Constelação FamiliarTranstornos e Doenças

Setembro amarelo: Abordando a depressão

Infelizmente, as pessoas carregam uma impressão errada e bastante equivocada da depressão. De forma empobrecida até julgam a doença como um estado associado à preguiça, negando a perceber o mal como doença. Entenda a importância do setembro amarelo e a mensagem relevante que este carrega em sua campanha.

O tabu do suicídio

Mesmo em pleno século 21, rodeados pelas mais diversas informações, muitos ainda se desconfortam em falar sobre suicídio. Tratando-se de um assunto delicado, alguns simplesmente não conseguem levantar argumentos ou dar uma resposta sobre. Por que isso acontece? Por conta da falta de engajamento da maioria da população.

Ainda que seja um tema sensível a ser encarado, esse confronto com as próprias crenças é necessário. É preciso ter em mente um esclarecimento adequado a fim de poder ajudar quem precisa. Sem informação, alguém que amamos pode vivenciar uma situação parecida sem conseguir de ajuda para isso. Para combater essa cegueira, temos o setembro amarelo.

A campanha do setembro amarelo visa conscientizar quantas pessoas forem possíveis e dar atenção ao problema. A mesma elabora caminhos para que todos encontrem uma solução em conjunto para evitar que o pior aconteça. Embora a depressão não seja o único fator que contribua para isso, ela é um grande peso em direção a essa ladeira.

A quebra de barreiras

O setembro amarelo proporciona a abertura de uma conversa honesta e conscientizadora sobre o tema. Muitos pais acabam privando os filhos desse conhecimento por acharem que o incentivarão a fazê-lo. Entretanto, essa atitude só fomenta a ignorância e pode ter o feito contrário ao que se pretendia.

Contrariando a percepção de muitos, quando se fala em depressão e suicídio, acabamos dando um alerta a quem está próximo. Por vezes, este indivíduo trilha uma jornada parecida e não tem a quem recorrer. Para acabar com a dor, cogita se suicidar em algum momento. Quando se coloca em pauta o tema, você acaba dando novas perspectivas a esse ente.

Graças a isso, a união entre a sociedade como um todo é tão vital a esse trabalho. Por mais delicado que seja, quando se toca nesse tema, estamos abrindo os olhos da população em geral. Muitos escolhem não ver que isto acontece na própria casa e ignoram. Quando se identifica alguém nessa situação é possível reabilitá-lo e tratá-lo.

Sinais

A campanha do setembro amarelo divulga listas com alguns sinais que podem indicar o sofrimento interno de uma pessoa. Com isso, podemos ficar atentos a qualquer mudança em um estado comportamental da pessoa. É de suma importância não ignorar qualquer um deles, de modo a observar como o ente reage com:

Tristeza persistente

Não é exatamente uma regra, mas a maioria dos casos de suicídio possuem vítimas com atitudes bem depressivas. Esse quadro se estendeu por semanas ou meses sem que alguém parasse para dar a atenção devida. Caso alguém se enquadre nesse quesito, tente se aproximar e entender o motivo. Às vezes, uma simples conversa já ajuda.

Publicações e mensagens de cunho depressivo

Quem chega ao passo de querer suicídio sempre dá sinais de que tem isso em mente. Como a internet é uma excelente ferramenta para alcançar as pessoas, podemos notar o teor de algumas publicações. Assim, mensagens de desesperança, dor e tristeza profunda com bastante frequência refletem o que este guarda em si.

Ideias sobre a morte

Preste bastante atenção quando alguém manifestar ideias repetitivas sobre a morte. Dizeres como “Eu queria morrer”, “Preferia estar morto” ou “Quem dera tudo acabasse” costumam ser os mais comuns. Com isso, jamais ignore essas falas ou deixe de levá-las a sério. Podem ser um pedido de ajuda disfarçado.

O que motiva o suicídio

Como dito linhas acima, não existe apenas uma motivação que leve alguém ao suicídio. A depressão encabeça a lista de razões, embora nem todo depressivo recorra a esse caminho. Aliás, esse se trata de outro tabu entre a comunidade: todo depressivo é um suicida em potencial. Isso é um mito, visto que são questões bem independentes de si.

Em geral, esses indivíduos sofrem internamente e não sabem como solucionar esse problema. Sem mais opções, acabam tirando a própria vida para acabar com a dor que carregam. É um ato de coragem extremo conseguir contrariar o próprio instinto em sobreviver. A covardia se encontra em quem não se mobiliza a ajudar.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Um dos principais levantes da campanha do setembro amarelo é trazer luz a essas questões e direcioná-las à população. A empatia acaba sendo um recurso solicitado, já que todos nós somos convidados a nos sensibilizar sobre o assunto. A solução se encontra na mobilização em ajudar e conduzir saudavelmente esse quadro.

    O papel do setembro amarelo

    Criado pelo Centro de Valorização da Vida, o CVV, o setembro amarelo é a forma de tocar em um assunto delicado. A campanha serve de alerta a uma mudança de patamar na perspectiva de quem sofre e quem convive com isso. Dentre tudo o que pode fazer, o setembro amarelo almeja:

    Atingir a população

    Um problema fica melhor solucionado quando um grupo cada vez maior se mobiliza a trabalhá-lo. Ao difundir um embate aberto sobre um dos maiores males da atualidade, você municia quem precisa com informação. Assim, sabendo como todo o processo se desenvolve, uma pessoa comum pode ganhar o poder de salvar uma vida.

    Prestar apoio às vítimas do problema

    Em geral, as vítimas de depressão não encontram meios sadios de expressar a angústia que sentem. Com isso, gradativamente, acabam descontando em si próprios a dor que estão carregando. Com a ajuda da campanha, estes podem encontrar canais para se abrirem e procurar ajuda. Costumam ser acessíveis, gratuitos e funcionar sempre que precisam.

    Incentivar a procura por ajuda especializada

    Como trabalhado acima, um dos principais pontos é a solução positiva do problema. Isso se dá por meio de terapeutas que junto com o paciente elaborarão respostas adequadas ao problema. Dessa forma, é possível construir uma reabilitação revigorante, eficaz e firme. Isso vai evitar que tenha recaídas ou que as suporte bem se acontecerem.

    Considerações finais: Setembro Amarelo

    O setembro amarelo é uma das medidas mais bem trabalhadas na prevenção ao suicídio. Embora ganhe mais destaque no mês ao qual leva o nome, a expansão dela ao ano todo faz total diferença. Desse jeito, quem precisa de ajuda para aliviar sintomas de depressão ou qualquer outra doença mental tem a quem recorrer sempre que precisar.

    Caso conheça alguém nesta condição ou desconfie de algo, oferte o ombro. Talvez este não saiba como externar corretamente a sua dor e acabe descontando em si, acreditando que não tem alternativas. Conversem sobre o problema, dando mais conforto a esse em dividir sua angústia. Por fim, o incentive a buscar ajuda profissional.

    Uma forma excelente de prestar apoio é com o nosso curso de Constelação familiar online. O curso permite que você crie uma visão mais aprofundada do que motiva alguém a ter determinados comportamentos. Assim, permitirá que este entenda suas motivações e busque compreendê-las e mudá-las se necessário.

    Nossas aulas são virtuais, o que é excelente à forma como leva sua rotina. Com horários de estudo personalizados, você aprende quando e onde quiser, sem se preocupar com chamadas inflexíveis. Além disso, contará com o apoio de nossos professores ao explorar as ricas apostilas. Nas mãos deles, seu potencial será trazido à tona.

    Oferte o apoio adequado a quem precisa se capacitando em nosso curso de Constelação familiar. Além disso, engaje-se nas campanhas de conscientização do Setembro Amarelo!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    nove − 8 =