Constelação e Profissões

Constelação e Psicanálise: um guia completo

As constelações familiares são uma forma de psicoterapia. Logo, é possível identificar que a constelação e psicanálise andam lado a lado com um único objetivo: a terapia para o bem-estar e cura de distúrbios psicológicos/familiares.

Constelação Familiar

A técnica afirma ser baseada em teorias e práticas psicológicas, começando pela psicanálise (Bert Hellinger , o criador das constelações familiares). Então assumindo muitos aspectos da psicoterapia Gestalt, da psicoterapia familiar sistêmica, de Ericksoniana hipnose e do psicodrama de Moreno.

Bert Hellinger a partir de 1980 expôs as bases de suas linhas teóricas e metodológicas a respeito da família e das constelações sistêmicas.

Segundo Hellinger e seus apoiadores, os elementos teóricos que são a base da terapia seriam retirados de inúmeros conceitos e práticas desenvolvidas no campo da psicologia e da psicanálise. Mas também outros definidos como pseudocientíficos.

Hellinger acredita que a vida de todos seria condicionada por destinos e sentimentos que não seriam verdadeiramente seus e pessoais. Mesmo as doenças graves, o desejo de morte e os problemas no trabalho poderiam ser devidos, segundo sua teoria, aos “enredos” do sistema familiar.

No que consiste?

Consistem numa “encenação”, reproduzida por “representantes”, que intuitivamente recriariam as interdependências existentes entre os membros de uma família ou grupo. O que permiti evidenciar a dinâmica inconsciente que produziria sofrimento em diversos aspectos da vida Bem como as relações afetivas, relações profissionais e a relação com dinheiro e saúde.

Técnica

A “constelação” geralmente ocorre, mas não exclusivamente, no curso de seminários de grupos longos. Em que um ou mais participantes estão potencialmente interessados em representar sua “constelação familiar”.

Os seminários sobre as “constelações sistêmicas”, ou seja, sobre grupos ou estruturas sociais. Por exemplo, nas relações no trabalho, das nações, das religiões, da sociedade, possuem uma estrutura semelhante.

Todos os presentes se arrumam, sentados, em um círculo bem grande. E o constelador, também conhecido como “facilitador”, está entre eles. Isso auxilia o presente para atingir um estado de relaxamento e presença ativa, e verificar quem entre os presentes pretende implementar a sua constelação.

O desdobramento da constelação

Os representantes são convidados a ceder, sem nenhuma teatralidade, a cada um de seus movimentos físicos básicos e instintivos. Pois, de acordo com Hellinger, eles teriam, de forma totalmente inconsciente, começado a sentir o que os membros da família teriam realmente sentido.

Acessando não apenas os sentimentos, mas também, em muitos casos, as sensações corporais de seus representantes. Segundo Hellinger, eles entrariam de fato em contato com um suposto “campo de energia” (um conceito sem base científica) do sistema familiar em questão.

Fim da constelação

Uma mudança medida e gradual nas posições espaciais e emocionais dos representantes se acredita que teria ocorrido de forma espontânea. E, às vezes, por meio da intervenção do condutor.

Assim, a “constelação” evoluiria para níveis gerais de maior compreensão, participação e rumo a uma imagem de harmonia, equilíbrio e paz. O que seria de grande proveito para o interessado. Mas, consequentemente e na maioria dos casos, beneficiaria também a própria família e para todos participantes do seminário.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Constelação.

    A imagem criada segundo a teoria de Hellinger poderia segundo ele iniciar uma suposta transformação interior da pessoa em questão. O que poderia durar ainda muito tempo e envolveria o intelecto, nossa parte consciente, de forma muito limitada.

    Tempo

    Uma constelação pode durar normalmente de 20 minutos a uma hora, mas pode haver constelações mais curtas ou mais longas. O objetivo principal da ação não seria esclarecer os milhares de “sombras” presentes em uma família. Mas trazer à tona o chamado “enredamento”, que segundo Hellinger constituiria o impasse saliente para o interessado.

    Se a constelação se mostrar particularmente emocional, o facilitador pode encerrar a representação. Assim como pode pará-lo se a situação atual manifestar estagnação ou falta de energia.

    Em ambos os casos, a constelação ainda cumpre sua tarefa e intenção. Geralmente não é recomendado implementar outra constelação, mesmo que em outras questões, em um curto espaço de tempo.

    Psicanálise

    A palavra psicanálise deriva da união dos termos gregos psique, que significa alma, mente e análise. É uma disciplina fundada pelo famoso neurologista Sigmund Freud e trata da análise e tratamento de distúrbios psicológicos levando em consideração o conceito de inconsciente.

    Freud, de fato, estava convencido de que as pessoas poderiam ser curadas de seus desconfortos psíquicos também por meio da suposição da consciência de seus pensamentos inconscientes. E, além disso, da consequente superação de situações enterradas em algum lugar da memória (no inconsciente, na verdade).

    A primeira vez que Freud falou formalmente da psicanálise foi em 1896, em dois artigos nos quais descreveu sua própria pesquisa. Durante o século XX, a psicanálise se aperfeiçoou e se articulou em diversas formas evolutivas, passando também por diversas críticas.

    A teoria do inconsciente

    Na disciplina psicanalítica é fundamental o papel do inconsciente. Ou seja, toda aquela esfera da atividade psíquica que não é alcançada pela consciência.Portanto, a pessoa não tem consciência.

    Freud então começou a considerar todo aquele substrato de pensamentos de uma forma cada vez mais envolvente. Os trauma, as experiências esquecidas ou as reprimidas das quais o indivíduo não tem consciência, mas pelas quais é constantemente influenciado no comportamento.

    A introdução do inconsciente como conceito foi fundamental no cuidado e tratamento do portador de transtorno mental. Na verdade, começou a surgir a ideia de que os fenômenos de doença mental ou desconforto não eram necessariamente todos atribuíveis a uma lesão biológica do cérebro. Mas poderiam ser sintomas de todo esse background experiencial.

    Relação entre Constelação e Psicanálise

    É possível estabelecer uma relação entre os dois métodos. Apesar das Constelações familiares não terem respaldo científico, elas têm se mostrado muito eficientes. A principal relação está no inconsciente.

    A psicanálise analisa o inconsciente individual para explicar possíveis distúrbios, ao passo de que as Constelações acessam o inconsciente coletivo de um grupo inteiro. E procuram um denominador comum para relacionar os problemas e construir um método terapêutico para a cura.

    Considerações finais sobre Constelação e Psicanálise

    As relações terapêuticas são sempre bem-vindas. Aliando umas às outras podem resultar em positividades para o campo psicológico, seja com ou sem respaldo científico.

    A Constelação e Psicanálise têm relação direta e existe muito mais! Quer entender mais e fazer deste conhecimento uma profissão? Conheça nosso curso de Constelação Familiar e compreenda ainda mais a relação das constelações com os métodos terapêuticos já conhecidos! Torne-se um constelador(a) psicanalista!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    dois × 2 =