Constelação e RelacionamentosConstelação e vida diária

Convívio social: como melhorar com Constelação Familiar?

Ainda que algumas pessoas não compartilhem dessa ideia, somos seres que precisam conviver em sociedade. Durante séculos, seja por necessidade afetiva ou de sobrevivência, procuramos nos manter unidos aos nossos pares. Nesses tempos de desconexão física por conta da internet, veja como melhorar o convívio social com a ajuda da Constelação familiar.

A importância de convivermos unidos

O ser humano é uma das criaturas mais sociáveis do planeta. Esse comportamento nos segue desde a infância e nos alcança no fim da vida. Assim, o desejo de comunhão é algo tão inerente que ajuda na manutenção da nossa saúde. Nos deixa doentes caso nos falte. Assim sendo, o convívio social nos permite crescer, nos apoia em situações difíceis e pode nos apontar caminhos.

Contudo, nem sempre os relacionamentos são um mar de rosas. Cada indivíduo é portador de suas peculiaridades, algo que os identifica na multidão. Diante de tantas outras, elas podem se chocar e, por vezes, originar conflitos. Nesse termo, entra a questão da busca pela harmonia nos relacionamentos. Procura-se o equilíbrio das visões pessoais para sanar os conflitos e buscar a felicidade mútua.

Portanto, dada a importância dos relacionamentos para a raça humana, percebemos que não é possível ser pleno sozinho. Mesmo quando não há companhia por perto, carregamos as pessoas e suas memórias dentro de nós. Assim, é esse laço social que nos nutre e nos fortalece, aprimorando nossas capacidades cognitivas e contribuindo para nossa evolução.

Por que nos afastamos?

Nas últimas décadas, comprovadamente se notou que a humanidade está perdendo a empatia. Cada vez menos, contraria o seu instinto de comunidade e se isola do convívio social. Deduzimos que este se sente ferido e/ou incomodado de alguma forma. Assim, como forma de escape, acabamos por nos distanciar do grupo.

Não o bastante, há pessoas que não se importam de fazer a manutenção das relações de modo consciente. Assim, a falta de contato constante pode acabar por acostumar alguém a se isolar dos outros. Nesse contexto, a solidão pode ser compreendida como um campo de calmaria, já que aparentemente não existe a necessidade de lidar com as diferenças dos outros.

Assim sendo, a Constelação pode indicar outro caminho muito melhor do que o afastamento. De acordo com as propostas de Bert Hellinger, traumas oriundos das gerações passadas podem ondular através das águas do tempo. Essa herança corrompida pode ser recebida por um indivíduo de forma não intencional, afastando-o dos demais.

Dessa forma, é importante considerar que a sua consciência alternada com a sua visão, além desse comportamento herdado são fatores importantes para que você não queira viver em grupo. O que queremos indicar aqui é que se você está com problemas para se relacionar, deve considerar este tipo de fator na sua vida familiar para buscar um tratamento. Uma vez que estar conectado é bom, não há porque não desejar uma mudança de perspectiva e sair da solidão.

A era da desconexão

Quando foram criados, os telefones e celulares prometiam unir as pessoas onde quer que estivessem. Ao longo do tempo, ambos foram diminuindo em seus tamanhos, mas aumentaram suas capacidades de unir dois indivíduos. Isso revolucionou a comunicação humana, seja pessoal ou ao trabalho.

Entretanto, notou-se também um efeito reverso nesse progresso com a internet. Aos poucos, as pessoas passaram a sentir menos necessidade do convívio social pessoal. Anteriormente, era comum que ligássemos e passássemos bastante tempo ao telefone conversando com alguém. Se não por telefone, o fazíamos pessoalmente ou até por meio de cartas e e-mails.

No entanto, hoje resumimos tudo o que gostaríamos de dizer em uma única mensagem de texto ou até emojis.

Assim sendo, pelo bem da comodidade, nos acostumamos a essa rotina. O pior, talvez, venha agora: sentimos incômodo ao telefonar para alguém ou encontrar a pessoa. Dessa forma, nos questionamos se a comunicação não poderia ser feita de maneira impessoal, indireta.

No entanto, esse comodismo, ao mesmo tempo que nos une virtualmente, nos distancia cada vez mais de conviver de forma real em sociedade.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Como melhorar o convívio com a Constelação familiar

    Felizmente, existem caminhos para resolver esse problema. De maneira direta, a Constelação familiar pode resgatar o sentido e o prazer de se manter em convívio com outras pessoas. Assim, os laços que os unem à família, amigos e até aos menos conhecidos podem ser reconstruídos. Veja como mais abaixo.

    Escutando

    Muitas pessoas limitam a audição à habilidade de perceber e reconhecer sons e ruídos. No entanto, o fazem sem necessariamente prestar atenção a eles. Nos relacionamentos, isso acaba por impedir um avanço da aproximação entre você e outra pessoa. Assim, sem escutá-la de verdade, você acaba por afastá-la.

    Escutar verdadeiramente significa entregar-se ao outro. É ceder um espaço para que este deposite as suas angústias e alegrias. Escutar é um gesto altruísta, pois você abdica de si por um tempo para colocar outro ente em primeiro lugar. Dessa forma, isso eleva a conexão do convívio social.

    Acolhendo

    O acolhimento é um bálsamo para qualquer pessoa. Isso porque a sua dor interna o sufoca de tal maneira que o impede de prosseguir. Contudo, quando alguém se dispõe a acolher sua dor e deixa isso claro, instantaneamente cria um laço. Para quem é acolhido, a mensagem recebida é a de que alguém que doou o seu carinho e paciência para atendê-lo.

    Exercendo a empatia

    A Constelação familiar também pode induzir o paciente a criar empatia pelos seus pares. Assim, entendendo a posição deles na terapia, bem como se colocando no lugar de cada um, as pessoas se tornam mais próximas. Compreendendo melhor a sua estrutura social e comportamental, um indivíduo se torna capaz de abrir caminho para as relações.

    Benefícios

    A Constelação familiar traz ótimos resultados a quem quer manter laços sociais mais firmes. Após a aplicação, é possível colher os frutos da terapia logo nos primeiros momentos. São eles:

    Resgate

    De imediato, a iniciativa em retomar uma relação se torna mais vívida. Ainda que haja algum empecilho para alcançar o objetivo, o paciente tratado desejará fazer um esforço maior para superá-lo. Assim, o desejo em retomar a sua posição em um círculo social será bem maior que o receio de não conseguir.

    Prazer em estar em grupo

    Você não só se sente motivado a fazer a manutenção das suas relações em grupo, mas também se sente confortável por pertencer a ele e agir dentro dele. Um bom exemplo são as pessoas expansivas, que interagem com cada indivíduo em particular.

    União

    Após entenderem a importância da convivência grupal, dificilmente os membros buscarão se isolar novamente. Mais do que nunca se empenharão para manter a ligação entre eles firme e renovada, se procurando sempre que possível.

    Independente do motivo, muitas vezes acabamos por negligenciar e repelir a nossa existência dentro de um convívio social. Por acreditarmos que isso se configure como perda de tempo em algum nível, acabamos por nos isolar. Contudo, é um comportamento pouco saudável e bastante prejudicial a qualquer um.

    Neste caminho, a Constelação familiar pode reivindicar nosso direito de pertencimento em um círculo. Por meio da sua visão única, o paciente pode ser reinserido no seu lugar de direito, nutrindo as conexões que o fazem atingir seu estado evolucional. É um processo de transformação mental e comportamental, possível a qualquer pessoa que o procure.

    Nesse contexto, se você quer resgatar o convívio com alguém e precisa de ajuda, se inscreva em nosso curso de Constelação familiar. Através das aulas online, você tem acesso a um material completo que te fará entender a estrutura comportamental de uma pessoa. Desse modo, você consegue entender a si mesmo, bem como os outros.

    Os professores se encarregam de te instruir de maneira eficaz, entregando conteúdos na medida em que os absorve. Você faz os seus horários, decidindo quando e onde aprender. O caminho para entender melhor a si mesmo e aos outros nunca esteve tão próximo. Assim sendo, dedique-se a entender o papel do convívio social em sua realidade e na de outros indivíduos também!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    13 − 4 =