Constelação e RelacionamentosConstelação Familiar

O que é relacionamento abusivo? 20 sinais para identificar

o que é relacionamento abusivo?

Nem tudo são flores quando se trata de relacionamentos e alguns dos que vivemos podem colocar a nossa vida em risco. Acontece que o problema é tão enraizado que nem mesmo as vítimas conseguem entender a gravidade da situação. Entenda melhor o significado de relacionamento abusivo e como identificá-lo em 20 sinais.

O que é relacionamento abusivo?

O relacionamento abusivo se trata de uma relação capaz de comprometer uma das partes física e emocionalmente. Nisso, existe uma imposição de poder que um dos parceiros direciona à manipulação e controle do outro. Quem nunca ouviu a história de alguém que não podia suar determinadas roupas, ter amigos, usar internet ou sofrer ciúmes?

De certo modo, para a vítima, é difícil identificar quando há abuso, pois nem sempre a violência está envolvida. A manipulação tóxica é sutil e velada, abrindo caminho para a aplicação da violência psicológica e privações. Em muitos casos, o submisso pode vir a óbito, dada à gravidade da situação que o relacionamento se mostrou.

Fases

As fases de um relacionamento abusivo podem variar a ordem e se repetirem indefinidamente. Gradativamente, a vítima entra numa espiral em que não acredita mais em si mesma e se fragiliza nesse ciclo tóxico. Ela pode estar vivenciando:

Ofensas

Muitas vítimas acabam sofrendo diariamente negligências e ofensas verbais a respeito de qualquer coisa sobre ela. Nisso, temos aqui a violência psicológica, de modo a facilitar o controle e tornar indiretas as agressões. Cada vez mais a mentalidade da vítima entra em colapso e se abala a ponto de torná-la plenamente submissa.

Agressões físicas

Sendo mais visível, o agressor passa a agredir fisicamente o outro deixando marcas evidentes da convivência a dois. Por exemplo, beliscões, tapas, empurradas e até socos e chutes que façam o seu domínio aumentar. Enquanto algumas tentam disfarçar os machucados pelo corpo por medo, outras já decidem aqui se separar e fazer denúncia.

O “arrependimento”

Como sente que o eu controle está acabando, o agressor muda de tática e assume uma postura arrependida. Nisso, promete que as agressões acabarão e vai manipular a vítima para convencê-la de que seu comportamento mudará. Assim, muitas vítimas acabam acreditando nessa mentira e retomam ao ciclo de agressão anterior.

É preciso entender que se alguém está disposto a agredir você gratuitamente nunca se deve dar qualquer chance de reaproximação.

O que fazer no relacionamento abusivo?

Apesar de parecer óbvio, quem está em um relacionamento abusivo precisa buscar ajuda imediatamente. Note que mesmos as agressões psicológicas são o suficiente para que não retome a sua vida como antes. Por meio de uma ajuda psicológica, além de identificar o problema, pode superá-lo e adquirir resiliência enquanto se cura.

Sem contar que a segurança e estima que a vítima sentiam simplesmente desaparecem nesse relacionamento tóxico. Com isso deve reiniciar o seu caminho para se recuperar e reconstruir o seu amor próprio. Apesar de ser difícil, deve dar uma chance para si mesmo e trabalhar os abusos que sofreu no passado.

Ademais, as vítimas dessa relação, principalmente as mulheres, podem reconhecer a serviços públicos de denúncia. Uma denúncia anônima para o número 180, na Central de atendimento à mulher, é a passagem que precisa ao recomeço.

A culpa nunca é da vítima

Um dos argumentos mais comuns no relacionamento abusivo é de que a culpa é sempre da vítima, especialmente a mulher. Acontece que quem está de fora tem apenas noção da vivência em desgraça que o submisso vivencia. Não apenas quem olha, mas também o agressor busca convencer que a culpa de agir assim não é dele.

Isso acontece através da manipulação, depredando e minando a autoestima de quem sofre com isso. Em seguida se planta as dúvidas e se afirma a ideia de o alvo é a fonte de todo o problema. Dessa forma, quando alguém de fora tenta intervir, a vítima acaba protegendo o seu agressor e se responsabilizando por essa realidade.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Para exemplificar, uma paulistana voltou de uma atividade cotidiana e assim que chegou em casa foi recebida com um soco. O marido agressor justificou que ela havia se ausentado sem avisar e ficou preocupado por conta da violência na rua. Infelizmente, após perceber a sua condição, entendeu que fazia parte da dinâmica abusiva e tinha absorvido aquilo como verdade.

    Sem julgamentos

    No momento em que a vítima de um relacionamento abusivo pede por ajuda precisamos dar apoio em vez de julgar. Isso porque muitas pessoas sem empatia afirmam que ela está nessa condição porque quer. Dessa forma, além de não ajudar, acaba reforçando a culpa e a isolando de ajuda, expondo ao agressor.

    Antes de tudo, precisamos acolher a vítima sem que essa passe por um julgamento alheio, dando a segurança que precisa. Feito isso, é preciso conversar francamente para eliminar a ideia de que ela não é culpada pelo o que acontece.

    Em seguida, encaminhar à terapia para que trabalhe esse trauma e recupere a sua autoestima. Através disso poderá quebrar a influência e dependência emocional do agressor e se recuperar do trauma e dor acumulados.

    Teste sobre relacionamento abusivo

    Se tem dúvidas a respeito de um relacionamento abusivo, seja honesto e se faça algumas perguntas, como:

    • É humilhado e se embaraça publicamente por ele?
    • Ele ameaça se matar se terminarem?
    • O parceiro não hesita em te colocar para baixo?
    • Telefona ou manda mensagens com frequência quando não estão juntos?
    • Você é constantemente criticado de forma gratuita?
    • Controla você financeiramente?
    • Ele te ouve quando a relação tem problemas?
    • Sua família e amigos são criticados e se sente isolado deles atualmente por isso?
    • Você tem sido ignorada ou excluída, de modo a sentir instável emocionalmente?
    • Culpa você pelas falhas que ele está cometendo?
    • Está sendo traído ou desconfia da infidelidade dele?
    • O afeto entre vocês quase não existe mais?
    • O parceiro te desrespeita ao flertar com os outros na sua frente?
    • Ele é dominador e controlador com você?
    • É sarcástico de modo desagradável a respeito de qualquer coisa envolvendo você?
    • Te ameaça falando coisas do tipo “Se não fizer tal coisa, eu vou fazer isso”? Em geral, isso fica mais perceptível quando ameaça buscar outra pessoa
    • Diminui as suas vitórias, de modo a ter inveja do que está conquistando?
    • É nocivamente mau-humorado com você, principalmente quando estão sós?
    • Depois do “eu te amo”, tem sempre um “mas…”?
    • Faz bullying com você a respeito de qualquer coisa?

    Se ao menos se identificou com cinco dessas perguntas é bom rever a relação que está atualmente.

    Reconstrução

    Entendendo como identificar um relacionamento abusivo, é hora de buscar apoio em grupos e terapia. Infelizmente, sua emoções podem estar muito confusas e impedem que você lide com isso sem apoio. Através dessas ajudas para te orientar, é possível quebrar esses laços que o unem com o abusador e reconstruir a sua vida.

    Considerações finais sobre relacionamento abusivo

    O relacionamento abusivo faz com que deixe de amar a si mesmo para se entregar a uma violência diária. Infelizmente, isso o move para uma posição em que o discernimento te abandona e atrai sempre o que faz mal.

    Tenha em mente que deve priorizar a sua felicidade e bem-estar e nunca colocar alguém acima disso. E lembre que, caso vivencie esse tipo de união, a culpa não é sua, tampouco a responsabilidade sobre como o outro age.

    Uma forma de conduzir os seus relacionamentos de forma saudável é com o nosso curso online de Constelação familiar. O mesmo te municia com a clareza que precisa para identificar falhas, notar necessidades e trabalhar o seu autoconhecimento. Dessa forma, terá apoio necessário na identificação de um relacionamento abusivo e defender a existência da harmonia, saúde e felicidade.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    dois × quatro =