Constelação Familiar

O que é visão sistêmica e como desenvolvê-la?

A visão sistêmica, particularmente bem documentada desde a década de 1980, influenciou várias abordagens descritas. No entanto, sendo uma prática adotada nos negócios resultantes da abordagem das constelações familiares sistêmicas inventada na década de 1980 por Bert Hellinger.

A visão sistêmica é um processo pelo qual o “constante” é convidado a posicionar as pessoas em um espaço, em que a relação está sendo tratada. Desse modo, o espaçamento dos corpos e seus ângulos entre si expressam um sistema relacional que ajuda a representar uma situação.

A ressonância de grupo, ao colocar corpos em movimento, é usada como uma ferramenta para diagnosticar e tratar um problema. A abordagem é particularmente adequada para trabalhar em representações.

Como desenvolver a visão sistêmica

O terapeuta, se quiser ser sistêmico, terá de especificar para si mesmo qual é o sistema com o qual afirma trabalhar. Essa exigência teórica, portanto, o obriga sobretudo a delimitá-la.

Ele terá, então, que definir quais são os elementos constituintes (pessoas) do sistema e situar aqueles considerados como fora dele. Quando um indivíduo se depara com problemas familiares, o risco é limitar o sistema à chamada família “nuclear” (família próxima oficial).

Desta maneira, não levando em consideração outros elementos como companheiros, meios-irmãos ou irmãs, sucessivas madrastas ou padrastos, ou os filhos da recomposição familiar.

Origens da visão sistêmica

A abordagem de sistemas se originou nos Estados Unidos na década de 1940 e se desenvolveu rapidamente na década de 1960. Sendo assim, Bert Hellinger desenvolveu seu próprio método neste contexto na década de 1980.

Houve então uma quantidade impressionante de trabalho científico e uma certa proliferação de tendências e escolas de terapia sistêmica. A abordagem sistêmica tem suas raízes em uma reação ao individualismo da corrente psicanalítica vigente na época.

Portanto, traz uma nova maneira de ver a doença mental como resultado de um sistema interpessoal disfuncional, em vez de uma patologia individual. A abordagem de sistemas é baseada na combinação da teoria geral dos sistemas, teoria da comunicação e cibernética.

Descrição da abordagem de visão sistêmicas

A visão sistêmica surgiu da tentativa de abordagem do cliente em seu contexto interpessoal. Consiste em uma teoria e uma abordagem terapêutica centrada no sistema interpessoal disfuncional do cliente.

Sem descuidar do nível individual, a abordagem sistêmica entende a problemática do cliente por meio das relações que mantém com os diferentes sistemas em que atua. Sendo assim, esses sistemas são sua família, seu ambiente profissional e social, bem como a sociedade em que vive.

Funcionamento

A abordagem de sistemas postula que o cliente é influenciado tanto por suas intenções, as dos outros quanto pelo sistema em que opera. Deste modo, na terapia sistêmica, o problema psicológico é visto como um sintoma de disfunção do grupo, muitas vezes da família.

E o contexto de vida atual do cliente será usado pelo psicoterapeuta para resolver o problema. Em vista disso, observa-se que a terapia sistêmica pode ser realizada tanto individualmente quanto em grupo. Como é o caso na terapia familiar, por exemplo.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    As práticas da abordagem sistêmica

    Embora a abordagem dos sistemas interacionais reúna várias escolas de psicoterapia, ainda podemos destacar algumas práticas comuns. O objetivo do terapeuta sistêmico é trazer um novo equilíbrio em uma pessoa ou sistema disfuncional.

    Para isso, ele usará os recursos pessoais e relacionais da pessoa para descobrir novas formas de funcionamento. É, portanto, uma abordagem “ativa” focada na mudança concreta através da busca de novas soluções.

    Portanto, na abordagem de sistemas, o psicólogo está interessado em como os problemas se manifestam no presente e não no passado. Consequentemente, o passado é visto como um conjunto de aprendizagens que refletem e definem a identidade do cliente aqui e agora.

    Técnicas utilizadas na abordagem de sistemas

    O mediador sistêmico enfocará no início da psicoterapia as dificuldades centrais e o problema atual mais agudo experimentado pelo cliente. Além de usar técnicas tradicionais de psicoterapia, o terapeuta usará técnicas específicas para esta abordagem.

    Nesse sentido, podemos citar a técnica de prescrição de tarefas como, por exemplo, experimentos de observação e comunicação. As injunções comportamentais, o questionamento circular, o reenquadramento e o uso do paradoxo também são técnicas associadas à abordagem sistêmica.

    Acrescentemos também a esta lista os métodos da história de vida, o genograma e o cartão da família.

    Intervenção do terapeuta

    É importante distinguir, dentro da família, quem pediu a intervenção do terapeuta. Pois, o seu papel não é neutro.

    O terapeuta, aliás, também é um dos elementos desse sistema, ao lado da família e de quaisquer outros atores. E a afirmação do sintoma ou do problema também diz algo sobre seu lugar na problemática e assim se desenvolve a visão sistêmica.

    Desta maneira, a leitura sistêmica multiplica as possibilidades. Além disso, mostra como muitas vezes existem várias formas adequadas de reagir, estando as possibilidades de ação ao nível de todos os atores.

    O terapeuta primeiro definirá uma estrutura

    O que define o ambiente de trabalho da visão sistêmica são:

    • a frequência das sessões;
    • o convite ou exclusão de determinado membro da família;
    • a intervenção de um ou mais terapeutas;
    • a presença ou não de uma câmera ou espelho unilateral.

    Portanto, não existe uma regra preexistente, exceto reunir pelo menos duas gerações. Sendo assim, deve-se tomar cuidado para não ratificar os processos de exclusão já em curso na família. Como a ausência sistemática de um dos pais ou filho deixado para trás.

    Quem pode se beneficiar?

    Qualquer problema que afete a vida de uma pessoa, em relação às relações familiares e aos contextos mais amplos, será beneficiado por ser trabalhado com a abordagem sistêmica. E qualquer situação que afete o relacionamento entre os membros da família pode se beneficiar da terapia familiar.

    Dessa forma, a terapia familiar é certamente útil em tempos de crise. Mas também para problemas recorrentes, como aqueles que podem estar relacionados à doença mental de um dos membros da família.

    Considerações finais sobre visão sistêmica

    A visão sistêmica nos permite saber quais princípios ou leis ajudam a melhorar as relações, entre os membros de um sistema, em termos de fluidez, transparência e eficácia.

    Com isso, menos energia é investida na cooperação, comunicação e confiança entre esses membros, o que faz com que a equipe e as organizações se tornem altamente eficazes e atinjam os objetivos muito mais cedo. Consequentemente facilitando que outros novos objetivos possam ser alcançados e que aumentem a produtividade.

    Por isso, conheça mais sobre a visão sistêmica e aumente a sua produtividade por meio do método de Bert Hellinger. Sendo assim, se inscreva em nosso curso online de Constelação Familiar e amplie o seu autoconhecimento!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    seis + três =