentro da empresa. Isso permite que ninguém faça nada além de suas competências e exija ser remunerado posteriormente. Sem contar que a força laboral fica melhor concentrada e utilizada. O trabalho fica mais objetivo, simples e sem tantas voltas.

Conheçam as habilidades pessoais de cada um

Parte do conflitos entre sócios se dá por conta do desconhecimento do parceiro de trabalho. Já que não conhecem os pontos fortes um do outro, não há como otimizar as tarefas. Esse aproveitamento serviria justamente para selecionar ações compatíveis e fazer um aproveitamento laboral.

Por isso, quando os conflitos surgirem, façam uma reflexão do que podem entregar. A distribuição adequada de deveres vai amenizar qualquer impacto logístico e econômico na empresa. Ademais, reconhecer os valores do parceiro será uma gesto humano e humilde.

Faça planejamentos a curto, médio e longo prazo

Os conflitos entre sócios acontecem também por causa da falta de um planejamento adequado. Observando as atividades e resultados, é como se a empresa deixasse a maré dos negócios levar ela. Por isso que os ganhos financeiros, sociais e internos não satisfazem em qualquer escala.

Desde a criação da empresa é preciso ter em mente objetivos bem esclarecidos. Metas a curto, médio e de longo prazo que mantenham a empresa em uma exponencial de crescimento. Com isso, os sócios deverão empregar esforços equivalentes para alcançar essas metas e conectar tudo a um bem maior.

Busque ajuda externa

Nem sempre você conseguirá resolver os conflitos entre sócios de forma interna. Além das divergências profissionais, vocês também estarão motivados pelo lado emocional. Isto os tornam parciais na tomada de decisões no tocante ao bem da empresa, o que não é bom. Por isso que recorrer a uma ajuda externa pode ser uma excelente opção para resolver o confronto.

Um consultor e constelador pode olhar para a questão e:

  • Fazer avaliações

Esse é o trabalho de um consultor: olhar para um problema e entender como ele foi gerado. De modo simples, ele fará com que os sócios caminhem na direção contrária, reparando todas as pendências existentes. Tudo acontece por meio de estratégias conjuntas para solucionar a questão de forma eficaz e o mais rápido possível.

  • Estimular a reconciliação

Além do trabalho, a parte pessoal fica abalada e isso é inevitável de acontecer. O consultor, indiretamente, consegue reconciliar os sócios e fazer com que entendam o bem que compartilham. Ainda que se deva separar trabalho da parte pessoal, colocar tudo nos eixos é de extrema valia. Pessoas contentes no ambiente de trabalho são mais produtivas.

Comunicação

É preciso deixar às claras a real situação da empresa, sendo esta boa ou não. Por isso que a comunicação entre as partes deve ser muito bem trabalhada ao longo de toda a parceria. A criação de relatórios, memorandos, avisos e outros recursos deve ser sempre contínua.

Faça reuniões semanais ou, no máximo, quinzenais para fazer um balanço de que foi executado até agora. Isso vai ajudar a manter vocês firmes com as prioridades do negócio. Sem contar que podem formular novas estratégias, rever o que não funciona e estudar os ganhos financeiros e sociais.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Controle

    A expressão “mãos de ferro” pode ter uma conotação até insensível, mas é bem-vinda em um negócio. O controle impede que situações adversas tomem conta da empresa. Imagine, por exemplo, não fazer um controle de gastos e desperdiçar qualquer oportunidade de economia.

    Ter controle sobre o trabalho atua diretamente na correção de problemas envolvendo a entidade. Os desvios se tornam menos atrativos quando se une metas claras, postura linear e resiliência.

    Avalie o lado humano

    Não se deve tomar uma postura totalmente irracional quando houver conflitos entre sócios. Como dito linhas acima, vocês precisam reconhecer as capacidades um do outro. Isso porque o seu trabalho não tomou a forma que tem se não fosse o incentivo humano. Por isso que vocês devem trabalhar atitudes como:

    • Confiança

    Nem sempre uma das partes vai poder exercer alguma de suas atribuições por qualquer motivo. Isso inclui também a falta de intimidade com qualquer situação. Por isso que se deve confiar na capacidade dos demais sócios em algumas situações. Uma conversa aberta do que pode acontecer quando diversos caminhos podem ser explorados.

    • Respeito

    O respeito deve ser empregado como uma forma de reconhecer o valor de cada um. Nisso, jamais abra mão da história profissional dos seus parceiros de trabalho. Assim como você, eles enfrentaram tortuosos caminhos que moldaram suas perspectivas em relação ao trabalho.

    • Inovações

    Conflitos entre sócios podem ser sanados quando se abordam caminhos mais alternados que o comum. A empresa deve propor inovações a fim de ofertar algo novo ao público antigo, mas sem perder a identidade. Sem contar que isso também acaba por atrair novas aquisições, como compradores e investidores.

    Por isso que não vocês não devem ser tão rígidos em relação ao mercado. O mesmo é fluído, inconstante e até imprevisível. Mantenham o antigo com uma roupagem mais atual agindo em conjunto para inovações necessárias.

    Separe a vida pessoal dos negócios

    Assim que os conflitos surgirem, evitem misturar o lado profissional com o pessoal. Mesmo que seja difícil, tais instâncias não devem ficar conectadas, já que implica em diversos julgamentos prejudiciais. Isso é de extrema necessidade quando a empresa em questão é de família e tudo fica mais sensível.

    Se tal confronto for inevitável, levantem pautas pertencentes unicamente com o negócio. Além do mais, envolver a família, amizade e desrespeito pessoal podem implicar no futuro do trabalho. Sejam sensíveis em relação a isso.

    Considerações finais sobre conflitos entre sócios

    Gerir uma empresa pode ser tarefa árdua quando não há um consenso na tomada de decisões. Isso porque, ainda que não admitam, o lado pessoal acaba por influenciar nesse caminho. Consequentemente surgem conflitos entre sócios, o que pode colocar em risco o futuro da entidade.

    A Constelação familiar também atua sobre uma perspectiva empresarial para ajudar os envolvidos. Ela mostra aspectos de relacionamento e hierarquia que nossos olhos não conseguem enxergar e ajuda a tornar alguns pontos mais esclarecidos. Por isso que se valer da psicoterapia pode ser uma excelente solução aos conflitos. Antes de empresários, somos fundamentalmente humanos.

    Assim sendo,  convidamos você a se inscrever em nosso curso online de Constelação Clínica. Através dele, você criará uma perspectiva adequada para lidar com o seu negócio, incluindo os conflitos entre sócios. Tudo começa por um autoconhecimento, entendendo sua natureza e o que pode entregar. Após isso, pode ajudar seus sócios a terem uma visão mais sistêmica em favor da empresa.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    5 × um =