Constelação e RelacionamentosConstelação Familiar

Dinâmica de grupo: O que é e como fazer?

A dinâmica de grupo costuma ser uma ferramenta corporativa empregada para implementação e reforço da cultura de cada corporação. De que maneira seu uso pode influenciar as soluções estratégicas?

Nesse contexto, esse tipo de dinâmica pode ser entendida como um poderoso instrumento organizacional. Seu caráter integrativo favorece a associação entre colaboradores e dissemina a ordem da mutualidade. Ação e reação se explicitam no sentido de favorecer potenciais individuais e de equipe

Com isso, a prática vai muito além de uma mera atividade em grupo. Sua finalidade não se condensa nos limites do entretenimento, mas sim nos de formação. Para isso, é preciso que os participantes tomem nota de sua finalidade e objetivo.

Este exercício simples, porém, muito poderoso, é um recurso potencial para definição de novos paradigmas. Por outro lado, é possível reafirmar conteúdos como missão e valores para realinhamento da equipe corporativa. Sua fundamentação traz renovação e ampliação de horizontes.

O que é uma dinâmica de grupo?

A dinâmica de grupo é uma atividade integrativa praticada, predominantemente, no ambiente corporativo. Obviamente, ela prevê a reunião de pessoas em prol de um objetivo comum que se pretende atingir. Essas pessoas compõem ou passarão a compor a referida equipe

Sendo assim, não existe número limite mínimo ou máximo de participantes. Desde que eles representem o grupo de trabalho o objetivo fim pode ser atingido. Essa atividade precisa contar, além dos atuantes, com um mediador, e é ele quem vai conduzir a execução da atividade.

O local ideal para a prática é aquele onde o processo possa ocorrer sem interrupções, como uma sala reservada e devidamente arejada, por exemplo. Além disso, é preciso que haja espaço suficiente para deslocamento dos participantes ao longo de atividades em que isso seja necessário.

Materiais e elementos diversos podem ser empregados na elaboração das atividades. Estes, por sua vez, precisam ter sua fundamentação devidamente apreendida pelo mediador. Assim, ele poderá usufruir com propriedade da execução da dinâmica, conduzindo-a aos melhores resultados.

Uma das características primordiais da dinâmica é que ela proporciona obrigatoriamente a interação entre os participantes. Por isso seu efeito pode ser tão benéfico, uma vez que propõe uma troca entre indivíduos e equipes de trabalho. Vale ressaltar que ela não está restrita a nenhum nível hierárquico, de modo que todo mundo pode participar.

Qual o objetivo de se aplicar a dinâmica de grupo

A dinâmica de grupo pode ser aplicada para os mais diversos fins dentro de uma empresa. Contudo, seus principais usos dizem respeito aos processos de entrada e reciclagem de funcionários. Ou seja, focam nos novos potenciais colaboradores e naqueles que já estão aderidos à equipe.

No objetivo de uma dinâmica há uma necessidade da empresa. Portanto, ela nunca há de ser aplicada de forma aleatória, e é preciso saber qual finalidade se quer atingir. Isso precisa estar definido antes de sua aplicabilidade, a fim de que se proponham ferramentas adequadas de execução.

Alguns objetivos para emprego de uma dinâmica são:

  • Destacar potenciais em seletivas profissionais;
  • Incorporar novos padrões comportamentais;
  • Imprimir novos valores ou reforçar antigos dentro da equipe;
  • Difundir valores pessoais como autoconfiança e autogestão;
  • Disciplinar para implementar mudanças sistêmicas.

É com base nesse ou nesses objetivos que o mediador deve buscar o melhor exercício que traga bons resultados. Ele precisa comunicar ao grupo antes do início da atividade o porquê de estarem ali. Da mesma forma, deve fazer com que se sintam à vontade para participar, respeitando as expressões individuais.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Mensurar os resultados da dinâmica é essencial, ao decorrer e ao fim da mesma.

    Como definir o profissional para pôr em prática?

    O mediador, que é quem conduz a execução da dinâmica de grupo, é geralmente um profissional de RH ou psicólogo. Sendo assim, ele traz consigo uma bagagem fundamentada quanto ao que trate da interatividade e desenvolvimento humano.

    É por meio de sua experiência que ele pode escolher com precisão as atividades mais vantajosas para cada objetivo. A jornada desses profissionais no mundo corporativo lhes permite distinguir o que mais se adeque a cada ambiente e grupo.

    Por isso é muito importante que a execução de instrumentos como as dinâmicas tenham como facilitadores profissionais deste calibre. Delegar esta tarefa a quaisquer membros ou empregá-la apenas a título de entretenimento dissolve todo seu objetivo.

    Sendo assim, é importante que a empresa possua ou contrate um profissional devidamente habilitado para este fim. Apenas ele possui domínio real sobre o andamento da cognição e comportamento humanos diante dos desafios. Logo, saberá mediar e conduzir a resultados que tragam propostas de melhorias.

    Por meio da aplicação das dinâmicas, este profissional consegue promover engajamento de equipes de trabalho. Além disso, insere nos grupos o fator motivacional, que termina influindo de forma determinante na performance do todo o grupo.

    Sabe-se o quanto o trabalho em grupo é tabu dentro dos ambientes corporativos. Temperamentos particulares e muitas vezes divergentes terminam por comprometer o andamento dos trabalhos. Assim, saber lidar com essas diferenças é crucial para unificar a equipe em torno do objetivo comum

    A aplicabilidade profissional da dinâmica de grupo trás para a discussão a necessidade de se pensar pelo todo. Com isso, cada indivíduo é levado a compreender que ele faz parte de uma equipe. E dentro deste espírito colaborativo a força de trabalho se amplia e se qualifica

    Alguns tipos de dinâmica mais aplicados

    Integração

    Muito comum para promover a comunhão entre a equipe de trabalho. Os integrantes da equipe são convidados a trocarem entre si informações básicas sobre suas particularidades profissionais. Desta forma, quebra-se o gelo e promove-se uma identificação maior entre os membros.

    Proposta de soluções

    Muito comum nos processos seletivos, visa identificar a capacidade de se apontar caminhos e soluções. Assim, é possível identificar membros com maior análise crítica e pode persuasivo. Com base na exposição de suas soluções, seu poder comunicativo também se evidencia.

    Debates

    Neste modelo de dinâmica, temas são apresentados à equipe e opiniões são dadas sobre o mesmo. Com isso, é possível colher quais valores e mentalidades estão dispersos no grupo. Uma vez identificados tais valores, trabalhos posteriores podem ser feitos a fim de fortalecer ou adequar os mesmos.

    Pontos positivos e negativos

    Nesta proposta os indivíduos trocam entre si seus próprios pontos fortes e fracos, mas sem a devida identificação. Na sequência é debatido entre a própria equipe como se pode melhorar o que for necessário. e usufruir do potencial que se tenha. Assim, torna-se possível administrar melhor o que precisa melhorar.

    Considerações finais sobre a dinâmica de grupo

    Lidar com o fator humano é algo complexo que exige profissionalismo e diretrizes específicas no campo dos relacionamentos Nesse contexto, ter uma formação em Constelação Clínica, oferecida pelo nosso instituto, é extremamente relevante. O conteúdo aprendido poderá ser aplicado em diferentes esferas e você terá sempre essa qualificação para atuar a nível profissional ou pessoal.

    Dessa forma, seja em casa ou no trabalho, poder[a lidar com a estrutura do grupo com quem convive de forma mais assertiva. Você entenderá os laços e as distâncias entre os indivíduos, deixando que a constelação te ajude a estabelecer um princípio de dinâmica de grupo decente.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    dez − dois =