Constelação e ProfissõesConstelação Familiar

Formação para ter diploma de Constelação Familiar

A constelação vem se popularizando nos últimos anos e, com ele, a oferta de profissionais. Hoje, vamos explicar qual é a formação necessária para ter um diploma de constelação familiar. Essa é uma informação útil não só para aqueles que almejam exercer essa profissão. Quem deseja buscar um profissional de credibilidade também deve estar atento à formação de futuros colaboradores.

Nesse contexto, conheça mais um pouco sobre a constelação familiar. Ademais, entenda o que é necessário para se tornar um constelador.

A família em constelação familiar

Criada pelo psicanalista Bert Hellinger, o principal objetivo da constelação familiar é analisar a estrutura e relações do individuo com a família. Assim, quem tem o diploma de constelação pode entender como as dinâmicas em um determinado núcleo familiar influenciam a todos os constituintes.

Nesse contexto, através da análise, é possível detectar problemas a serem resolvidos dentro da família para que o paciente possa evoluir.

Saiba mais…

A constelação familiar é uma técnica que ajuda o indivíduo a viver plenamente uma experiência familiar. Além disso, auxilia a pessoa a se relacionar com todos que fazem parte do seu grupo. Levando isso em consideração, resolver problemas familiares pode ajudar a pessoa a lidar melhor com transtornos de ansiedade e depressão. Dessa forma, há uma melhora considerável em sua qualidade de vida.

Na época de Hellinger, o conceito de família era baseado no patriarcalismo, ou seja, existia mãe e pai como líderes. Nesse contexto a ausência de um ou outro prejudicava a estrutura e cada indivíduo conectado ao núcleo familiar.

No entanto, atualmente, sabemos que as dinâmicas familiares são variadas. Assim sendo, é necessário contemplar os pais solteiros, mães solteiras, casais homossexuais ou crianças cuidadas por tios e avós. Há ainda as famílias que adotam crianças. Como lidar com esses modelos familiares recentes?

A constelação familiar e os modelos familiares atuais

Para ser constelador familiar nos tempos atuais, é preciso entender cada dinâmica familiar do individuo e aplicar a ferramenta dentro do contexto dele. Não necessariamente uma pessoa criada somente pelos avós terá problemas quando adultos. Ela pode ter recebido todo o apoio que precisava em seu desenvolvimento nesse contexto.

Assim sendo, existem ferramentas para aplicar em cada contexto, e não para impor parâmetros de “família” aos pacientes. Dessa forma, na formação de constelação familiar, a pessoa que deseja se tornar um constelador precisa estar apta a entender novos conceitos de família. Isso para atualizar a ferramenta de Bert Hellinger, trazendo-a para contextos atuais.

A constelação é uma ferramenta

Antes de tudo, precisamos entender que a constelação familiar é uma ferramenta, ou seja, é um meio que temos para facilitar determinadas tarefas e situações. Por exemplo, o calendário em nosso celular é uma ferramenta que nos ajuda a organizar nosso tempo. Dessa forma, não esquecemos de concluir tarefas e planejar atividades.

Caso você já tenha feito um curso de coaching, pode ter percebido que os palestrantes passam uma série de ferramentas para que você aplique no seu dia-a-dia. São exemplos os um painéis de metas ou diagramas de felicidade. Nesse contexto, cada técnica tem as suas próprias ferramentas.

A constelação familiar é uma ferramenta, portanto, todos podem aprendê-la e utilizá-la no seu dia-a-dia. Você pode buscar conhecimento não só para atender pacientes, mas para aplicar em si mesmo e na sua família, melhorando a dinâmica entre todos.

Formas de aplica-la

Há quem use também a constelação dentro do ambiente de trabalho. Assim, adaptam-se as Leis do Amor criadas por Bert Hellinger ao contexto da empresa. As Leis são caminhos para estabilizar a constelação. São elas:

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    • hierarquia;
    • equilíbrio;
    • pertencimento.

    Professores em sala de aula também podem aplicar a constelação familiar, especialmente se estiverem cuidando de uma turma com poucos resultados e disciplina difícil. Nesse contexto, os conceitos da constelação são adaptáveis para diversas situações. Isso porque se trata de uma ferramenta com alta aplicabilidade.

    Como ter formação em constelação familiar

    Existem diversos cursos sobre constelação no mercado hoje em dia, com diferentes valores. Ao procurar um curso, busque saber depoimentos de quem já os fez para saber da qualidade. Nesse contexto, também vale considerar a sua realidade financeira. Afinal de contas, se você não pretende se tornar profissional de constelação pode não ser uma estratégia muito sábia investir no curso mais caro.

    Geralmente, os cursos de constelação familiar são livres e podem ser feitos por qualquer pessoa. Dependendo da escola, a o diploma de constelação permite que a pessoa esteja apta a realizar consultas. Assim sendo, podem atender pacientes que desejam evolução através da constelação familiar.

    O que leva as pessoas a querer um diploma de constelação

    Um grande foco dos cursos de formação em constelação familiar é a compreensão sobre as leis que atuam nos sistemas familiares. Nesse contexto, é interessante relembrar quais são, como já citamos:

    • hierarquia, de pertencimento e de equilíbrio. A partir delas, grande parte do trabalho pode ser feito e a ênfase se justifica.
    • Além isso, há também o autoconhecimento, que é um motivo que levam pessoas a buscarem um curso de constelação familiar.

    Apesar de existirem profissionais aptos a fazerem isso por você, saber aplicar a ferramenta em si mesmo requer um nível de autoconhecimento. Isso é o que muitas pessoas têm buscado hoje em dia.

    Vantagens

    Quem passa pelo curso também passa a desenvolver um olhar sistêmico sobre tudo na vida. A constelação analisa a família como um sistema. Assim sendo, dentro desse sistema existem gargalos ou falhas que podem prejudicar a todos os integrantes.

    Nesse contexto, essa visão de sistema pode ser facilmente aplicada a várias situações da vida. Isso porque você passa a enxergar o todo, seu papel nele, e também o papel dos outros. Assim sendo, fica mais fácil identificar onde estariam as raízes para os possíveis problemas.

    O diploma de constelação familiar e a psicologia

    Vemos hoje em dia muitos psicólogos abordando a técnica da constelação em seus consultórios. No entanto, a formação em psicologia não é um pré-requisito para ter um diploma de constelação familiar.

    Esse aproveitamentos dos conhecimentos de constelação se dá pelo fato de que quando uma pessoa tem problemas como depressão ou ansiedade, ela procura um psicólogo. Nesse contexto, quem tem um familiar ou colaborador com esses problemas na equipe também poderá querer o mesmo.

    Por essa razão, famílias e gestores de equipes geralmente procuram um profissional de constelação que tenha formação em psicologia. Isso porque sabem que muitas vezes esses problemas não têm somente origem familiar ou na equipe. Assim sendo, um profissional capacitado irá ajudar a reconhecê-los com mais facilidade.

    Não ter uma graduação em psicologia não é o problema: a falta de especialização é

    Portanto, é preciso ter cuidado ao ser atendido por um profissional que não tem formação em psicologia. Assim sendo,se é você o constelador, adquirir conhecimentos a mais do que apenas o curso de constelação é importante. Por mais que obter um certificado de constelação não seja difícil, é importante se qualificar o máximo possível. Isso porque todos queremos ser tratados e cuidados por pessoas que saibam o que estão fazendo.

    Por mais que a ferramenta tenha aplicabilidade em várias situações, há casos em que as pessoas estão com uma saúde mental mais sensível no momento. Por outro lado, há quem lide com complexas relações familiares, e que precisam de ajuda de um psicanalista e psiquiatra. Nesse contexto, é importante entender quais são seus limites se você escolher ser um profissional que não se especializa.

    Dentro de sala de aula e de uma empresa, por outro lado, a necessidade de ser um constelador formado em psicologia diminui. O próprio dono da empresa ou até mesmo seus gestores são capazes de atuar sobre as relações interprofissionais no ambiente de trabalho. No entanto, dentro da sala de aula, por exemplo, outras habilidades e especialidades são requeridas. Os conceitos da pedagogia são agora desejáveis.

    Conclusão

    Mesmo para quem não é formado em psicologia e não quer trabalhar na área, conseguir um diploma de constelação familiar pode ser muito transformador. Assim, seu olhar estará treinado para enxergar sistemas, possíveis conflitos, entraves e soluções. Nesse contexto, um olhar sistêmico pode ser aplicado em si mesmo, no trabalho, nos estudos e na sua família.

    Conheça nosso curso de constelação familiar

    Para quem deseja se tornar um constelador profissional, existem muitos cursos de qualidade que vão ajudar com essa meta.

    O mercado tem espaço e a técnica tem sido cada vez mais procurada, pois seus benefícios são reais e cada vez mais difundidos. O nosso curso de Constelação Clínica, por exemplo, é totalmente EAD e oferece uma certificação válida para que você atue como constelador. Confira nosso programa clicando aqui!

    Busque depoimentos de quem já fez o nosso curso ou outros! Se informe sobre dicas, histórico das escolas pretendidas, e faça uma escolha consciente. Um diploma de constelação te ajudará a evoluir não só como ser humano, mas como um melhor profissional também.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    5 × quatro =