Constelação e RelacionamentosConstelação Familiar

Co-dependência nunca mais: 11 dicas para superar rápido

Em certos momentos de nossas vidas a presença de outra pessoa pode significar bastante para nós. Um codependente emocional passa a acreditar que somente será feliz se dedicando cedendo constantemente as vontades do outro. A partir daqui, você entenderá como lidar com isso e dizer a si mesmo co-dependência nunca mais.

Reconhecer a co-dependência

Para dizer co-dependência nunca mais, é preciso de conscientizar do laço afetivo doentio que possui. As emoções não devem nublar o seu julgamento e precisa se atentar aos erros dessa relação. O elo criado precisa ser construtivo e equilibrado, de modo que faça bem aos envolvidos.

Na teoria é fácil de dizer isso, mas precisamos ficar atentos as peças destrutivas difíceis de encaixar e que crescem progressivamente. Existem limites que não devem ser ultrapassados e quando acontece, buscar ajuda é vital à recuperação.

Trabalhe a sua autoestima

É comum na co-dependência emocional que o indivíduo que se dedica demais ao outro não possua uma autoestima robusta. Isso porque tal objeto se torna algo pequeno quando comparado ao bem-estar do outro. Porém, principalmente em relações abusivas, é preciso notar de que maneira essa relação afeta o reflexo de si mesmo.

Com isso:

Desenvolva amor próprio

Antes de cuidar de alguém, aprenda a fazer isso por si mesmo. Tenha em mente que mesmo com limitações, o outro é adulto e precisa de autonomia para realizar suas atividades. Sim, cada caso é um caso, mas você nunca deve negligenciar a si mesmo em favor do outro.

Autoestima

Evite abrir mão de acreditar no potencial e valor que carrega dentro de si. Você vale a pena, pode fazer coisas grandiosas, mas precisa se mostrar mais independente do outro. Sua felicidade deve se tocar apenas em suas necessidades e jamais se prender em alguém.

Autoconhecimento

O autoconhecimento entra em cena para que possa enxergar suas necessidades e capacidade de transformação ambiente. Sem contar que clareia a sua disposição e força em conseguir o melhor para si mesmo. Essa janela permite a entrada da luz que ilumina a sua razão de viver primordial: você mesmo.

Evite pensar que tudo está bem

De modo algum que a co-dependência afetiva é algo positivo na sua vida ou de qualquer outra pessoa. É preciso ser honesto consigo mesmo para compreender a gravidade do problema e como ele te machuca. Se possível, converse com alguém de fora e use um olhar externo para se refletir e ponderar a situação.

Seja a prioridade na sua vida

Sim, precisamos ajudar as pessoas quando possível, mas não devemos nos deixar de lado para isso. Aliás, devemos nos ajudar primeiro e somente então nos disponibilizar a fazer isso por alguém. Da mesma forma que ele, também temos uma vida de medos, sonhos, dificuldades e alegrias para viver. Pense em alguém que vai ajudar uma pessoa se afogando. Se os dois se afogam, ninguém se salva. Alguém tem que estar bem!

Ainda que pareça egoísmo, esse tipo de postura é saudável para delimitar espaços e trazer à tona nossas necessidades. Nesse caminho:

Nunca deixe de lutar por si mesmo

Mesmo que alguém amado precise de ajuda, deve focar em si mesmo antes de fazer isso. Você é a sua prioridade e possui um compromisso consigo para melhorar como puder a sua vida. Assim como o outro precisa de apoio, você deve dar isso a si mesmo e, quando acabar, aí você reflete se pode fazer por mais alguém.

Compreenda os limites

A empatia nos leva a deixar nossas dores de lado para que a dos outros possa ser cuidada. Todavia, compreenda que há etapas na vida que estão além de nossas forças de ação. Você é somente responsável por si e não pode realizar tudo aquilo que o mundo pode exigir de outra pessoa.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

Alegre-se pelas vitórias de alguém, mas sem esquecer da sua

Tempo é algo valioso que precisa ser colocado nos lugares certos para que valha a pena. Sim, fique feliz com a prosperidade de quem ama, mas nunca se deixe de lado nessa escalada.Você é importante demais para se deixar em segundo plano em sua vida e sua própria jornada também vale a pena.

Leia também:  Terapia da Constelação Familiar: o que é?

Evite tratar alguém como inválido e se invalidar por isso

Co-dependência nunca mais e isso se torna vital para quando o seu comportamento se agrava. Muitas vezes a sua consciência menia a situação e liga a sua postura ao ato de amar e proteger alguém. Entretanto, essa bondade sem limites acaba sufocando o outro e impedindo a autonomia que precisa para viverem bem.

Em vez de sentir culpa ou medo por dar mais liberdade a alguém, confie no que a pessoa é capaz de fazer. Aliás, também evite desqualificá-lo como capaz, fazer tudo por ele e se abandonar. Os limites que colocam sobre alguém são equivalentes as amarras que cria para si mesmo sem notar.

Grupos de apoio

Um excelente apoio para contribuir ao movimento “co-dependência nunca mais” é se ligar a grupos de apoio. Por meio deles saberá como lidar consigo mesmo e os seus impulsos durante todo o seu tratamento. A reformulação permite ter mais estrutura para lidar saudavelmente com a situação e não ceder aos impulsos de controle e dependência.

I am beautiful, no matter what they say / Eu sou lindo/linda, não importam o que digam…

Resgatando um trecho da música Beautiful, de Christina Aguilera, não tenha comportamentos depreciativos consigo. Você merece o esforço, tem beleza interna e externa e um futuro brilhante para fazer concretizar. Acredite, não deve se deixar de lado em favor de alguém ou ficar muito disponível e se negligenciar.

Evite alimentar a sua ansiedade

Muitas pessoas acabam se preocupando à toa e investindo na própria negatividade em relação ao outro. Pensam que pode ser traídas, deixadas de lado ou mesmo rejeitadas, mas sem um motivo aparente. Nisso, acabam redobrando os cuidados e passando mais tempo em trabalhar para que o outro fique bem e isso reflita nelas.

A fim de gritar co-dependência nunca mais, trabalhe a sua ansiedade e os seus pensamentos negativos. Isso acaba por trabalhar o seu medo e fazer com que você fixe a sua atenção na realidade. Sem contar que sobrará espaço para entender melhor se alguém precisa de tanta atenção assim.

Tome um tempo para si mesmo

Quando não se conhece o poder da co-dependência nunca mais, querer estar sempre com o outro se torna um impulso. Você acaba vivendo e respirando além da conta pela vida do outro. A fim de inverter isso, que tal focar mais em sua própria vida?

Passe mais tempo consigo mesmo, se dedicando a coisas que gostaria de fazer por si. Dê-se um espaço pessoal para exercer a sua individualidade e permitir que o outro trabalhe a dele. Essa distância saudável vai deixar que trabalhe em sua própria identidade e não se desgaste por cuidar de outra pessoa.

Você não é dono de ninguém

Para que a co-dependência nunca mais aconteça, é preciso deixar de focar na outra pessoa e sua vida. Tenha em mente que o outro pode, sim, resolver os próprios problemas e carrega responsabilidades próprias. Você não é o protagonista da vida dele, mas assim como tal, possui um compromisso consigo e deve ser cumprido.

Sim, pode dar conselhos, mas apenas quando isso for solicitado e permitido pelo outro. Não queira controlá-lo como forma de se manter a par de tudo o que lhe acontece. Deixe que viva a sua própria vida e aprenda o valor do “não” para ele e a si mesmo.

Procure ajuda

Após reconhecer o problema, procure ajuda especializada, caso não consiga lidar sozinho com isso. Essa complexidade funciona como um buraco que se afunda cada vez mais que investimos nesse comportamento. Além dos grupos de apoio, um terapeuta qualificado pode responder muito bem a essa demanda específica.

O livro Co-dependência nunca mais

Em 1980, a escritora Melody Beattie lança o livro Co-dependência nunca mais, contando um relato de sua vida. Ela passou por um casamento difícil em que se colocava nessa postura sempre em favor do marido. Gradativamente, a relação definhou e chegou ao fim.

Leia também:  Homeopatia e Constelação: funcionamento e relações

Anos mais tarde, já divorciada, Melody entrega seus momentos pessoais de modo acolhedor e instrutivo. Ela deu o que muitos precisavam, incluindo ela mesma anos atrás: informação precisa e carinho do conhecimento. Não sendo apenas informativo, o livro carrega uma aura pessoal que valida completamente a sua existência na literatura.

Considerações finais sobre co-dependência nunca mais

Dizer co-dependência nunca mais será uma das maiores conquistas da sua vida, mas só acontecerá quando você entender a dor em que vive. É preciso ter em mente que cada um possui sua individualidade e que a mesma deve ser exercida. Por mais que alguém precise de ajuda, não se deve viver a vida dele e apagar a sua existência.

Evite deixar de lado os seus objetivos e metas pessoais em favor de qualquer pessoa. Agradá-lo de maneira infinita para que apenas tenha mais tempo ao seu lado é um modo de machucar a si mesmo profundamente. Cuide de si e, quando estiver em plenitude, conceda um tempo para alguém. Contudo, sem perder sua autonomia.

Uma das formas de adotar o lema de “co-dependência nunca mais” é com o nosso curso online de Constelação familiar. Ele te fornecerá o autoconhecimento que precisa para lidar com as prioridades em sua vida. Quando desbloquear a sua força interna à mudança, verá que o maior projeto de vida que você terá é você mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + dezesseis =