Constelação e vida diáriaConstelação Familiar

É possível se auto avaliar na Constelação? Entenda

A cada dia que passa, vemos como precisamos buscar evoluir mais a cada dia. A busca por sermos a melhor versão de nós mesmos precisa ser amparada por uma avaliação. Dessa forma se auto avaliar é algo essencial. Porém, a auto avaliação é uma jornada. Consequentemente, precisamos usar todas as ferramentas que estão ao nosso dispor para isso.

Por isso, hoje falaremos como a constelação familiar pode ser uma dessas ferramentas.

O que é auto avaliação

No entanto, precisamos começar entendendo o que é se auto avaliar. Inicialmente, a avaliação é uma habilidade que desenvolvemos ainda crianças. Ela tem a ver com a capacidade de ter pensamento crítico e tomar decisões sobre pessoas, situações, coisas e características. A partir dessa habilidade, desenvolvemos a auto avaliação.

Se auto avaliar é olhar criticamente para suas próprias características. Através desse olhar, conseguimos trabalhar o que é problemático e potencializar as nossas qualidades. Dessa forma, saímos de um estado de estagnação na vida.

Considerando isso, a auto avaliação é um exercício de reflexão fundamental para todas as pessoas. Sendo que se deve aplicá-la a todas as facetas da nossa vida. Ou seja, desde a profissional até a social e pessoal. Porém, como dissemos, não é algo fácil de se fazer.

A dificuldade de se auto avaliar

Um dos motivos que levam a essa dificuldade é que o olhar crítico para si é pouco incentivado na sociedade. Mesmo quando incentivado, ele normalmente vem carregado de pensamentos negativos e atitudes conformistas.

Além disso, é importante dizermos que se auto avaliar não é ser duro consigo mesmo. A auto avalição se trata de encontrar e reconhecer seus defeitos para entender como você pode melhorar. Ademais, na autoavaliação, você também deve encontrar pontos positivos. Afinal, somos seres complexos.

Inclusive, precisamos dizer que os pontos positivos precisam ser reconhecidos como importantes. E isso não apenas para sua autoestima. Pois, na maioria das vezes, suas qualidades oferecem um caminho mais fácil para superar seus defeitos.

O que é Constelação Familiar

Como dissemos, se auto avaliar é difícil e uma das ferramentas que nos auxiliam nesse processo é a constelação familiar. E vamos falar sobre ela neste tópico!

Foco

Primeiramente, o foco que norteia a constelação familiar é a necessidade de entender como os sistemas familiares influenciam nossas vidas. Afinal, todos temos cargas emocionais e características que não entendemos. Sendo que, muitas vezes, não conseguimos determinar a origem de tudo isso ou o que motiva esses sentimentos.

A constelação vem nos dizer que a origem de tudo está nos sistemas familiares. Ela analisa padrões de comportamentos de gerações de grupos familiares e, com essa análise, busca relacionar doenças e problemas entre membros de um mesmo sistema.

Ou seja, tanto o constelado como seus familiares, mesmo os desconhecidos, podem ter passado pelas mesmas coisas. Com isso, há um rastreio de comportamentos nocivos que se arrastam por gerações mesmo que de forma inconsciente.

Tratamento

A partir do conhecimento é que surge a possibilidade de tratamento. Falaremos mais sobre isso no tópico sobre o objetivo da constelação familiar. Mas antes de chegarmos, precisamos falar um pouco mais sobre o que constitui a constelação familiar,

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Origem da constelação familiar e os três princípios norteadores

    A origem da constelação familiar se dá com os estudos e aplicações do alemão Bert Hellinger. Hellinger foi um padre missionário na África durante 16 anos. Após esse tempo ele se desligou do clero e se dedicou ao estudo de terapias diversificadas.

    Como já dissemos, nossos problemas estão ligados aos nossos sistemas familiares. Para explicar isso, Hellinger propõe que há três princípios que norteiam nossas vidas:

    • Pertencer ao grupo ou clã

    Todos os membros têm o direito de pertencer ao sistema. Na família, isso inclui crianças abortadas (por aborto espontâneo ou provocado), bebês natimortos e parentes sobre os quais muitas pessoas não gostam de falar ou que, por algum motivo, foram excluídos.

    • Equilíbrio entre o dar e o receber dentro dos relacionamentos;

    Em qualquer sistema de relacionamento, os membros pertencentes devem se sentir em equilíbrio para que a relação flua em harmonia. Quando um membro se sente “maior” do que outro em importância, a relação sofre consequências e daí surgem os emaranhados.

    • Hierarquia dentro do grupo.

    Significa a necessidade de reconhecer o lugar de um membro no lugar que lhe é devido reconhecendo a ordem de precedência dentro do sistema. Exemplo: um pai sempre será o pai, independente de estar ou não presente.

    Esses princípios são ordens das quais não podemos fugir. Quando estamos em harmonia com essas leis, há paz em nossas experiências de vida.

    Ordens do amor

    Nesse contexto, aproveitando que estamos falando de princípios, vale notar que Bert nomeou as ordens que originam desses princípios como “ordens (ou leis) do amor”. Para a Constelação, a nossa negligência no tocante a essas leis influenciará no futuro de outras pessoas. Além claro, dos problemas que enfrentamos no hoje também como, por exemplo, doenças.

    Objetivos da Constelação Familiar e como podemos nos auto avaliar

    A partir do que foi dito, vemos que o objetivo da constelação familiar é trazer a consciência daquilo que influencia nossas ações. Ou seja, é imprescindível descobrir o que originou os padrões de comportamentos, as doenças e sentimentos que se fazem presentes em nossa realidade para trazer isso para o âmbito do consciente. Além disso, inconscientemente, as forças sistêmicas podem nos afetar em níveis inimagináveis.

    Por exemplo, uma pessoa pode ter grandes dificuldades em relacionamentos amorosos por decorrência de atitudes de seus antepassados.

    Homens que tem antepassados machistas, podem ter problemas nos relacionamentos atuais. Ou a perca de um familiar de forma prematura pode gerar problemas em relacionamentos futuros. Entre várias outras situações.

    Auto avaliação

    Dessa forma, a constelação nos auxilia na auto avaliar. Ou seja, reconhecer nossos padrões comportamentais, sua origem e como trabalhá-los. Consequentemente, conseguimos aplicar uma visão holística e sistêmica naquilo que nos aflige. Nos ajudando ir mais profundamente do que pensamos ou estão facilmente a vista.

    Considerando tudo isso, é imprescindível que reconheçamos que somos resultados de um grupo. Sendo que isso inclui todos os ônus e bônus de ações e comportamentos de todos deste grupo. Dessa forma, nós conseguiremos refletir sobre toda a carga emocional que decorre disso.

    Comentários finais sobre a importância de se auto avaliar

    Tendo posse disso, devemos trabalhar para entender o emaranhado de que fazemos parte e reconhecer de que precisamos nos curar. E, como dissemos, o grande objetivo da constelação familiar é nos ajudar nessa descoberta. Sendo assim uma ferramenta eficaz para se auto avaliar. Por fim, se você quer saber mais sobre constelação familiar e auto avaliação, conheça nosso curso 100% online de Constelação Clínica! É pratico e de fácil acesso. Por isso, se inscreva já.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    10 − dois =