Constelação e RelacionamentosConstelação e vida diária

Bullying na escola: 7 ideias para prevenir e combater

A escola nem sempre é o ambiente mais seguro e confortável que imaginamos para os nossos filhos. Infelizmente, os mesmos estão suscetíveis às provocações externas motivadas pelas diferenças existenciais. Visando trabalhar contra isso, confira sete dicas de como prevenir e trabalhar o bullying na escola.

Providências imediatas

Assim que as queixas de bullying na escola começarem, evite minimizações e tome providências instantâneas. O erro de muitos adultos se encontra em acreditar que o problema se trate de uma brincadeira infantil. Contudo, essa mesma “brincadeira” pode ser responsável pela destruição da autoestima de uma criança.

Dessa forma, quando brigas, discussões ou qualquer outro tipo de ataque são identificados, é necessário intervir imediatamente. Quando se une vítima, agressor e seus respectivos pais, é possível gerar um ambiente de mais empatia enquanto conversa. Quem praticou o ataque entende melhor o que o outro sentiu e pode se questionar se vale a pena agir assim.

Programas de prevenção

Uma excelente alternativa para combater o bullying na escola é a criação de um programa de prevenção. Por meio dele, os alunos, professores, funcionários e até os pais podem identificar casos de violência diversificada. A ideia é construir uma rede interpessoal que monitore e conscientize as pessoas sobre o problema. Pode acontecer por meio de:

Palestras

Essa ação visa conscientizar a comunidade de forma geral ao problema. Não só os responsáveis pelos alunos da instituição, mas todo o entorno é convidado a fazer uma análise da situação.

Palestras desse tipo costumam engajar os pais mais preocupados com a educação que os filhos recebem ali. Não o bastante, também motiva os outros a terem uma postura mais participativa.

Atividades em sala

Sendo mais voltadas aos alunos, isso promove a interação e cooperação entre eles. Enquanto trabalham juntos, podem se conhecer e quebrar alguns tabus pré-concebidos. Ademais, permite uma sensibilização maior, já que, eventualmente, alguma vítima de bullying compartilha sua experiência.

Treinamento aos adultos

Além das crianças,os adultos são convidados a participarem do programa de proteção. A ideia é agregar tanto os pais de cada estudante como os próprios funcionários do colégio. Em casa, os pais usarão o que aprenderam para identificar sinais de que seus filhos estão sendo perturbados. Já no colégio, os funcionários continuam a fazer vigilância.

Identificando os alvos do ataque

Infelizmente, qualquer criança está apta a ser vítima de bullying na escola. Entretanto, há um grupo mais vulnerável que costuma sentir mais profundamente os efeitos dessas ações. Com isso, devemos prestar mais atenção em quem tem autoestima baixa ou são inseguros. Isso porque esse grupo é bastante sensível a qualquer tipo de agressão dos colegas.

Caso desconfie que o jovem esteja sendo vítima de bullying na escola, tente observar como anda o comportamento dele. Se o mesmo não fica agressivo, costuma apresentar uma postura mais depressiva e isolada. Ademais, suas notas no colégio são um excelente termômetro para verificar o momento em que este vive.

Deixe claro que pode ajudar

Caso você lecione no colégio, tente ficar presente na sala de aula ou fora dela. A ideia é que você se torne uma figura onde todos tenham acesso e possam contar. Embora seja difícil, conheça cada aluno seu, de modo a estabelecer uma relação de confiança entre vocês. Assim, permitirá que se sintam à vontade quando qualquer problema acontecer.

Caso seja pai ou mãe, isto não inibe que sua presença na escola seja diminuída. Você pode se manter a par diretamente ao conversar com o professor e outros pais. Se possível, criar um grupo virtual para conversar sobre alguns assuntos pode ser uma alternativa enquanto as crianças são residentes. Mostre seu interesse na educação do seu filho.

Atividades extracurriculares

Uma excelente forma de drenar qualquer energia voltada ao bullying na escola é a criação de atividades extracurriculares. Além de estimular naturalmente cada jovem, isso permite que ocupem seu tempo com algo construtivo. Dessa forma, a turma cultivará a sensação de união, evitando sensações de ódio entre eles.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Dentre várias alternativas, tente implementar:

    Práticas de esportes

    Claro, nem todos gostam de esportes, mas cada um pode exercer uma função diferente em determinada atividade. E nem só de bola vive os jovens, já que atividades de estratégia, como damas ou xadrez, também contam. A ideia é que todos possam se envolver uns com os outros e se divertirem.

    Envolvimento com eletrônicos

    É possível que cada escola tenha um ambiente, mesmo que simples, às atividades alternadas. Embora não saiba tanto, procure engajar os alunos a criarem mecanismos eletrônicos como atividade complementar. Da mesma forma que ensina, pode aprender com algum talento oculto da sala.

    Excursões

    Por fim, não se restrinja apenas na sala de aula como lugar para ensinar. Eventualmente, os leve para alguma excursão fora do colégio. Além de refrescar suas mentes, isso possibilita a descoberta conjunta de algo novo para eles.

    O poder do elogio

    Quando se apoia construtivamente um aluno, damos uma maior proteção a ele contra o bullying na escola. Como dito linhas acima, a agressão se intensifica em quem possui autoestima baixa. A partir do momento em que se sentem amados, eles têm menos chance de replicar e sofrer com o ódio.

    Portanto, busque valorizar as conquistas e habilidades pessoais de cada jovem. Mesmo que muitos errem, evite focar exclusivamente nisso. Reconheça seus feitos, os parabenize e os enalteça. Às vezes, eles só precisam de alguém para dizer o quanto são importantes.

    União

    Por fim, como já abordado acima, uma das melhores formas de acabar com o bullying na escola é a unificação. Quando os pais, professores e alunos se juntam, um canal de bons resultados ajuda na prevenção da violência. Ademais, ainda possibilita a formação de indivíduos que replicarão essas atitudes positivas em outros lugares e pessoas.

    Essa unificação permite um desenvolvimento melhor das habilidades socioemocionais de cada indivíduo, principalmente os alunos. Dessa forma, todos passam a entender a importância do respeito, compreensão, solidariedade e amizade.

    Comentários finais sobre bullying na escola

    Assim que entra na escola, a criança se vê exposta a um novo mundo de quase independência. Por si só, precisa aprender a se relacionar e estabelecer conexões com os outros jovens. Contudo, a mesma está exposta a diversos tipos de agressões daqueles que deveriam apoiá-la. Sem ter como verbalizar, acaba ficando reclusa e muda totalmente.

    Por isso, cabe também aos pais e professores ajudarem na identificação e elaboração de soluções ao bullying na escola. Embora os jovens devam ser os primeiros a reverem essas atitudes, os maiores também precisam participar da intervenção. O trabalho coletivo também possibilita uma mudança coletiva, bem como um aprendizado conjunto.

    Caso queira descobrir como chegar mais facilmente nos alunos, faça nosso curso online de Constelação familiar. Com a ajuda dele, é possível descobrir quais as causas que levam as crianças a serem tão agressivas. Com isso, é possível que elas cultivem um autoconhecimento e tomem atenção quanto a isso.

    Nosso curso é totalmente virtual, fazendo com que monte seus próprios horários. Isso não afetará sua rotina e independente da hora, sempre contará com o apoio de nossos professores qualificados. Eles lapidarão seu potencial e otimizarão suas habilidades naturais. Ao fim do curso, o aluno recebe em mãos um certificado que registra suas novas competências.

    Entre em contato conosco e descubra uma valiosa aliada contra o bullying na escola. Faça nosso curso de Constelação familiar!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    2 × 5 =