Constelação e RelacionamentosConstelação Familiar

As 3 Consciências da Constelação Familiar

Hoje vamos falar para você sobre as três consciências da constelação familiar. Elas  são abordadas nas constelações familiares, no entanto não é tão frequente encontrar discussões a respeito. No entanto, é através delas que é possível entender qual o nível de consciência em que se encontra um sintoma. Caso não tenha entendido nada, não se preocupe. Detalharemos bem o assunto mais abaixo.

Questionamentos sobre consciência

Já faz muito tempo que nos dedicamos a estudar a mente humana. Nesse contexto, cientistas, psicólogos e filósofos sempre se dedicaram a estudar as consciências em específico. Por outro lado, Freud falava sobre o inconsciente e o consciente.

Assim sendo, já se conhece um pouco a respeito da força e do impacto que a consciência tem sobre nossas vidas. Além disso, já temos alguma noção sobre a maneira com que ela atua dentro de nós.

Toda essa pesquisa tem uma razão de ser: são questionamentos comuns a pesquisadores e pessoas leigas. Nesse contexto, é natural se perguntar sobre a forma como nossos pensamentos e sentimentos ficam armazenados de forma consciente ou inconsciente.

Com relação às constelações sistêmicas esse tipo de questionamento também aconteceu. O criador deste método se debruçou muito sobre este tema.

Bert Hellinger e as consciências da Constelação Familiar

Bert Hellinger, criador do método das constelações familiares, aponta três níveis de consciência espiritual. Através destas é possível compreender e as três Leis Sistêmicas do Amor.

Nesse contexto, são 3 consciências da constelação familiar:

  • 1. a consciência pessoal,
  • 2. a consciência de grupo e
  • 3. a consciência espiritual universal.

Contudo, todas elas se complementam para a formação de uma consciência maior, que é a do amor do espírito.

Assim, os padrões de consciência são determinados pelos grupos e pelas pessoas com as quais nos relacionamos. Como pertencemos a diferentes grupos e nos relacionamos com diferentes pessoas, também desenvolvemos consciências distintas.

Assim, vamos ver com mais detalhe cada uma dessas três consciências da constelação para que você possa entender melhor cada uma delas.

constelação familiar e consciência

Consciência Pessoal

A Consciência Pessoal é a consciência mais básica e está diretamente ligada à educação que recebemos e os valores familiares que adquirimos. Assim, está relacionada com a noção de certo e errado e é regida pelos sentimentos de culpa e inocência. Nesse contexto, ela atua de forma consciente em nós e a favor do vínculo.

Consciência de Grupo

A Consciência de Grupo deixa de ser algo pessoal e passa a estar relacionada com o grupo. Nesse contexto, há aqui um poder inconsciente, exercido pela força do grupo. Assim, o poder da consciência de grupo é maior do que o da pessoal, onde não se observam questões individuais ou de justiça.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

Esta consciência na base do equilíbrio entre aquilo que recebemos e aquilo que damos dentro de um grupo.

Consciência Universal

A Consciência Universal é quando conseguimos entrar em harmonia com o amor. Para o amor do espírito não existe mais ou menos pertencimento. Esta consciência acontece quando estamos serenos, em paz e nos traz uma sensação de leveza. Por isso, ela é diferente das outras.

As consciências da constelação familiar e as Leis do Amor

Como falamos acima, as Leis do Amor se referem ao vínculo com a força do pertencimento. Assim, estão associadas também ao equilíbrio com a força da compensação, e à ordem com a força da ordem de chegada e o lugar de cada um em um sistema.

A Lei do Vínculo

Assim, as Leis do Amor estão ligadas às consciências. Nesse contexto, a Lei do Vínculo diz respeito à necessidade que existe de nos conectarmos com a nossa família, de sentirmos um vínculo. Isso acontece porque temos uma forte noção de pertencimento familiar. Sem isso, sentimos que algo muito forte nos falta.

Leia também:  Curso para constelador familiar, qual fazer?

Nesse contexto, é por isso que para termos essa sensação de pertencimento, estamos dispostos a entregar mesmo nossa própria vida a ela.

A Lei do Equilíbrio

No que diz respeito à Lei do Amor do Equilíbrio, há uma associação íntima com a noção do dar e receber. Assim, isso significa que aquilo que você dá deve estar em equilíbrio com aquilo que você recebe, de maneira proporcional. Costumamos nos sentir devedores quando recebemos algo e credores quando damos algo.

No entanto, é necessário e fundamental existir um equilíbrio entre esse débito e crédito.

A Lei do Sentido da Ordem

A Lei do Sentido da Ordem está relacionada com a ordem natural das coisas, isto é, com a hierarquia familiar de quem entrou antes e de quem chegou depois. Por exemplo, sempre que ocorre um acontecimento trágico na família, significa que uma dessas pessoas violou a hierarquia do tempo.

Nesse contexto, o ser é estruturado pelo tempo e pelo que através dele se vai construindo. É através do tempo que vamos adquirindo o nosso posicionamento.

Os relacionamentos humanos e as consciências da constelação

É importante comentar a razão pela qual abordamos essa discussão. Nesse contexto, nossa justificativa diz respeito ao fato de que dentro dos campos espirituais das três consciências, estas devem servir as três condições ou leis preestabelecidas para que o relacionamento humano seja saudável.

Nesse contexto, esses relacionamentos devem ser estabelecidos através destas condições, que vão dar força ou fraqueza à nossa alma.

Cada uma dessas necessidades tenta estabelecer uma ordem através da culpa e da inocência, conceitos a que nos referimos acima. Isso dentro da primeira consciência, a pessoal. Contudo, neste caso, essas necessidades devem respeitar as três leis.

Por exemplo, no vínculo, a culpa é experimentada como exclusão e distância, enquanto a inocência é associada a conforto e proximidade.

No equilíbrio, a culpa é sentida como obrigação, quando a inocência se liga à liberdade ou reivindicação. Por outro lado, no caso da ordem, a culpa é vivida como transgressão e medo de punição, enquanto a inocência é encarada como retidão e lealdade.

Desta forma, fica mais fácil ver que a culpa e a inocência são como os dois lados de uma mesma moeda que se encontram ao serviço das ordens do amor. Isso nas diferentes instâncias das três consciências.

Particularidades da consciência espiritual

É importante ainda falar, a respeito das consciências, que a última, ou seja, a consciência espiritual, inclui as outras duas dentro de si. É ela que trabalha para o todo, para que tudo possa ser perfeito. Nesse contexto, vai além da moral. É o amor maior que busca nos reconectar com os movimentos espirituais da sabedoria, da coragem, da humildade e da gratidão.

De acordo com Hellinger, todos nós podemos nos conectar com essa consciência. Isso de forma a tornar a sua atuação presente e consciente, concordando que ela flua e nós e através de nós.

Aplicando as três consciências da Constelação Familiar em nossas vidas

Por fim, podemos dizer que as constelações acontecem de acordo com a compreensão destas três consciências no ser humano. Assim, a sua grande eficácia como método terapêutico está relacionada ao modo como lida com isso.

Nesse contexto, é através desse contato que se estabelece com a sua essência que se torna possível criar um equilíbrio entre as ordens do amor. Assim sendo, trata-se de conseguir uma conexão com a consciência espiritual e universal.

É importante que indivíduo consiga se compreender, encontre suas consciências e tenha a noção de como elas funcionam e agem dentro de sua mente. Nesse contexto, isso faz com que seja possível que haja um equilíbrio entre todos os seus padrões mentais.

Leia também:  Constelação Familiar para Psicanalistas

Assim, ao agirmos de acordo com essas leis do amor, nossa vida se amplia e os objetivos fluem de forma natural. Contudo, de forma contrária, quando estas não estão sendo respeitadas os resultados são negativos.

Dessa forma surgem problemas tais como perda de vitalidade, dificuldade nos relacionamentos, problemas de saúde e dificuldades ao nível profissional e pessoal.

Nesse contexto, é por isso que, dentro das constelações, é possível compreender quais leis estão sendo violadas e as que estão provocando os transtornos no desenvolvimento da vida do indivíduo. Assim, após compreender isso, a pessoa pode entrar em equilíbrio com as leis e consigo mesma. Isso respeitando e se harmonizando com todas as leis e consciências.

Se gostou do nosso texto e ele foi útil a você, deixe o seu comentário para que continuemos trazendo conteúdos relevantes. Além disso, não deixe de conferir o nosso curso EAD sobre Constelação Familiar!

Assim sendo, você obtém um certificado que te habilita a atuar como constelador. Além disso, ainda aprende mais sobre temas como as consciências da constelação. Aprenda a ampliar seu nível de consciência e trabalhar com constelações familiares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + oito =