Constelação e RelacionamentosConstelação Familiar

Continuar casado por causa dos filhos: vale a pena?

continuar casado por causa dos filhos

A dissolução do casamento é uma preocupação constante aos adultos que são pais de crianças pequenas. Pensando nelas, muitos acabam abrindo mão de si mesmos e continuando em um relacionamento que causa desconforto. Eis que perguntamos a você: será que vale a pena continuar casado por causa dos filhos?

Como as crianças são afetadas pelo divórcio?

Mesmo que o divórcio cause conflitos na criança, continuar casado por causa dos filhos também não é uma escolha melhor. Ainda que seja delicado, é preciso manter o empenho para que a separação seja a mais amigável e comunicativa possível. Mesmo que passem pelo estresse, os pequenos serão melhor atendidos aqui do que morar em uma casa cheia de brigas.

É preciso ser honesto consigo e entender que as crianças são sensíveis o suficiente para notar o clima estranho familiar. Como ainda não estão desenvolvidas, podem não entender essa passagem com desejos e interpretações limitados. Os pais precisam se posicionar para explicar o que acontece e contribuir com a aceitação dos filhos na nova realidade.

crianças no divórcio, vale a pena continuar casado por causa dos filhos

Por que a separação é difícil?

Até algumas décadas atrás a ideia de divórcio era algo difícil, complicado e visto com tabu. Nosso meio tinha uma ideia clara de que o casamento deveria ser a representação inabalável do amor humano. Quando um casal se divorciava, especialmente a mulher, enfrentava um estigma grande que podia fazer essa ideia ser esquecida.

Com o passar do tempo isso se tornou mais comum, embora tenha deixado alguns resquícios que pesam na escolha. Por exemplo, quase todos os casados na hora de se separarem tinham medo do desapego e início do novo. Existia dúvidas do que poderia encontrar, medo de prosseguir e se tivessem filhos, a situação complicava.

É preciso entender que a separação marca uma etapa de transição na vida desse ex-casal para que coisas novas surjam. Nisso, não deve ser vista com desespero ou medo do que pode encontrar mais à frente. Caso envolva filhos, deve ser pensada cuidadosamente se tratando da elaboração de como revelar isso aos jovens.

Os filhos de pais divorciados

Quando os pais se separam é preciso deixar que as crianças se curem sozinhas sem pressioná-las sobre qual lado escolher. A percepção da criança difere da nossa e até uma separação amigável precisa ser digerida adequadamente. No seu caso, deve lidar com a frustração e dor que pode sentir para se capacitar na orientação das crianças.

Indo além, é preciso entender que uma relação infeliz e gasta acaba influenciando negativamente no futuro das crianças. Manter a infelicidade de um casamento por causa dos filhos evita que eles possam entender que a felicidade pode acontecer na solidão. Quando feito de forma inteligente, eles podem aprender essa lição e que nem todos os casamentos podem dar certo.

Ademais, a criação dos filhos em casas separadas mostra a elas novas vivências de uma criação mais ampla. Nesse caminho, não haverá espaços para atritos, conflitos e até o extremo da violência. A família aqui não se ligará mais pelo matrimônio, mas, sim, pela relação sadia que os pais separados mantêm com os filhos em vidas separadas.

Divórcio, crianças e a cultura do apego

Como aberto linhas acima, uma das coisas que leva alguém a continuar casado por causa dos filhos é o apego. Existe um receio muito grande de enfrentar o que vem depois, mesmo que isso signifique a sua liberdade. Assim, fica difícil se desfazer da relação tortuosa com medo da dor seguinte por conta de algo que acostumamos.

Nisso, qualquer sinal de que o casamento pode chegar ao fim e levar a uma alteração acaba incomodando e assustando. E essa dor existente não se liga apenas ou necessariamente ao relacionamento ou o casamento. Uma mudança ou ruptura mais evidente pode levar um dos cônjuges à sensação do desapego.

Passe a entender que a vida é marcada por mudanças e que isso faz parte do curso natural dela. Se prestar atenção, os seus filhos se separarão de você um dia, assim como amigos ou seu posto no trabalho. O apego serve apenas para termos segurança sobre algo que não temos o controle completo.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    O convívio entre os pais

    Retomando, as crianças percebem o clima estranho quando houve a opção de continuar casado por causa dos filhos. Em relação aos pais, muitos defendem a passagem de datas significativas para tomar a iniciativa, mas isso pode levar anos. Essa falta de coragem visa a proteção dos filhos no processo, mas as consequências são prejudiciais a eles.

    Claro, o divórcio não vem abruptamente, mas os pequenos são capazes de captar a estranheza que passa a morar ali. Podem notar a mudança nas falas, olhares e concluir que seus pais viraram estranhos um para o outro.

    Quando a fala esclarecida sobre a separação surge é apenas a confirmação sobre algo que estava sendo percebido antes. Embora isso possa dar frustração e tristeza para todos, dependendo da situação, pode haver alívio também. Continuar no adiamento de algo tão importante acabaria trazendo um prejuízo emocional maior para toda a família.

    Não deve haver cobranças

    Os pais que continuam casados por causa dos filhos devem ter plena consciência da escolha que fizeram. Isso porque, a partir daqui, o clima de conflito pode piorar e impossibilita que o lugar tenha qualquer aspecto sadio. Lidando paralelamente com isso, quanto aos filhos, é preciso deixar claro que:

    • Estão isentos

    Alguns pais cometem a covardia de fazer cobranças aos filhos em um futuro a médio ou longo prazo. Nesse caminho, o argumento mais utilizado é e que se sacrificaram por eles ao continuar em um casamento infeliz. Não apenas está cobrando a criação dada a eles, como também reivindica o direito de controle argumentativo sobre eles.

    • Culpabilização

    É preciso deixar claro que os filhos não devem se responsabilizar pela situação vivida pelos pais. Isso porque muitos podem sentir culpa pelo divórcio e se sentirem responsáveis pela infelicidade dos dois. Nisso, o fato de continuar casado por causa dos filhos não deve ser transformado em peso as crianças.

    • Normalidade

    A separação deve ser vista com normalidade quando a infelicidade de brigas e hostilidades seja algo constante. Ensine que um casamento pode dar certo ou não e que isso acontece com qualquer pessoa.

    Questione-se: vale a pena continuar casado ou casada por causa dos filhos?

    Antes de pensar a respeito sobre continuar casado por causa dos filhos, é importante que estude a questão com diversidade. Neste sentido do questionamento, passe a se fazer algumas perguntas antes de decidir, como:

    Por que você continuaria em seu relacionamento?

    O que leva você a querer permanecer em sua relação e continuar com o casamento da forma que está? Seja claro nesse ponto para que possa tomar uma atitude que beneficie a todos.

    Qual o motivo de cogitar o divórcio?

    Com sinceridade, busque ser claro a respeito dos seus sentimentos sem usar as crianças como desculpa para isso. Por qual motivo você está considerando se separar do seu parceiro?

    Você está disposto a fazer mudanças?

    Busque observar se vocês fizeram o que podiam para salvar esse relacionamento. Nesse caminho, se responsabilize pelo o que fez e reflita se tem disposição para mudar. Isso inclui alguns comportamentos que podem prejudicar você e o próximo parceiro.

    O seu parceiro quer mudar?

    Assim como você, o seu parceiro deve pensar a respeito do que fez e falou nessa união. Caso tenha errado, ele mostrou alguma iniciativa em querer corrigir e mudar o comportamento? Embora todos nós tenhamos falhas é preciso saber e reconhecer quando alguém trabalha para melhorá-las.

    Você e o seu filho estão em perigo?

    Caso o seu parceiro seja uma pessoa agressiva e descontrolada isso deve ser levado em conta na hora de separar.

    Você e o seu filho terão algum suporte?

    Busque uma rede de apoio que possa fortalecer você, o parceiro e seu filho a passarem por isso saudavelmente. Todos precisam transicionar de um status ao outro e esse processo fica mais fácil quando se tem acompanhamento e ajuda. Desde a família, os amigos e até profissionais qualificados podem ofertar apoio para que o momento seja bem trabalhado.

    Responda você mesmo(a) se vale a pena continuar casado(a) por causa dos filhos

    Não dá para delegar a resposta a esta pergunta. Responda-a você mesmo(a).

    Quando se trata de continuar casado por causa dos filhos você deve pensar como essa escolha afetará vocês. Embora os pais pensem em como a criança ficará após o divórcio, deve estudar como ela está hoje em dia. Nisso, usar os filhos para adiar o divórcio é uma escolha que não vai fazer sentido ou trará benefícios.

    Como pais é preciso que esclareçam que a vida mudará, pode haver perdas, mas que os pequenos não serão abandonados. Ainda que o casamento termine, o papel de mãe e pai não acabam e a felicidade de todos é importante. Ninguém está perdendo ninguém, mas devem ter cuidado em falar sobre a situação e responder as perguntas que surgem da forma que puderem.

    Conheça nosso curso de Constelação Familiar

    Um caminho para alcançar nessa conquista é através do nosso curso online sobre relações familiares e terapia da constelação familiar. É um meio de lidar com as necessidades que possui atualmente enquanto lapida seu autoconhecimento e resolve seus conflitos. Através deste treinamento, você terá a resposta e ajudar outras pessoas a terem também, sempre quando se perguntar sobre continuar casado por causa dos filhos.

    One thought on “Continuar casado por causa dos filhos: vale a pena?

    1. Eu estou num relacionamento infeliz por mais de 3 anos e não tenho coragem de terminar por causa da minha filha Manuela.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    nove + 5 =