Constelação e vida diáriaConstelação Familiar

Lei da Ordem para Bert Hellinger e a Constelação

Lei da Ordem

A lei da ordem faz parte do grupo de 3 leis sistêmicas de Bert Hellinger. Elas fazem parte das propostas mais importantes do terapeuta alemão para a Constelação Familiar.

Temos um post aqui no blog com um resumo sobre cada lei, mas hoje nos deteremos em uma apresentação mais longa sobre a ordem. Confira!

Uma breve introdução à Constelação Familiar

As Leis da Constelação Familiar

Conforme comentamos mais a cima, a lei da ordem faz parte de uma tríade com 3 outras leis. São elas:

  1. ordem,
  2. equilíbrio,
  3. pertencimento.

A primeira nós detalharemos ao longo de todo o texto. Contudo, vale a pena falar rapidamente sobre o porquê de essas leis serem tão relevantes para a Constelação Familiar e fazer um apanhado geral sobre as outras duas.

O que é uma lei?

Um dos significados mais comuns para a palavra lei é:

“regra, prescrição escrita que emana da autoridade soberana de uma dada sociedade e impõe a todos os indivíduos a obrigação de submeter-se a ela sob pena de sanções.”
Para Bert Hellinger, os sistemas familiares funcionam bem quando as três leis acima são respeitadas.
Assim, por mais que não haja nenhum tipo de autoridade soberana regendo o funcionamento das famílias, a observá-las garante harmonia entre os participantes do sistema.

A lei do equilíbrio

Nos sistemas familiares, é importante garantir o equilíbrio entre as trocas humanas a fim de preservar a harmonia. 
Um exemplo clássico para essa lei é a troca.
Em um relacionamento amoroso, é possível notar claramente quando uma pessoa é mais carinhosa que a outra.
Caso não haja equilíbrio nessa troca de afeto, o casal com certeza enfrentará problemas e, eventualmente, um rompimento.

A lei do pertencimento

Aqui, a harmonia é preservada se todos os integrantes de um sistema familiar sentirem que pertencem a ele. 
Por exemplo, há casos em que uma pessoa toma uma decisão que a sua família considera ruim.
Logo, com o intuito de repreender o “pecador”, os integrantes daquele sistema o isolam, o que acaba trazendo desequilíbrio para as relações familiares e não a correção inicialmente pretendida.
Para Bert Hellinger, todos os integrantes de um sistema tem uma posição irrevogável ali. Toda vez que esse direito de pertencer é violado, todo o sistema sofre.

Afinal, o que é lei da ordem?

No caso da lei da ordem, nosso tema de hoje, o que mantém a harmonia em um sistema é o respeito pela ordem de chegada dos integrantes do sistema.

Por exemplo, os pais chegam na família antes dos filhos. Assim sendo, essa ordem de chegada deve ser respeitada.

O respeito se dá da seguinte maneira: os mais velhos possuem um certo privilégio com relação aos mais novos. Porém, quem chega antes também tem mais responsabilidades com relação a quem veio depois.

Por outro lado, quem vem depois deve respeito e consideração a quem chegou antes. Porém, quem chega por último goza da proteção e da orientação de quem chegou primeiro. Esse relacionamento funciona de maneira cíclica.

A lei da ordem para Bert Hellinger: suas 7 principais reflexões sobre o assunto

Quer descobrir algumas maneiras práticas de garantir o respeito à ordem em seu sistema familiar? Confira 7 reflexões com base nos pensamentos de Hellinger sobre o assunto!

1 – Hierarquias libertam

Nem todas as pessoas gostam muito de respeitar hierarquias. Inclusive, talvez, ao conhecer a Constelação Familiar, saber que elas são importantes te assuste.

Para Hellinger, reconhecer a importância de quem vem antes e depois é fundamental para libertar os sistemas de amarras que trazem desequilíbrios.

Exemplo

Um exemplo bastante simples que ajuda a entender isso é o do fundador de uma empresa e seus subordinados. Não é bom para o sistema empresarial que quem chegou depois desonre todo o trabalho feito por quem chegou ali antes.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

É possível negociar, discutir arranjos, mas nunca tomar a frente de uma pessoa que chegou antes de você. Igualmente, é tarefa daqueles que estão em uma posição mais alta na hierarquia guiar e cuidar de quem chegou depois.

Leia também:  Meus resultados com Constelação Familiar

A ausência de uma liderança verdadeira também traz desequilíbrio para o sistema. Portanto, realmente estamos falando de uma lei de complementaridade – é uma via de mão dupla.

2 – Indivíduos não são seres isolados

Uma reflexão bastante importante que a lei da ordem também provoca é a da importância de reconhecer a coletividade.

Para pessoas que se apegam a um ideal de vista individualista, o foco está sempre em si. No entanto, dentro da Constelação Familiar você precisa reconhecer sua identidade dentro de um sistema.

Essa identidade se dá também em comparação ao outro, principalmente quando se considera a ordem de chegada de cada um.

3 – Conhecer a sua ancestralidade é importante

Ainda nessa discussão sobre a necessidade de reconhecer o outro, vale destacar que não vale apenas se esforçar para conhecer quem chegou depois de você.

Muitas pessoas que vêm de lares destruídos formam suas próprias famílias determinadas a não repetirem os erros de pais ausentes ou que lhes fizeram mal.

No entanto, conhecer as motivações desses parentes que vêm antes no sistema é importante para não repetir os mesmos erros depois.

Para a Constelação Familiar, o importante é analisar os laços que nos unem e não romper com eles. Lembre-se: romper não ajuda. Ademais, os rompimentos não se tornam reais e definitivos só porque queremos.

4 – Desordens geram desequilíbrio

Outro ponto crucial para destacar é que o não cumprimento da lei da ordem leva ao desequilíbrio e à desarmonia.

Trata-se de uma consequência lógica quando se compreende que uma família ou uma empresa são sistemas em que as coisas precisam funcionar de uma determinada forma para se manter em bom funcionamento.

5 – Aprender a respeitar é crucial

Já deve estar evidente para você que para respeitar a lei da ordem é necessário respeitar pessoas. 

Assim sendo, é necessário investigar o que os integrantes do seu sistema entendem como respeito.

Por exemplo, para alguns pais o respeito e a honra se dão de acordo com valores morais que outras famílias não acham tão relevantes assim. O que é respeito dentro do seu sistema?

6 –  Ordens não são prisões

Nessa discussão, é importante deixar claro que ordens não aprisionam. Na verdade, elas liberam o sistema para funcionar agradavelmente e sem conflitos. 

Assim sendo, respeitar quem vem antes não deve aprisionar você em um relacionamento abusivo, mas permitir com quem você e seus parentes vivam em harmonia.

O mesmo vale para a proteção e orientação estendidas a quem chega depois. Essa obrigação não deve ser respeitada a fim de aprisionar você como alguém sugado o tempo inteiro por filhos e netos, por exemplo.

7 – A lei da ordem é amplamente aplicável

Por fim, achamos importante destacar que a ordem dos sistemas não funciona só em famílias.

A Constelação Familiar é uma abordagem terapêutica que se aplica tranquilamente a vários tipos de organização sistêmica.

Uma família é um sistema tanto quanto uma sala de aula e uma empresa. Por esse motivo, é fácil adaptar esta e qualquer outra lei a ambientes distintos.

Considerações finais sobre a lei da ordem na constelação

Aproveitando que mais acima falamos sobre a amplitude da aplicação da lei da ordem e da própria Constelação, lembramos agora que oferecemos um curso completo em Constelação Clínica completamente online.

Nele, você encontra todo o conteúdo necessário para aplicar os princípios e leis de Bert Hellinger na sua vida pessoal e profissional, em qualquer ambiente que julgar necessário.

No curso falamos mais sobre a lei da ordem e analisamos vários casos interessantes em que ela foi desrespeitada. Confira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × quatro =