Constelação FamiliarDepoimento

Perdoei meus pais depois que fiz Constelação Familiar

depoimento perdoei meus pais com constelação familiar

As Constelações Familiares têm, em comum com a Psicanálise, o fato de olhar para a infância dos pacientes. Para essas abordagens, os fatos ocorridos na infância determinam a personalidade, os valores, as orientações, os desejos e os medos que teremos no decorrer da vida.

No estudo de Constelação, vemos que muitas de nossas angústias e medos decorrem da rejeição aos pais ou da dificuldade de relacionamento com eles.

Antes de começar o Curso de Constelação, eu tinha uma visão não muito positiva sobre meus pais. Eu considerava que o relacionamento com eles estava bom, mas, na verdade, hoje vejo os erros e omissões que tomei na forma de interpretá-los.

Meus pais tiveram uma infância pobre em cidade do interior de Minas Gerais. Cresceram na área rural. Tiveram pouca escolaridade e uma educação bastante rígida dos pais deles (meus avós).

Meu pai perdeu um irmão quando eram crianças. Acredito que parte do comportamento tímido e pessimista de meu pai tenha a ver com este fato da infância dele. Meu pai pode ter assumido para si a dor deste irmão, talvez inconsciente até tenha desejado morrer com ele.

Minha mãe sempre teve baixa autoestima. É filha de uma família com muitos irmãos. Vendo pelos olhos de hoje, isso me sugere que a quantidade de irmãos não permitia aos pais de minha mãe uma atenção dedicada a cada filho. Ainda assim, admiro em minha mãe o bom relacionamento que sempre teve com seus irmãos, eles sempre foram muito unidos.

Só adulta minha mãe conseguiu se formar em curso técnico. Casou-se tarde porque acreditava que não teria um homem que de fato a amaria.

Depois da Constelação, o que acho de meus pais?

Meu pai é falecido, minha mãe ainda é viva.

Sempre os culpei por não ter me incentivado a estudar. E sempre culpei meu pai por ter sido muito ausente e não saber demonstrar sentimento. Além disso, na adolescência, era muito forte certa vergonha que eu sentia deles.

Eu achava meu ambiente familiar muito tenso, com reclamações entre meus pais que minavam o bom clima dentro de casa. Percebo que a secura com que foram criados deu a eles a base do que seria uma família.

É libertador para mim saber que eles fizeram o melhor que poderiam ter feito. Eram as bases que eles tinham e que usaram em minha criação.

Quais sentimentos e emoções tive ao fazer este exercício?

Com a Constelação e olhando para a trajetória deles, os sentimentos que me ocorrem são:

  • Gratidão e Amor: eles se dedicaram a mim, da maneira como puderam.
  • Perdão: sei hoje aceitá-los e recebê-los como eles são.

Fazer essa retrospectiva tirou um grande peso de minhas costas. Sinto-me mais leve por aceitá-los como são. Entendo que a Lei da Hierarquia não significa concordar em tudo com os valores e crenças de meus pais, mas sim respeitá-los por me ter gerado a vida e por terem feito o que foi possível ser feito.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

Mesmo meu pai não estando entre nós, repeti para mim mesmo a frase “Eu te compreendo e te recebo, quero que você também me dê o seu perdão”.

Em relação à minha mãe, percebo que este exercício me demandou a necessidade de estar mais próxima dela.

4 thoughts on “Perdoei meus pais depois que fiz Constelação Familiar

  1. O legal é que trabalhando a relação com os pais o constelado passa a ter um olhar mais lúcido e mais amoroso em relação a todo mundo. A CF é realmente libertadora, transforma a nossa vida e a torna mais leve.

  2. É maravilhoso quando compreendemos nossa realidade, ser uma pessoa consciente dos nossos atos e conhecer melhor o que nos leva a ter certos comportamentos em nossa vida.
    Entender a dificuldade de cada um e perdoar nossos pais e antepassados. Esta ferramenta veio para mudar muitas crenças e eu me sinto privilegiada de estar me aprofundando cada vez mais nesta realidade.

  3. Minha vida após a Constelação Familiar
    Quando meu pai morava na fazenda com seus pais e seus irmãos ele tinha que se submeter as ordens dadas pelo meu avô que era muito severo, naquela época os pais eram muito rígidos com seus filhos e a maioria trabalhava na fazenda para ajudar no sustento da casa, quando os filhos desobedeciam os pais eles eram severamente castigados. Meu pai nunca gostou de receber ordens e muito menos de trabalhar na fazenda, um dia nervoso por trabalhar no sol escaldante largou seu instrumento de trabalho e disse que nunca mais voltaria a trabalhar no mesmo serviço. Foi para cidade bem jovem e começou a trabalhar numa loja de secos e molhados e logo depois num supermercado onde foi promovido a gerência, sua carreira ia bem mas sentia falta de sua família, então conheceu minha mãe. Ela tinha muitos problemas em casa com seus pais que não se relacionavam bem, minha avó materna sofreu muito no casamento , era constantemente hostilizada pelo meu avô que começou a beber e perder mais ainda a compostura. Com tanto sofrimento minha avó teve um aborto e uma gravides que a filha nasceu doente e depois de alguns dias morreu. Minha avó resolveu sair de casa deixando tudo para trás, como não tinha dinheiro para sustentar seus filhos, teve que deixá -los para trás, imagino quanto sofrimento ela deve ter passado. Minha mãe assumiu toda responsabilidade da casa ainda jovem, cuidava dos seus dois irmãos mais jovens. Quanto sofrimento para ambas, minha mãe cuidava até das contas do pai que muitas vezes pedia sua ajuda. Minha mãe nunca soube ser cuidada , ela só aprendeu a cuidar, meu avô resolveu mudar para uma fazenda da família e não podia deixar minha mãe para trás, então meu pai com medo de perde-la , a pediu em casamento, então se casaram, passaram alguns anos minha mãe queria engravidar, mas meu pai não achava uma boa ideia naquele momento , não se sentia preparado financeiramente mas minha mãe engravidou assim mesmo. Eles passaram por muitas dificuldades financeiras e emocionais pois ambos se casaram com 17 anos e não sabiam nada da vida, não haviam nem estudado o suficiente. Minha mãe conta que passou muito mau durante sua gravidez, eu queria nascer antes da hora, ela enjoada muito, era muito ansiosa e ficava muito sozinha , quanta coisa aconteceu na vida dos meus pais! Hoje depois desses estudos sobre a Constelação Familiar me fiz muitas perguntas e obtive muitas respostas que nunca tinha parado para refletir. Como que meu pai ia ser presente em minha vida se ele nunca teve isso com seu pai? Como ele poderia entender minhas necessidades se seus pais nunca quiseram saber as dele? Lembro de ver meu pai sempre sério, eu dificilmente via um sorriso nos lábios de meu pai, na época eu não entendia , mas agora eu sei que algo dentro dele o fazia infeliz, ele era muito criticado pela sua família que constantemente jogava na cara dele que ele era metido e orgulhoso, torciam pelo seu fracasso. Lembro das críticas pesadas que meu pai me fazia, as crenças que ele acreditava serem certas. Ele não me deixava ter amigos porque ele acreditava que homem não podia ser amigo de mulher que todo homem sempre tem um interesse a mais e por muito tempo eu acreditei nisso , eu nunca tive amigos homens, ficar no portão de casa era proibido porque mulher que ficava no portão estava procurando homem, mulher tinha que namorar e casar se não ficava beata , velha e ninguém ia querer, por muito tempo carreguei isso comigo. Eu sentia muita tristeza e muitos traumas também. Muitas coisas que meus pais passaram eu trouxe para minha vida e o mais interessante é que minha avó se separou, minha tia, filha dela se separou, o filho da minha tia se separou, eu me separei, olha o emaranhamento aí , nunca tive mágoa, ressentimentos e nada do tipo em relação ao meu pai, mas quando eu era mais jovem sentia raiva, queria sair de casa, morar longe das implicâncias do meu pai, eu não achava justo ele me tratar daquele jeito. Eu amava e sempre amei minha mãe porquê apesar de sentir falta dela na minha vida, ela sempre estava ao meu lado me defendendo da ignorância do meu pai. O que é
    engraçado é que hoje eu sinto um sentimento de tristeza pela minha mãe não ter participado mais da minha vida, por ela ter colocado meu pai acima de tudo e de todos, eu sinto que ela no momento em que eu mais precisava , ela estava longe, então de vez em quando eu me pego jogando isso na cara dela, estudando a Constelação Familiar eu pude ver o lado da minha mãe e entender o quanto a vida dela foi penosa e sei também que ela trouce muita tristeza e desajuste para sua vida.
    Por isso eu desejo tanto ajudar as pessoas , tanta coisa ruim nós trazemos para nossa vida sem se quer entender o porquê , vazios que não sabemos de onde vêm. A dor de saber que talvez fomos injustos com nossos pais sem se quer entender o lado deles. Eu perdoo meus pais e meus antepassados por qualquer problema que tenham deixado de resolver e que eu tenha trazido para minha vida atual, eu compreendo meus pais e entendo porquê agiram da forma que agiram, sou grata pelos pais que tenho e pela forma que fui criada, sou grata pelos meus avós e meus antepassados que me deram a oportunidade de aprender com os erros a me tornar uma pessoa melhor.

  4. já fiz uma pequena avaliação sobre o que aconteceu em minha vida. Meu pai é falecido mas minha mãe é viva. Vivi uma vida sofrida. mas agradecço e perdoo minha mãe te sido severa conosco. A constelação me faz forte e amavel com a mãe. quanto ao pai, ja falecido, sinto carinho, saudade e companherismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − onze =