Constelação FamiliarUncategorized

Dr. Rüdiger Rogoll: algumas ideias em Constelação Sistêmica

Rüdiger Rogoll

Quando falamos de Constelações Sistêmicas, estamos falando de um método, uma abordagem, um tipo de terapia, uma coleção de insights, uma filosofia aplicada, um estudo das relações humanas… enfim, uma ferramenta útil aplicada em muitas disciplinas. Essa é uma forma de perceber o mundo, a qual cativou muitas pessoas, inclusive Rüdiger Rogoll.

Afinal de contas, ela atende tanto quem quer aprender quanto quem quer ensinar. A ampla aplicação desse método em muitas disciplinas diferentes e por muitas profissões torna impossível oferecer uma definição única. Mesmo que quiséssemos esboçar uma, ela não seria suficiente.

Por meio das Constelações Sistêmicas, estamos todos conectados e, ainda assim, nossa relação com as constelações permanece profundamente individual e pessoal. Assim, todos podem ter essa experiência, ainda que de maneira diferente.

O que são Constelações Sistêmicas?

Constelações Sistêmicas são uma técnica de mapeamento poderosa para trazer à tona dinâmicas ocultas nos sistemas de relacionamento humano. Elas podem ser usadas em contextos organizacionais e também pessoais.

Assim sendo, as constelações permitem um mapeamento “verdadeiro” do problema a que se quer dar atenção. O objetivo é elucidar aquilo que nem sempre é visível e também o que não é dito.

A partir desse ponto de compreensão mais profundo, as constelações sistêmicas permitem que você explore como uma situação incômoda pode ser melhorada.

Constelações Sistêmicas segundo Dr. Rüdiger Rogoll

Dr. Rüdiger Rogoll desenvolveu um trabalho com Constelações Familiares observando as dinâmicas que envolvem implicações de uma geração para outra e identificações entre elas. Ao investigá-las, ele descobriu, dentro dos sistemas, leis e ordens de compensação que chamou de “Ordens de amor”. Elas permitem recuperar o local que corresponde a cada componente de um sistema.

Para elaborar essa sua abordagem, Rogoll recebeu influências muito importantes. Dentre elas, podemos mencionar a terapia primária, a análise transacional, a terapia sistêmica, a Gestalt terapia e a programação neolinguística.

Nos últimos anos, seu trabalho ultrapassou esses trabalhos, evoluindo para o que ele chama de “movimentos da alma e do espírito”. Milhares de profissionais em todo o mundo aplicam o trabalho que ele desenvolveu, não necessariamente de maneira estrita, mas adaptando suas interpretações originais para uma ampla variedade de aplicações pessoais, organizacionais, políticas, etc.

Constelações Sistêmicas na Psicologia

Em Psicologia, a abordagem sistêmica refere-se à exploração daquela dimensão da consciência em que cada fenômeno faz parte de um sistema que está interconectado e do qual depende.

Como seres humanos, nós não estamos isolados em uma identidade psicofísica, mas fazemos parte de uma série de sistemas adicionais cada vez maiores e complexos, como a família, a nação, o continente, o planeta, a história, o espaço e o tempo.

O que são

As Constelações Cistêmicas são uma variante do método criado pelo psicoterapeuta Bert Hellinger na década de 1980: as constelações familiares. As Constelações Sistêmicas tiveram um grande desenvolvimento na Alemanha nos últimos quinze anos e permitem trabalhar questões relacionadas a sistemas fora da esfera familiar, como o mundo profissional ou corporativo.

Assim, são uma ótima ferramenta para tratar de questões importantes que afetam o funcionamento de uma organização e que extrapolam o âmbito pessoal.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    Influência de Bert Hellinger nas Constelações Sistêmicas

    Bert Hellinger é amplamente considerado um dos psicoterapeutas mais influentes, provocadores e eficazes no mundo de língua alemã de hoje. Seu desenvolvimento como professor e curador é uma história fascinante de autotransformação. Segundo Bert Hellinger por meio das constelações, observamos que todos fazemos parte de algo maior.

    Há obviamente uma dimensão de consciência que todos nós compartilhamos. Todos nós participamos de um campo comum. Somos parte de algo maior e nos faz bem abrimo-nos a esse contexto mais amplo. Afinal de contas, é desse lugar que emerge o conhecimento.

    Nesse nível totalmente diferente, trocas de informações, experiências e soluções acontecem. Percebe-se, portanto, que o ser humano não precisa lidar com as suas questões sozinho.

    Necessidade de uma posição fenomenológica

    Segundo Bert Hellinger, uma constelação familiar vem de uma posição fenomenológica. Ela consiste na postura dos representantes, clientes e terapeuta de enfrentar a realidade que é representada. Esta, segundo ele, não deve ser encarada pelas pessoas a partir de intenções, medos e teorias.

    Tomados esses cuidados, cria-se um espaço no qual os movimentos decisivos podem vir à luz. Os representantes se movem sob a influência da alma e encontram soluções que estão fora da influência do terapeuta, o qual basicamente não precisa fazer nada.

    Ainda assim, é importante dizer que o terapeuta não tem um papel passivo. Embora se contenha, ele está completamente presente. Portanto, nos momentos em que vê que é apropriado intervir, ele está permitido a fazer isso.

    Atenção!

    Mas ainda assim, essa dinâmica não tem um método. Portanto, de certa forma, essa postura fenomenológica só tem sucesso quando esquecemos o que sabemos sobre constelações familiares. O objetivo, porém, é que o terapeuta dê espaço para que a dinâmica ocorra por conta própria.

    Tipos de constelações

    As constelações sistêmicas se enquadram em duas categorias amplas:

    • constelações familiares – as familiares tradicionalmente se concentram na identificação e cura de dificuldades pessoais e familiares.
    • constelações organizacionais – essas, por outro lado, têm mais a ver com a descoberta e resolução de conflitos que estejam ocorrendo no local de trabalho.

    Como você pode ver, elas podem ser aplicadas de forma muito abrangente. De fato, uma constelação pode realmente ser usada para explorar quase qualquer tópico. Ela funciona para se encontrar soluções para um conflito no trabalho ou para te ajudar a perceber o que te impede de chegar aonde você deseja na vida.

    Como funciona as constelações sistêmicas

    As constelações sistêmicas visam a criação de um mapa vivo de um problema ao usar pessoas para representar indivíduos e elementos-chave envolvidos. A mágica acontece quando, sem qualquer aviso, os representantes começam a incorporar o comportamento das pessoas que foram convidados a representar.

    O acesso a tal mapa vivo muitas vezes traz à tona dinâmicas ainda não vistas, que uma vez identificadas podem ser cruciais para melhorar a situação. As constelações também podem ser usadas em um contexto usando objetos, em vez de pessoas como representantes.

    Considerações finais

    As constelações sistêmicas oferecem uma maneira emocionante de iluminar questões pessoais, profissionais e organizacionais urgentes. Se você se interessou pelo assunto, nós recomendamos que você continue acompanhando este site. Isso porque ele oferece uma série de conteúdos para praticantes de constelação em todos os níveis.

    Por meio de algumas citações de Hellinger, Rüdiger Rogoll e outros, convidamos você a encontrar seu próprio caminho para este rio fluente de constelações. Afinal de contas, a Constelação Familiar traz um despertar para a alma, uma nova maneira de ver, entender, aceitar e respeitar suas escolhas e as escolhas uns dos outros.

    Também te convidamos a conhecer o nosso curso de constelações e desfrutar desse conhecimento que transformará a sua vida.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    doze + 1 =